Anais 2014

A EXPRESSÃO DA ENERGIA QUE ANIMA O SER HUMANO

Autor(es): ADAMS, Dinalva Cavallari; VOLPI, José Henrique
RESUMO: O ser humano é percebido pela Psicologia Corporal, dentro do aspecto somatopsicodinâmico, onde corpo e mente são indivisíveis, e os movimentos energéticos de um atuam da mesma forma, energeticamente sobre o outro, num universo onde existe uma inter-relação e interdependência entre ecossistemas e campos, com a Física percebendo toda massa como forma de energia, e partindo da possibilidade de interferência na qualidade/quantidade de energia dos sujeitos. Este trabalho procura entender o ser humano justamente através do prisma da energia, que lhe possibilita a expressão da vida e busca ainda compreender a forma de como este pode se expressar na relação com a energia.
Palavras-chave: Anima. Corpo. Energia. Vida.


ENSAIO SOBRE O CONTATO: CONSIGO MESMO, COM O CORPO, COM OS OUTROS SERES HUMANOS E COM A NATUREZA

Autor(es):  ALENCAR, Cristian
RESUMO: Ainda conseguimos entrar em contato com os nossos sentimentos? Ou estamos cada vez mais semelhantes a uma máquina? E diante da velocidade do dia a dia, conseguimos entrar em contato com o nosso corpo? O que ele está nos dizendo? E com os outros seres vivos e com a natureza, estamos fazendo contato? Contato real ou virtual? O presente trabalho visa identificar os principais fatores que vem levando as pessoas a perderem o contato com elas mesmas, com seus corpos, com os outros seres humanos e com a natureza, ou em outras palavras tentar entender um pouco da nossa esquizoidia de cada dia. Para isso foi realizada uma pesquisa bibliográfica dos principais autores da Psicologia Corporal, além das experiências verificadas como professor e psicólogo clínico. A proposta é apresentar alguns conceitos da Psicologia Corporal que procuram explicar a dificuldade de contato e propor uma breve experiência/vivência de contato consigo mesmo e com o outro.
Palavras-chave: Contato, Corpo, Ego, Imagem.


A NOÇÃO DE COURAÇA NA OBRA DE WILHELM REICH: ORIGENS E CONSIDERAÇÕES SOBRE O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Autor(es):  ALMEIDA, Bruno Henrique; ALBERTINI, Paulo
RESUMO: Este trabalho investiga o desenvolvimento da noção de couraça nos primeiros quinze anos da obra de Wilhelm Reich, de 1920 até 1935. A fim de acompanhar o percurso do pensamento do autor, abordamos a obra de acordo com a sequência cronológica de publicação. Os escritos analisados indicaram que as significações de couraça como defesa, proteção e resistência estão sempre presentes. Dentre os artigos acessados, localizamos a primeira aparição do vocábulo em 1922, como couraça narcísica. Constatamos que, para Reich, a couraça mantém contato com as realidades interna e externa, articula as noções de economia pulsional, ego e caráter, além de estar relacionada à operação do recalque. A princípio, é concebida na esfera psíquica, mas, gradativamente, passa a ser considerada, também, no âmbito somático, principalmente como hipertonia muscular crônica.

Palavras-chave: Caráter. Couraça. Desenvolvimento Humano. Reich.


IDENTIDADE FEMININA E BIOENERGÉTICA: A MULHER COMO PROTAGONISTA DA PRÓPRIA VIDA

Autor(es):  ALMEIDA, Patrícia. R.; VOLPI, Sandra Mara.
RESUMO: Este artigo introduz o tema da feminilidade sob o ponto de vista da Bioenergética, primeiramente através de uma revisão das transformações na visão da feminilidade através dos tempos e da construção da identidade feminina ao longo das fases do desenvolvimento infantil, em que podem ocorrer facilidades e dificuldades que interferem nesse processo, reprimindo, rejeitando ou negando aspectos dessa feminilidade em formação. Em seguida, busca-se posicionar a Bioenergética como um importante instrumento para a apropriação feminina do próprio corpo enquanto caminho para protagonizar a própria vida, com responsabilidade por si mesma, suas escolhas, seus desejos, seus objetivos, seus relacionamentos e sua sexualidade.
Palavras-chave: Bioenergética. Desenvolvimento. Identidade Feminina. Psicologia
Corporal. Sexualidade. Reich.


GESTÃO DE RISCOS ASSOCIADOS A FATORES PSICOSSOCIAIS: DEFINIÇÕES CONCEITUAIS E PRÁTICAS DE INTERVENÇÃO DO SESI NACIONAL E DO DEPARTAMENTO REGIONAL DA BAHIA

Autor(es):  ALMEIDA, Kenneth Nunes Tavares; DE LUCENA, Luciana Mercês; SANTOS, Lídice Miranda.
RESUMO: Situações como ambiente de trabalho hostil, assédio, fracasso, mudanças constantes na organização do trabalho, fatores relacionados ao tempo, alinhados com o nível de pressão exercida junto ao trabalhador, podem provocar tensão e, por conseguinte, sofrimento e distúrbios mentais, o que ocasiona absenteísmo e impacta diretamente na produtividade da indústria. As medidas apresentadas neste trabalho estão pautadas no desenvolvimento de estudos do SESI quanto aos Fatores Psicossociais (FPS) que afetam a saúde do trabalhador. Nelas, evidenciam-se fatores de intervenção em prevenção, gestão e transformações dos riscos, por meio de ferramentas e estratégias práticas de melhoria do ambiente e organização do processo de trabalho. O SESI O SESI, entendendo a importância da temática, estruturou redes de trabalho, sendo uma delas a Rede de Promoção de Saúde que contempla os Grupos Técnicos de Alimentação, Atividade Física e Fatores Psicossociais, visando expandir o atendimento por meio de soluções integradas de promoção da saúde e prevenção de doenças. estruturou redes de trabalho, sendo uma delas a Rede de Promoção de Saúde que contempla os Grupos Técnicos de Alimentação, Atividade Física e Fatores Psicossociais, visando expandir o atendimento por meio de soluções integradas de promoção da saúde e prevenção de doenças.
Palavras-chave: Fatores Psicossociais. Saúde do Trabalhador. Ambiente de Trabalho


O ARTISTA E SEU CORPO: UM ENCONTRO

Autor(es):  AVIZ, Maíra Gomes; VOLPI, Sandra Mara.
RESUMO: No cenário contemporâneo, o artista convive com grandes dificuldades, que passam por várias questões, desde as condições de trabalho e novas demandas diante do novo cenário influenciado pela tecnologia, até outras, mais profundas, relacionadas a conflitos emocionais, e como estes repercutem no processo criativo e de construção a cada novo trabalho que se inicia. Levantar discussão a respeito do enrijecimento que limita o indivíduo na vivência do prazer, e consequentemente da criatividade, bem como das condições emocionais do artista para seu ofício – mesmo sabendo do poder imenso de transcendência da arte – faz-se necessário tanto para este, como para uma sociedade tão rígida e imersa em idealizações. Neste contexto, este trabalho se propõe a promover uma reflexão sobre a atual situação do artista, especificamente o ator, frente ao seu corpo, sendo a Psicologia Corporal uma alternativa de amparo e encontro.
Palavras-chave: Artista. Corpo. Prazer. Processo Criativo. Rigidez. Saúde Emocional.


CEM ANOS DE SOLIDÃO E A TRANSGERACIONALIDADE: REVISITANDO FREUD, REICH E LOWEN

Autor(es):   BARBOSA, Cristina; NASCIMENTO, Perisson
RESUMO: O presente trabalho tem como proposta focalizar o tema referente à transmissão de conteúdos e experiências psíquicas entre gerações e sua correlação com a constituição caracterológica do indivíduo. Para isso, foi realizado um breve levantamento bibliográfico, obedecendo ao percurso evolutivo do paradigma psicodinâmico que fundamenta a Análise Bioenergética: inicialmente investigamos obras psicanalíticas, para posteriormente elaborar reflexões a partir das ideias reichianas e lowenianas. Por fim, como forma de ilustrar nosso raciocínio, foi elaborada uma análise da obra Cem anos de Solidão, do Gabriel Garcia Márquez, sob a ótica da transmissibilidade transgeracional.

Palavras-chave: Transmissão psíquica geracional. Análise Bionergética. Psicanálise. Cem Anos de Solidão.


O LUGAR DO CORPO DO TERAPEUTA NA RELAÇÃO INTERSUBJETIVA EM PSICOTERAPIA CORPORAL: REFLEXÕES SOBRE A CONTRATRANSFERÊNCIA

Autor(es): BARBOSA, Moara Thainan Oliveira; NASCIMENTO, Périsson Dantas; BRITO NETO, Luiz Gomes.
RESUMO: O trabalho objetiva realizar uma revisão de literatura sobre o fenômeno da contratransferência que permeia a relação terapêutica no contexto das psicoterapias corporais, a partir de contribuições de autores pós-reichianos, neorreichianos, psicodinâmicos e da neurociência. A relevância da temática se relaciona com a importância atribuída, nos estudos, ao campo relacional construído entre o terapeuta e paciente, permeado por conteúdos inconscientes que podem interferir de maneira a prejudicar ou até ajudar o processo de compreensão e intervenção clínica. Reconhece-se que as psicoterapias corporais possuem um diferencial na especificidade de suas técnicas que podem potencializar esse processo intersubjetivo, que devem ser manejadas pelo terapeuta com responsabilidade e constante auto-reflexão.
Palavras-chave: Contratransferência. Psicoterapias corporais. Relação terapêutica.
Intersubjetividade.


RESGATANDO O QUE É SEU

Autor(es):  BARON, A. K. R. V.; STORCK,  E. S.; GRANATO, L. R.; MUNARETTI, M. R.
RESUMO: Sabe-se que a história de cada individuo fica registrada no corpo desde a gestação e, ao chegar à fase adulta, muitas vezes pergunta-se: “Quem sou eu?”. Quando este indivíduo entra em contato com sua história, resgatando e integrando aspectos identitários, conscientiza-se do presente e pode visualizar o futuro. Mas, para que isso seja possível, é preciso preparar o corpo, fazendo circular a energia favorecendo o contato consigo mesmo e trazendo a consciência o momento atual pela percepção do corpo, refletindo o que foi vivenciado e visualizando do futuro.
Palavras-chave: Adolescência. Adulto. Identidade. Infância. Resgate.


A PSICOLOGIA FORMATIVA, UM FAZER FENOMENOLÓGICO

Autor(es):  BARROS, Sônia Maria de Andrade.
RESUMO: Desde Descartes estamos habituados a objetificar as coisas, os entes da natureza. Contudo, como assim objetificar o corpo e a experiência de estar corporificado? Como é investigar o corpo, esse ente que nós mesmos somos? Esse trabalho propõe-se a realçar a importância do fazer fenomenológico da Psicologia Formativa. Então o que é esse fazer, ou melhor, como é esse fazer, ou ainda, como é esse método? Essas são perguntas que ao longo desse artigo tentaremos responder no intuito de ratificar a importância das raízes do pensamento fenomenológico e seus pressupostos para a compreensão do pensamento e do método formativos criados por Stanley Keleman, que só podem ser alcançados a partir de um aprendizado pela experiência.
Palavras-chave: Corpo humano. Método fenomenológico. Método formativo. Psicologia formativa.


RINITE ALÉRGICA E BLOQUEIO OCULAR

Autor(es):  BENGTSSON, Lusiana.
RESUMO: O objetivo do presente artigo é demonstrar como a vegetoterapia entende e trata o paciente com rinite alérgica. Tal estudo surgiu ao tomar conhecimento de dois trabalhos acadêmicos. O primeiro publicado pelo III Consenso Brasileiro sobre Rinites em 2012 e o segundo, a visão de Reich e Navarro sobre alergia dentro da psicologia corporal. No primeiro surge um dado interessante, de que a maior parte dos brasileiros que apresentam rinite alérgica tem no ácaro caseiro seu vilão. Já para Reich e Navarro, sem descartar o estudo médico, apontam que tal sintoma é fruto de um bloqueio energético no primeiro nível, denominado ocular, que engloba pele, olhos, nariz e ouvidos. Psicologicamente, o sujeito apresenta dificuldade de contato com o outro, além de sentir medo, concretizado em fobias. Assim, para atenuar os sintomas alérgicos, a vegetoterapia é apontada aqui como uma possibilidade de tratamento psicológico, que tem um método de trabalho desenvolvido por Navarro.
Palavras-chave: Energia. Navarro. Reich. Rinite alérgica. Vegetoterapia.


CUIDANDO DO CORPO: DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES SOCIAIS E GERENCIAMENTO DO ESTRESSE

Autor(es):  BIGLIARDI, Adriana Maria.
RESUMO: Breve perspectiva teórica e metodológica de pressupostos utilizados na fundamentação do método do Programa de Desenvolvimento de Habilidades Sociais e Gerenciamento do Estresse, que vem sendo realizado desde Julho de 2011 com agentes de Segurança Pública de Curitiba, objetivando proporcionar cuidados à saúde psíquica de profissionais que socorrem vítimas de acidentes e situações traumáticas para promoção da auto percepção das necessidades básicas (segundo referencial de Albert Pesso), como forma de melhorar sua capacidade de enfrentamento em situações limítrofes. Bem como, promover treino de técnicas de “centering”, “grounding” e “facing” para proporcionar o auto gerenciamento dos impactos produzidos pela exposição contínua a situações traumáticas e estabilização emocional de vítimas de acidentes e desastres. Contribuindo para prevenção do surgimento de sintomas de estresse pós-traumático e promover ações terapêuticas em sintomatologias decorrentes de eventos traumatizantes. Proporcionando melhorias na qualidade de vida e a otimização dos serviços oferecidos à comunidade.
Palavras-chave: Desenvolvimento. Habilidades Sociais. Estresse. Saúde.


EXOPSICOLOGIA: A SÍNDROME ANÔMALA DA ABDUÇÃO, TRATADA COM PSICOTERAPIA ENERGETICA CORPORAL “CORE ENERGETICS” DE PIERRAKOS

Autor(es):  BORINE Monica Silvia
RESUMO: A Síndrome da abdução alienígena é o termo utilizado para definir uma pessoa que se diz retirada do seu local de origem, as vezes interrogada e/ou pesquisada por seres diferentes dos humanos com ou sem o seu consentimento consciente apresentando sintomas físicos e psicológicos na maioria das vezes com stress pós traumático. Independente de ser considerada uma síndrome da mente desconhecida ou decorrente de vivencias reais, muitas pessoas dizem avistar objetos voadores não identificados (OVNsS) necessitando integrar essas experiências em suas vidas. A Exopsicologia é um ramo da Psicologia cujo propósito é estudar cientificamente a síndrome da abdução alienígena em relação a mente, comportamento e consciência. Core Energetics é uma psicoterapia energética corporal criada por John C. Pierrakos derivada dos conceitos de Wilhelm Reich possibilitando tratar e integrar mente, corpo e consciência se mostrando eficaz no tratamento em Exopsicologia.
Palavras-chave: Psicoterapia corporal. Core Energetics. Abdução. OVNI. Exopsicologia


DA DESCOBERTA DA ENERGIA ORGONE AO LIVRO “CONTATO COM O ESPAÇO”: UMA ANÁLISE CRITERIOSA DA PERCEPÇÃO DE WILHELM REICH SOBRE OS OBJETOS VOADORES NÃO IDENTIFICADOS

Autor(es):  BORINE Monica Silvia
RESUMO: Os episódios vivenciados por Wilhelm Reich com os objetos voadores não identificados OVNIs surgiram juntamente com os seus experimentos da energia orgone e a atmosfera e foram fundamentais no desfecho de sua vida. Na década de 40 e 50, uma experiência de contato um OVNI era comumente considerada doença mental não havendo a mínima possibilidade de estar relacionada a uma experiência real. Wilhelm Reich não era um cidadão simplista, ele era um cientista natural como ele mesmo se denominava, possuía um raciocínio científico e era grande conhecedor de sua área de estudo. Ele era comprometido com a pesquisa, com a pulsação da vida e preocupado com o sofrimento humano. Contudo, ele mesmo avistou os “discos voadores” como relatou em seu livro “Contato com o espaço”. Esse estudo tem como objetivo uma reflexão criteriosa sobre os aspectos da vida de Reich demonstrando que ele não sofria de um transtorno mental como foi divulgado em sua época, mas vivenciou situações extraordinárias e anômalas no seu manejo com a energia orgone cósmica.
Palavras-chave: Wilhelm Reich, ÓVNIS, Exopsicologia, abduções, psicoterapia corporal


PARECE QUE ELE GOSTA DE SOFRER! CONTRIBUIÇÕES TEÓRICAS E PRÁTICAS DAS PSICOTERAPIAS CORPORAIS PARA A COMPREENSÃO DO MASOQUISMO

Autor(es):  BRITO, Carlos Eduardo
RESUMO: O masoquismo é um dos quadros mais comuns na prática clínica. Há pacientes que habitualmente se expressam através de um tom queixoso e que acreditam serem fadados ao fracasso. São pessoas que ocupam um lugar emocional vitimizante e que costumam se sabotar e se autodesqualificar. Vivem relações afetivas com muito desgaste, testando os sentimentos e a paciência das pessoas com as quais convivem. No senso comum, se diz que essas pessoas têm características masoquistas, pois parecem gostar de sofrer. Esse artigo aborda a dinâmica emocional dessas pessoas. Por que, no fundo, são assim? São apresentadas aqui as principais descobertas de Wilhelm Reich sobre o masoquismo e seu novo e original olhar para essa questão. O artigo traz também reflexões e propostas de como trabalhar com técnicas verbais e corporais as defesas masoquistas através da Psicoterapia Corporal.
Palavras-chave: Lowen. Masoquismo. Psicoterapias Corporais. Reich.


A INTERVENÇÃO DA PSICOLOGIA CORPORAL NO SERVIÇO DE ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA, AO ABUSO E À EXPLORAÇÃO SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES E SUAS FAMÍLIAS

Autor(es): BUERES, Flávia Maria Lescowicz; VOLPI, Sandra Mara
RESUMO: A violência e exploração sexual contra crianças e adolescentes vem crescendo significativamente em nosso país, e as consequências que essa violação de direitos traz é extremamente destrutiva. Sabe-se que para ela não ocorrer, faz-se necessário todo um trabalho das famílias – através do esclarecimento para a criança sobre seu próprio corpo – das escolas, campanhas de prevenção do sistema público, ou seja, todo o sistema de garantia de direitos, mas que infelizmente muitas vezes não consegue exercer essa proteção. Portanto, quando a violação é consumada, precisamos ter maneiras eficazes de tratamento, com o objetivo de minimizar as consequências que a violação acarreta. Por isso, pensou-se na Psicologia Corporal como meio de intervenção para essa minimização.
Palavras-chave: Adolescente. Criança. Desenvolvimento. Intervenção. Psicologia
Corporal. Reorganização.


COMPROMETIMENTOS AFETIVOS E SUA RELAÇÃO COM O PESO, IMAGEM CORPORAL E AUTOPERCEPÇÃO

Autor(es):  CAMARGO, Cristiane Zanette
RESUMO: O presente texto tem como objetivo investigar de onde vem a fome da pessoa obesa, seus traços de caráter e como esta pessoa lida com o alimento e suas conseqüências corporais, físicas, psíquicas e sociais. A abordagem utilizada para essa compreensão é a Psicologia Corporal.
Palavras-chave: Afeto. Anorexia. Bulimia. Caráter. Transtornos Alimentares.


VIVÊNCIA – O CORPO E SEUS SIGNIFICADOS NA DANÇA FLAMENCA

Autor(es):  CAMARGO, Maria Isabel Saczuk
RESUMO: O flamenco é um estilo de música e dança de origem cigana que é conhecido no mundo por se tratar de uma arte forte e emocional. Esta arte recebeu o título de Patrimônio Imaterial Cultural da Humanidade, por se tratar de um estilo de música e dança único e não um folclore ou similar. Sendo uma dança universal e sentimental, a proposta do trabalho vivencial do flamenco com base na Psicologia Corporal passa pela construção de um corpo e suas histórias. Corpo que teve a necessidade de encontrar um local e aterrar no solo para dizer que tem uma identidade e fortalecer o seu Eu. Vivenciar estas sensações de liberdade, prisão, medo, alivio, alegria e a reconquista da liberdade perdida, possibilita um aprofundamento na história particular de cada um e da humanidade, na medida em que acontece uma identificação com a música e a dança flamenca.
Palavras-chave: Corpo. Dança. Flamenco. Psicologia. Psicoterapia Corporal.


O CORPO E SEUS SIGNIFICADOS NA DANÇA FLAMENCA

Autor(es):  CAMARGO, Maria Isabel Saczuk
RESUMO: Este artigo baseia-se em uma pesquisa realizada com o objetivo de identificar os significados atribuídos a esta modalidade de dança.
Os resultados obtidos revelaram os ganhos e benefícios que as praticantes da dança flamenca obtiveram na sua prática, tais como, segurança, sentimento de pertencimento, fortalecimento da identidade e autoestima. Sob a perspectiva da Psicoterapia Corporal o flamenco constrói um corpo que precisa estar presente, em grounding, fortalecendo a identidade corporal e emocional do seu praticante. Estes fatos revelam dados importantes sobre a história de cada praticante, bem como nos possibilita identificar esta arte comouma ferramenta de grande valor, podendo ser indicado como atividade auxiliar para determinados casos clinicos que necessitem destas qualidades. Esta aproximação do flamenco e das teorias reichianas visa criar um paralelo, integrando-as no sentido de criar benefícios para a própria dança e seu praticante, como também agregar conhecimento desta modalidade de dança aos Psicoterapeutas.
Palavras-chave: Dança. Flamenco. Psicoterapia Corporal. Significados.


ANATOMIA  EMOCIONAL:  O CORPO COMO UM PROCESSO SUBJETIVO. A PSICOLOGIA FORMATIVA DE STANLEY KELEMAN

Autor(es):  COHN, Leila
RESUMO: Este artigo apresenta a Psicologia Formativa de Stanley Keleman dentro do paradigma contemporâneo da Vida enquanto um sistema evolutivo interconectado e autoorganizador. O presente trabalho apresenta o conceito de corpo enquanto um processo subjetivo, herdado e formado, em contínua transformação e insere a Metodologia Formativa no processo evolutivo, destacando a capacidade humana de auto-influência através do esforço muscular voluntário.
Palavras-chave: Corpo. Psicologia Formativa. Sonho. Esforço muscular cortical voluntário.


CORPORIFICANDO O IMPALPÁVEL: O TRABALHO SOMÁTICO COM SONHOS

Autor(es):  COHN, Leila
RESUMO: Este artigo apresenta o trabalho com os sonhos na a bordagem da Psicologia Formativa de Stanley Keleman. Para Keleman sonhos são uma for
ma do corpo conversar consigo mesmo e influenciar sua evolução pessoal. A relação cooperativa entre corpo e cérebro organiza um diálogo no qual o córtex organiza os anseios do soma em imagens e enredos de sonhos. Através do trabalho com a Metodologia Formativa usando o Esforço Muscular-Cortical Voluntário (EMCV) no estado de vigília, o sujeito pode corporificar as imagens do sonho e influenciar voluntariamente padrões de ação e experiências emocionais.
Palavras-chave: Corpo. Psicologia Formativa. Sonho. Esforço muscular cortical voluntário. Keleman.


PSICOSE: UMA LEITURA SOMATOPSICODINÂMICA

Autor(es):  CORRÊA, Cairu Vieira
RESUMO: A psicose, compreendida como um grave transtorno psíquico, expressa a dificuldade primitiva do indivíduo de estabelecer contato com o ambiente externo. São percebidos prejuízos em aspectos específicos do funcionamento humano, tais como, capacidade de crítica, organização do pensamento, senso de identidade e manejo das emoções. Numa perspectiva reichiana, entende-se que os determinantes da psicose envolvem aspectos psicológicos, emocionais e energéticos, isto é, uma somatopsicodinâmica. Representando uma forma peculiar, do indivíduo que vivencia a doença, de acessar a realidade que lhe é concebida.
Palavras-chave: Alucinação. Autismo. Delírio. Esquizofrenia. Psicose.


SAÚDE MENTAL DOS TRABALHADORES

Autor(es):  DZICKANSKI, Heloisa S.; KOVALSKI, Edinara; PAWLOWYTSCH, Pollyana W. M.; CAMPOS, Renata
RESUMO: A atenção à saúde mental vem crescendo significativamente na área da saúde do trabalhador, e a manifestação do estresse vem se mostrando cada vez mais influente. Nesta pesquisa buscou-se identificar os aspectos psicológicos referentes ao estresse no trabalho e suas manifestações físicas em trabalhadores de um Hospital do Planalto Norte Catarinense. A coleta de dados foi feita através de um questionário semi estruturado abordando as possíveis manifestações do estresse no corpo, mente, comportamento e emoção. Na análise procura-se mostrar de que forma as couraças podem ser identificadas na sintomatologia do estresse.

Palavras-chave: Psicologia Corporal; Saúde-Mental; Trabalhadores.


ENCONTRO COM O SAGRADO: O VENTRE FEMININO E AS SUAS POSSIBILIDADES DE CONTATO E FLEXIBILIZAÇÃO ATRAVÉS DA PSICOLOGIA CORPORAL

Autor(es):  EIDT, Alyne Cavallari; VOLPI, Sandra Mara
RESUMO: O ventre feminino tem papel um tanto quanto imprescindível para a mulher. Além do mesmo ser composto por nossos órgãos vitais, ele apresenta um significado mais íntimo do que podemos imaginar: o do encontro da mulher com seu feminino. Este trabalho visa detalhar por meio da Psicologia Corporal, da Mitologia e da Medicina Oriental não somente a importância fisiológica do ventre feminino, mas também as questões psicológicas e energéticas conectadas a este espaço que, por vezes, é esquecido e rechaçado na atualidade.

Palavras-chave: Energia. Mitologia. Psicologia Corporal. Ventre.


AYURVEDA: A TEORIA DOS HUMORES CORPORAIS, SEUS DESEQUILÍBRIOS E FORMAS DE TRATAMENTOS

Autor(es):  ELIAS, Marcos Teixeira
RESUMO: Neste seminário apresentaremos as bases do sistema de saúde conhecido por Ayurveda, uma ciência milenar de cura oriunda do continente asiático, preservada ao longo dos séculos na Índia e Tibet, atualmente estudada e praticada no mundo todo. Será exposta a teoria dos humores corporais ou doshas, leitura esta extremamente útil para repensarmos nossos conceitos de psicossomática. A partir da teoria, veremos como os humores se desequilibram desencadeando sintomas físicos e psicológicos correlacionados, e como o ayurveda compreende o tratamento para estes desequilíbrios.
Palavras-chave: Ayurveda, Psicossomática, Equilíbrio, Terapia, Humores.


AVALIAÇÃO PRÉ-CLÍNICA E CLINICA DO EFEITO ANTIDEPRESSIVO DO OMEGA-3

Autor(es):  FERRAZ, Anete Curte; VINES, Aparecida; CARABELLI, Bruno; PUDELL, Cláudia; SILVA, Ticyana Morales
RESUMO: Estudos epidemiológicos e dietéticos têm mostrado que a deficiência nutricional dos ácidos graxos poli-insaturados ômega 3 (AGPIs ω-3) está inversamente relacionada à prevalência e severidade da depressão. A suplementação com AGPIs ω-3 durante períodos críticos do desenvolvimento do sistema nervoso central pode atenuar riscos de prejuízos cognitivos e psicopatologias. O presente estudo investigou, através de testes comportamentais e análises neuroquímicas, o papel da suplementação com óleo de peixe, rico em ω-3, sobre o comportamento depressivo de ratos adultos cujas mães foram suplementadas durante gestação e lactação. Noutra linha de investigação, pacientes parkinsonianos diagnosticados depressivos tratados ou não com antidepressivos receberam cápsulas de óleo de peixe ou placebo durante 03 meses. Os pacientes foram avaliados pelas escalas de MADRS e Back antes e após suplementação. Os achados destas investigações corroboram e expandem o conceito de que a suplementação com óleo de peixe produz efeitos antidepressivos.
Palavras-chave: Depressão. Óleo de peixe. Ácidos graxos ômega-3.


ANÁLISE DE UM CASO CLÍNICO DE PACIENTE COM ESPASMOS ATÍPICOS

Autor(es):  FRANZOLOSO, Caique Lima Sette; LOUTF, Alessandra Pacheco; SETTE, Maria  Tereza de Lima
RESUMO: Análise de caso de um sujeito de 45 anos de idade, aposentado por invalidez, aqui chamado de Charles, que é o mais velho entre seis irmãos e tem três filhos. A queixa principal apresentada por Charles é um forte tremor nos braços que iniciou por volta dos 25 anos. Seu histórico clínico demonstra que teve um parto demorado, sofreu dois atropelamentos, um por moto e o outro por um trator, um acidente de carro, uma lesão causada por uma faca e uma descarga elétrica. Já realizou diversos exames e está sendo acompanhado por uma psicóloga e um neurologista sem diagnóstico preciso até o momento. Apresenta uma grande rigidez no tônus muscular em toda a região superior do corpo, o que indica um caráter rígido, porém com traços de oralidade.
Palavras-chave: Espasmos. Oral. Rígido. Movimentos Involuntários.


INTELIGÊNCIA SISTÊMICA

Autor(es):  FREITAS, José Fernando
RESUMO: Proposta de modelo de psicoterapia que integra várias abordagens: Psicossomática de G. Groddeck, Análise Bioenergética de A. Lowen, Biossíntese de D. Boadella, Biodinâmica de G. Boyesen, Terapia Sistêmica de B. Hellinger. Descrição de dez itens fundamentais para descobrir o problema real do cliente, suas origens e como tratá-lo. Para isso é necessário saber trabalhar com a realidade interna do cliente, assim como sua realidade externa. Como estabelece seus relacionamentos intrapessoais, interpessoais e sua colocação sistêmica. A partir da compreensão do que é saudável e doentio, pode-se estabelecer um caminho adequado para a resolução dos problemas do cliente.

Palavras-chave: Corpo. Relacionamento. Psicoterapia Corporal. Psicossomática. Terapia Sistêmica.


TERAPIA DE INTELIGÊNCIA SISTÊMICA: RELACIONAMENTOS INTRAPESSOAL, INTERPESSOAL E SISTÊMICO.

Autor(es):  FREITAS, José Fernando
RESUMO: Demonstração do modelo de Inteligência Sistêmica utilizando uma série de ferramentas de trabalho para o diagnóstico do problema real do cliente, suas origens e o caminho do tratamento. A integração dos conceitos básicos da Psicossomática de G. Groddeck, da Análise do Caráter de W. Reich, da Análise Bioenergética de A. Lowen, da Biossíntese de D. Boadella, da Biodinâmica de G. Boyesen e da Terapia Sistêmica de B. Hellinger foi a base desse trabalho psicoterápico. As referências internas de vida desenvolvidas pelo cliente definem a forma de estabelecer os relacionamentos consigo mesmo, com os outros e com os sistemas a que pertence. Se forem saudáveis implicarão em escolhas adequadas para a vida. Caso contrário, haverá um sério comprometimento em todos os níveis de relacionamento.

Palavras-chave: Corpo. Relacionamento. Psicoterapia Corporal. Psicossomática. Terapia Sistêmica.


A DOENÇA COMO LINGUAGEM: A PSICOSSOMÁTICA DE GEORG GRODDECK

Autor(es):  FREITAS, Leonardo Moura.; SANTOS, Manoel Antonio
RESUMO: A Psicossomática é um campo do conhecimento que fornece um aparato teórico-conceitual de reconhecido valor heurístico para lidar com as questões que permeiam o percurso do adoecimento, uma vez que contempla a interface mente-corpo e a singularidade da experiência da doença. Inserida nesse campo, a obra do médico alemão Georg Walther Groddeck merece ser reconhecida por seu pioneirismo e sua capacidade de sensibilizar os leitores para a riqueza do processo saúde-doença. Tal processo é compreendido como um ato criativo do próprio indivíduo, em sua relação com o mundo e a natureza
Palavras-chave: Corpo. Psicossomática. Georg Groddeck. Doença. Somatização.


CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA SISTÊMICA E DA PSICOLOGIA CORPORAL PARA O ATENDIMENTO DE CASAIS HOMOAFETIVOS

Autor(es):  GAVLIK, Marlon. J. M.; VOLPI, Sandra Mara
RESUMO: Conceitos como o casal e a família apresentaram muitas transformações ao longo dos anos, tendo se transformado muito até a era moderna. O casamento homoafetivo também partiu de processos de mudança, da clandestinidade até a visibilidade social e o início da conquista de direitos na pós-modernidade. O objetivo desse trabalho foi realizar uma revisão teórica a respeito de atendimentos de casais homoafetivos a partir das abordagens Sistêmica e Corporal, ressaltando as contribuições das duas abordagens e comparando-as entre si. A partir do levantamento de dados percebeu-se que a Psicologia Sistêmica apresenta um grande arcabouço teórico para o atendimento de casais homoafetivos, apresentando algumas leituras específicas para esse público. A Psicologia Corporal, por sua vez, apresenta discussões interessantes em paralelo com a Psicologia Sistêmica. Concluiu-se que embora as duas abordagens sejam diferentes tanto prática quanto teoricamente, a junção das duas na psicoterapia do casal pode ser muito interessante e eficaz.
Palavras-chave: Casal Homoafetivo. Psicoterapia de Casal. Homossexualidade. Psicologia Sistêmica. Psicologia Corporal.


DO DESEJO DE GESTAR ATÉ A AMAMENTAÇÃO: UMA VISÃO DA PSICOLOGIA CORPORAL

Autor(es):  GRANATO, Liz.; VOLPÍ, Sandra Mara
RESUMO: O presente artigo tem como finalidade discorrer a respeito da importância da preparação do corpo dos pais e do desejo de gestar, e, após o nascimento do bebê como fica o aspecto da amamentação: as intenções, a disponibilidade e qualidade, as sensações e a energia colocada em cada momento. Também ressalta como ficam os registros das sensações pelo bebê, o que pode acarretar prejuízos futuros.
Palavras-chave: Gestação. Caráter. Energia. Pais. Sensações.


MEDICINA E PALHAÇO: O PESO E A LEVEZA NA PRÁTICA PROFISSIONAL

Autor(es):  HASEGAWA FILHO, Roberto Koya
RESUMO: Até que ponto cabe uma atitude de leveza frente à doença? Se a doença é um momento de peso, como pode o profissional agir frente a esse quadro? O presente texto é uma tentativa de mostrar o que é ser palhaço, apesar de ser um estado que deve ser vivido, e como o médico (e outros profissionais) poderia se aproveitar dessa nobre arte para aprimorar seus relacionamentos com seus pacientes.

Palavras-chave: Doença. Medicina. Palhaço.


COMO CORPORIFICAMOS A DOENÇA? UM PARALELO ENTRE A MEDICINA TRADICIONAL E A PSICOLOGIA CORPORAL

Autor(es):  HASEGAWA FILHO, Roberto Koya; VOLPI, José Henrique
RESUMO: A doença é uma segunda identidade nossa. Não adoecer é simplesmente uma impossibilidade. E apesar de ser uma manifestação muito pessoal, existe uma forma mais generalizável e reproduzível de analisá-la. Partindo de uma dupla de animações, a discussão se inicia na avaliação sobre como a doença é vista pela medicina tradicional. Numa linguagem mais técnica, a questão é qual o paradigma estabelecido pela medicina. Complementando a discussão, são aventadas possibilidades sobre como a psiciologia corporal poderia contribuir na avaliação do paciente.
Palavras-chave: Afeto. Doença. Humanização. Medicina.


NAVEGANDO NA ONDA DO PRAZER: KUNDALINI E POTÊNCIA ORGÁSTICA.

Autor(es):  HENRIQUES, Antonio Roberto de Sousa, EISENREICH, Alessandra da Silva e DE NADAL, Luciana Garbini
RESUMO: A abordagem terapêutica reichiana tem muitas aproximações com a visão oriental. A observação de Reich do movimento livre apresentado pelo paciente após um relativo desbloqueio energético se assemelha à descrição do movimento da Kundalini. Este artigo pretende fazer um paralelo entre as duas visões.

Palavras-chave: Chakras. Couraças. Kundalini. Orgasmo. Potência Orgástica.


QUALIDADE DE VIDA DE PRATICANTES DA DANÇA DO VENTRE

Autor(es):  HERNANDES, Janete Capel; PORTO, Celmo Celeno
RESUMO: O objetivo é estudar a qualidade de vida de praticantes da dança do ventre. É um artigo de revisão baseado em Reich e foi elaborado utilizando arti
gos das principais bases de dados. O conceito de qualidade de vida surgiu na década de 1970 em função dos avanços na medicina. A dança do ventre é de origem egípcia e surgiu há 7.000 anos a.C., com uma conotação sagrada. É uma técnica de expressão corporale artística que transpôs os limites de tempo e espaço. Tal fato se deve principalmente aos benefícios que causa, que vão desde melhoria na postura e outros decorrentes da constante movimentação pélvica. Na dança considera-se mente e corpo de forma integrada e busca-se uma ampliação da conscientização corporal. A bailarina e a dança se fundem e se transformam. É tendo por base a teoria reichiana que se entende que a dança, por ser uma atividade em que o corpo e os sentimentos estão totalmente integrados e envolvidos, pode contribuir para a dissolução das couraças e consequentemente, para a melhoria da qualidade de vida de suas praticantes.
Palavras-chave: Dança do ventre. Feminino. Psicoterapias corporais. Qualidade de vida. Reich.


BRINCAR NA ESCOLA: EM BUSCA DE UMA SAÚDE VIBRANTE

Autor(es):  KITAMURA, JENIFER Malgarin
RESUMO: A proposta deste artigo é apresentar os benefícios da inserção de atividades lúdicas do brincar na escola. A mesma pode ser compreendida como facilitadora para o processo da aprendizagem infantil, objetivando favorecer a evolução psíquica e o seu desenvolvimento, pois é com o uso destas brincadeiras que se pode recuperar a energia vital da escola, professores e alunos. Mas de modo geral, propõe-se que com ações lúdicas, espontâneas e saudáveis, consigamos apresentar como maior benefício a prevenção a neuroses. Acredita-se que com o brinquedo a criança é capaz de reviver sua verdadeira expressão e mais facilmente encontrar a sua autorregulação, se também em seu caminho estiverem adultos instruídos para tal. Assim como a proposta da Bioenergética, brincar na escola é uma atividade que busca e objetiva sempre o prazer, e não a dor.
Palavras-chave: Brincar. Crianças. Escola. Neurose. Psicologia Corporal.


INTERVENÇÃO PRECOCE, VÍNCULO MÃE-BEBÊ E MUSICOTERAPIA EM UTI NEONATAL

Autor(es):  KOATZ, Gabriela Lorenzo Fernandez
RESUMO: Ter um filho internado em uma Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) é angustiante para a mãe, fato este que provoca tensão física e emocional à mãe, que chamamos de couraças na maternagem. As couraças na maternagem dificultam o estabelecimento do vínculo mãe-bebê. A mãe precisa ser acolhida pela equipe de saúde que atua na UTIN visando oferecer um mínimo de tranquilidade ao seu filho. A musicoterapia em internação hospitalar pode ser uma das formas de alívio desse estresse, apesar de ainda ser incipiente sua inserção nos serviços de UTIN. O objetivo geral deste trabalho é apresentar o estudo desenvolvido no curso de Especialização em Atenção Integral à Saúde Materno-Infantil na Maternidade Escola da UFRJ. Neste estudo, é apresentado como a musicoterapia pode realizar uma intervenção precoce com mães de bebês internados em UTIN, a partir do alívio da ansiedade da mãe através das canções e da mobilização corporal dessas mães, para a promoção da saúde de ambos – mães e bebês. Esta pesquisa se desenvolveu a partir de uma revisão teórica sobre: “maternagem”, “musicoterapia”, “corpo”, “UTI Neonatal”, “cuidado e humanização em UTIN” e “intervenção precoce”.
Palavras-chave: Musicoterapia. UTI Neonatal. Vínculo mãe-bebê. Intervenção precoce. Corpo.


O MÉTODO PADOVAN ™ DE REORGANIZAÇÃO NEUROFUNCIONAL

Autor(es):  LASAGNO, Arthur Gaiarsa Simões
RESUMO: Na década de 60 uma mulher baiana chamada Beatriz Padovan lecionava em uma escola Waldorf localizada na cidade de São Paulo. Nesta época deparou-se com algumas crianças que, apesar de serem inteligentes, apresentavam dificuldades de aprendizagem. Observando-as notou o fato de que as mesmas crianças tinham dificuldades flagrantes na coordenação motora fina e/ou na coordenação motora global. Isso corroborava com a hipótese levantada por Rudolph Steiner em sua conferência intitulada Andar, Falar e Pensar, na qual falava sobre a interdependência entre os processos motores e cognitivos nos primeiros anos de vida da criança. Passado algum tempo um desses alunos foi diagnosticado como disléxico. A fim de entender mais sobre tal assunto Beatriz Padovan foi estudar fonoaudiologia na Escola Paulista de Medicina. Ao fim do curso ela conheceu os trabalhos do Neurologista norte americano chamado Temple Fay que apontavam para a plasticidade do sistema nervoso. Na esteira destes acontecimentos foi convidada a dar aula em uma especialização da Universidade de São Paulo que visava uma troca de conhecimentos entre de ortodontistas e fonoaudiólogos.
Palavras-chave: Método Padovan. Reorganização Neurofuncional. Terapia Corporal.


A OBESIDADE COMO UM SINTOMA PSICOSSOMÁTICO

Autor(es):  LEITNER, Priscilla de Castro Campos
RESUMO: A obesidade, e a intervenção sobre ela, constituem um desafio ainda presente à diversas áreas do conhecimento, seja a neuroendocrinologia, nutrição e psicologia. Apesar dos diversos trabalhos e pesquisas sobre o tema, ainda é presente a fragilidade dos processos e os altos índices de insucesso. Este trabalho tem a intenção de apresentar princípios básicos do entendimento da obesidade como um sintoma psicossomático e propor uma possibilidade de intervenção psicoterapêutica frente aos desafios e desdobramentos contemporâneos do tema. Realizando um percurso conceitual partindo da identidade corporal contemporânea, para uma leitura teórica da Psicossomática e da Análise Bioenergética para chegar à compreensão da doença como uma falha na defesa caracterial do obeso no seu desenvolvimento psicoemocional.
Palavras-chave: Obesidade. Psicologia Corporal. Psicossomática.


EXPRESSÕES EMOCIONAIS EM RESPOSTA A EXPERIÊNCIAS DE EMERGÊNCIA OU A VISÃO DO CONTINUUM DO ESTRESSE DE STANLEY KELEMAN

Autor(es):  LEMOS, Carmem
RESUMO: O projeto do corpo humano tem uma trajetória autoformadora de si mesma fundada no processo biológico evolutivo que se constitui na criação da subjetividade somática. Essa autoformação apresenta-se nas dimensões biopsicossocial. As expressões emocionais, que emergem como respostas a experiências de emergência, podem ser compreendidas através do continuum do susto e do estresse criado por Stanley Keleman no contexto da sua filosofia educativa e clínica chamada Psicologia Formativa. Esse trabalho apresenta o dinamismo da formação das respostas somáticas e emocionais diante de desafios e agressões e o modo de influenciá-las no sentido da organização de um estilo próprio de vida pessoal e quiçá da sociedade ao lado da preservação da saúde.
Palavras-chave: Continuum do estresse. Corpo. Experiência somática e emocional; Formatividade. Reflexo do susto.


A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NO PROCESSO TERAPÊUTICO COM CRIANÇAS, UM DIÁLOGO ENTRE A PSICANÁLISE WINNICOTTIANA E A ANÁLISE BIOENERGÉTICA

Autor(es):  LIMA, Nadja Nunes; NASCIMENTO, Perisson Dantas
RESUMO: Esse trabalho objetiva fazer uma revisão bibliográfica sobre a importância psicodinâmica do brincar no desenvolvimento infantile a aplicação teórica e técnica dentro da Psicanálise Winnicottiana e da Análise Bioenergética na psicoterapia infantil. Para Winnicott, no brincar, a criança gradativamente se diferencia como um indivíduo e exerce seu potencial criativo, pois serve como um elo entre as manifestações internas da criança (fantasias) e os objetos do meio externo (real).Na terapia infantil bioenergética o brinquedo é também entendido como objeto transacional, facilitador para a entrada no mundo da criança, sem interromper seu circuito energético. O brinquedo simboliza o corpo, podendo representar a tensão corporal a ser elaborada, sendo assim fonte de diagnóstico e intervenção terapêutica considerando a criança como ser em desenvolvimento plástico do ego.
Palavras-chave: Análise Bioenergética; Psicoterapia infantil; Brincar; Winnicott.


 CORAÇÃO… CORAGEM

Autor(es):  MACCARINI, Renato Moretto
RESUMO: Coração, o imperador de nossas emoções, onde os braços se enraízam e tem como seus ramos as mãos capazes de dar e receber, bater e acariciar. Através do coração podemos nos aproximar ou nos afastar, abraçar ou empurrar. É o imperador quem mais sofre quando seu reino – o corpo – padece perante os caprichos da mente. Quando ela quer esconder o que ele sente… quer mostrar que não se intimida perante alguns desafios, desconsiderando que mesmo para sentir medo é preciso ter coragem.
Palavras-chave: Coração. Coragem. Corpo. Emoção. Medo.


APRENDENDO A LIDAR COM AS PRÓPRIAS RAIVAS GUARDADAS

Autor(es):  MACHADO, Carine da Costa; RONZANI, Paulo Sergio Villela
RESUMO: A expressão da raiva como libertadora de sentimentos, por meio de uma vivência onde os participantes entram em contato com este sentimento, podendo expressá-la de uma forma adequada sem a necessidade de destruir alguém ou se sentir culpado. Possibilitar um contato com o sentimento de raiva e descarregar as tensões ancoradas no corpo, bem como tomar consciência que a energia da raiva é a mesma que nos faz amar.
Palavras-chave: Bloqueio. Emoções. Energia. Raiva. Restauração.


CARÁTER ORAL E SUAS COBERTURAS

Autor(es):  MACHADO, Carine da Costa; VOLPI, José Henrique
RESUMO: Grande parte da população brasileira carrega em si algum grau do traço de caráter oral, seja pela dependência, infantilidade, obesidade, depressão e outros. Alguns sentimentos marcantes deste caráter também são comuns, como o desamparo, a solidão, os ressentimentos ou até a sensação de vazio que tanto afligem estas pessoas. Sendo assim, este estudo mostra um detalhamento, tanto da estrutura quanto dos traços do caráter oral, relacionando com algumas coberturas tais como a analidade e a falicidade, apontando as diversas manifestações do caráter oral e fazendo uma análise entre as coberturas caracteriais e suas possíveis patologias.
Palavras-chave: Caracterologia. Caráter Oral. Traços de caráter. Psicologia Corporal.


A COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL SOB UMA PERSPECTIVA DE GÊNERO

Autor(es):  MACIEL, Sirley Machado;  LUZ, Nanci Stancki
RESUMO: Ao definir se uma pessoa tem o corpo de menino ou de menina, a sociedade também tende a,junto com essa constatação, seguir impondo seu gênero e sua orientação sexual. Essas imposições aos papéis atribuídos marcam os corpos e contribuem para a continuidade de desigualdades e opressões. Os corpos, masculino e feminino, carregam, em suas expressões, as marcas dessas desigualdades e dessas opressões, que são transmitidas por meio da comunicação não verbal. É fundamental compreendermos essas desigualdades e constatá-las nesse tipo de linguagem, para que, possamos romper as desigualdades de gênero e construir corpos capazes de se manifestar, de se comunicar com mais harmonia, eficiência, desenvoltura, com mais expressão, mais poder e mais liberdade, contribuindo, dessa forma, para a efetivação da cidadania, que sempre será incompleta, sem a liberdade da expressão corporal criativa.
Palavras-chave: Comunicação. Comunicação não-verbal.Gênero.


EXERCÍCIOS DE BIOENERGÉTICA E AUTOEXPRESSÃO NA ARTE DE CANTAR

Autor(es):  MACZUGA, João Paulo; VOLPI, Sandra Mara
RESUMO: O canto é uma forma de expressão das emoções e dos sentimentos do ser humano. Na Bioenergética a autoexpressividade é a chave que regula nossa saúde. Esta pesquisa teve o objetivo de verificar através da aplicação de exercícios de Bioenergética e de autoexpressão em um grupo de mulheres que cantam quais as contribuições dos exercícios para os praticantes de canto.
Palavras-chave: Autoexpressão. Bioenergética. Canto. Exercícios.


A AMAMENTAÇÃO NA CONSTRUÇÃO DO EU

Autor(es):  MARTINS, Álvaro; PERA, Karina de Souza
RESUMO: O ser humano vivencia diversas etapas em seu desenvolvimento emocional, desde o momento da concepção à formação de seu caráter. Na medida em que o sujeito vai se desenvolvendo, ele vai construindo um jeito de sentir a própria vida e de se relacionar com o outro. Nesse processo, o ato de amamentar é essencial, uma vez que a construção da base emocional do bebê e, consequentemente, da estruturação do seu Eu, se dá numa maternagem amorosa. Desse modo, a falta ou a perda desse cuidado, gerará consequências na forma como o indivíduo sente e percebe a vida.
Palavras-chave: Energia. Couraça. Etapa de Incorporação. Amamentação.


O MEDO DE AMAR: UMA REFLEXÃO BIOENERGÉTICA

Autor(es):  MAURICI, Jerusa; VOLPI, Sandra Mara
RESUMO: Vivemos em um mundo de aparências, onde a entrega ao prazer e ao amor está prejudicada. As pessoas têm medo do envolvimento. Podem até se envolver, mas esta entrega vai até um certo ponto. O medo de se entregar ao amor decorre do conflito entre o ego e o coração. Dentre os traços de caráter apresentados pela Psicologia Corporal, neste trabalho daremos ênfase em estudar e entender a dificuldade do fálico-narcisista em entrar em contato com seu verdadeiro eu e em estabelecer relações duradouras e verdadeiras, sem necessitar estar o tempo todo no controle da situação e dos sentimentos.
Palavras-chave: Amor. Coração. Narcisismo. Psicologia Corporal.


ANÁLISE REICHIANA ESPIRITUAL

Autor(es):  MELO, MARIA
RESUMO: Quem somos nós? Somos nossa personalidade, nosso corpo físico, emocional e mental. Mas somos mais do que isto. Somos também corpos espirituais, como por exemplo, a alma ou eu superior, como é chamado em várias tradições espirituais. Deixar de lado nossa dimensão espiritual é reduzir muito nossa consciência e nossa fonte de energia mais potente, mais capaz de curar a nós mesmos e de sermos canais de cura, irradiarmos vibrações energéticas mais altas, e mais sutis, que ressoam no outro, no mundo físico e no cosmos, alavancando a vitalidade, a neguentropia, de tudo que toca. Curando. Este salto evolutivo de consciência de si mesmo como um sistema energético, algo muito além do meramente físico/emocional/mental é fundamental para todas as pessoas. Para um psicoterapeuta, um curador, é indiscutivelmente necessário.
Palavras-chave: Corpo. Espiritual. Consciência. Energia. Psicologia. Reich.


OS SONHOS COMO CAMINHO DE CURA

Autor(es):  MELO, MARIA
RESUMO: Sonhar se aprende e se desenvolve! Torne-se um bom sonhador! Nesta vivência contaremos nossos sonhos e trabalharemos alguns . Aprenderemos as senhas para acessar o nosso ‘mestre dos sonhos’, nossa consciência maior, nossa alavanca de evolução como pessoa e como ser humano-divino. O método de trabalho envolve técnicas verbais e corporais. Os sonhos dão um mapa do que está acontecendo agora com você enquanto sistema energético. Mostra como sua energia está funcionando, onde e como está bloqueada. Além disto, indicam o caminho a seguir para alavancar sua energia, sua vitalidade, ou, em outras palavras, ampliar sua consciência de si mesmo como pessoa. Este processo vai te ensinando a acessar fontes de energia e de consciência, fontes de cura, cada vez mais potentes em seu próprio ser.
Palavras-chave: Sonhos. Cura. Ampliar. Energia. Consciência. Interpretar. Alavancar.


CORPO E ESPIRITUALIDADE

Autor(es):  MIRANDA Renato Nascimento
RESUMO: O objetivo deste trabalho é apontar e discutir possíveis pontos de comunicação entre a doutrina espírita codificada por Allan Kardec e a psicoterapia criada por Willhem Reich e desenvolvida por Federico Navarro, a vegetoterapia caracteroanalítica, além de outras terapias corporais. Apresentando um breve histórico sobre a doutrina espírita e sobre a psicologia reichiana serão abordados alguns pontos de diferenciação, pontos de concordância e contribuições possíveis entre ambas as abordagens, desenvolvendo e estimulando novos diálogos e olhares para algumas questões humanas. O foco da discussão será sobre temas como o desenvolvimento caracterológico, tratamento psicológico, evolução espiritual e exploração da relação entre espiritualidade, corporalidade e mediunidade.
Palavras-chave: Análise do Caráter. Espiritismo. Reich. Vegetoterapia.


INFLUÊNCIA DA PSICOTERAPIA EM GRUPO NA REABILITAÇÃO PRECOCE PÓS PROSTATECTOMIA RADICAL

Autor(es):  NACCARATTO, Angela
RESUMO: Avaliar o impacto da psicoterapia de grupo na reabilitação precoce de pacientes com câncer de próstata (CaP) submetidos à prostactectomia radical (PR). Integraram a pesquisa 53 pacientes do Ambulatório de Urologia Oncológica do Hospital das Clínicas -UNICAMP. Os pacientes foram divididos em 4 grupos randomizados com diferentes combinações das variáveis: atendimento somente com médico, medicação, psicoterapia em grupo. Cada grupo teve 2 encontros antes da cirurgia e após a cirurgia 12 encontros realizado semanalmente. No final, os pacientes foram novamente entrevistados.
Palavras-chave: Câncer de Próstata. Psicoterapia de Grupo. Qualidade de Vida. Disfunção Erétil. Prostatectomia Radical. Inibidores de Fosfodiesterase.


GRUPO DE MOVIMENTO: CONCEITUAÇÃO, ESTADO DA ARTE E APLICAÇÃO NA ÁREA EDUCACIONAL

Autor(es):  NOGUEIRA, Tânia Alves; ALBERTINI, Paulo
RESUMO: Pretende-se apresentar as questões levantadas e discutidas na dissertação “Grupo de Movimento: conceituação, estado da arte e aplicação na área educacional”. Trata-se de uma pesquisa teórica, cujo objetivo foi mapear e analisar as publicações existentes acerca do Grupo de Movimento. Realizamos uma revisão de literatura, abrangendo dissertações, monografias, artigos e resumos. A partir da análise de 26 estudos publicados sobre o tema encontramos contribuições positivas para área social, educacional e psiquiátrica, mas também a necessidade de pesquisas que ampliem a discussão teórica e metodológica acerca dessa intervenção oriunda da abordagem reichiana e neorreichiana.
Palavras–chave: Abordagem corporal. Educação. Grupo de Movimento, Wilhelm Reich.


ELETROACUPUNTURA E BIOENERGÉTICA: EFEITOS NEUROQUÍMICOS NO FLUXO ENERGÉTICO

Autor(es):  PANDINI, Agnaldo; VOLPI, Sandra Mara
RESUMO: Os desequilíbrios energéticos de um organismo vivo levam a disfunções emocionais que desencadeiam desarmonia anatômica, restrições comportamentais, bloqueios, entre outros. Nesse sentido, este artigo apresenta um estudo bibliográfico sobre os efeitos da Eletroacupuntura e da Bioenergética para o equilíbrio do fluxo de energia corporal, para que de maneira harmoniosa, ou seja, tanto da energia do corpo quanto do sistema nervoso, sejam desbloqueados os pontos de energia estagnada, e assim se movimentem e se renovem. A Eletroacupuntura e a Bioenergética auxiliam na liberação das couraças, acessando conteúdos emocionais inconscientes aprisionados no corpo, reestabelecendo o movimento do fluxo energético.
Palavras-chave: Acupuntura. Bioenergética. Eletroacupuntura. Fluxo energético. Organismo vivo.


A QUESTÃO DA BIOENERGIA NA ANÁLISE REICHIANA: UMA MANEIRA DE PENSAR A VIDA

Autor(es):  PAULA, Maria Beatriz Thomé
RESUMO: A pesquisa de Wilhelm Reich da Análise do Caráter à Orgonomia, o foco de Ola Raknes e Federico Navarro na história pessoal contida nos segmentos do corpo e a busca de Genovino Ferri ao interligar a análise da linguagem verbal, análise da linguagem corporal e análise da linguagem dos traços de caráter, têm a Vida como base de observação da pesquisa. No âmago da vida está a energia que funciona afetando o destino de todos nós. O entrelaçamento de vidas forma um padrão ao longo do tempo: o caráter das relações. Energia é uma informação que pode ser associada ao pensamento “Estou vivo!”. Neste artigo observaremos o movimento da teia da Vida nas interelações: a maneira de pensar da Análise Reichiana.
Palavras-chave: Análise Reichiana. Energia Vital. Federico Navarro. Genovino Ferri. Linguagem Corporal. Linguagem Verbal. Ola Raknes. Orgonomia. Reich. Traços de Caráter.


UM MÉTODO DE TRABALHO TERAPÊUTICO NA CLINICA REICHIANA

Autor(es):  PAULA, Maria Beatriz Thomé
RESUMO: Sabemos que a criança muda de acordo com aquele que a observa. Na análise Reichiana ela é tocada por outro observador, o que abre novas possibilidades no viver. Este conceito acaba levando à conclusão de que o berço da identidade está na conexão eu+relação. A análise Reichiana recolhe todos os sinais gravados desde a concepção, que fizeram a pessoa ser o que ela é, que formaram seu caráter. A análise Reichiana, a partir de um diagnóstico, elabora um projeto terapêutico e diagnóstico do caráter da relação no setting terapêutico.
Palavras-chave: Análise Reichiana. Caráter. Identidade. Método. Observador. Relação. Sinais Gravados.


ENERGIZANDO O CUIDADO EM SAÚDE: CONTRIBUIÇÕES E INICIATIVAS DAS PSICOTERAPIAS CORPORAIS EM ESPAÇOS PÚBLICOS E PRIVADOS

Autor(es):  PAULINO, Laíza de Carvalho; NASCIMENTO, Périsson Dantas
RESUMO: O trabalho tem por objetivo realizar uma análise a partir da revisão de literatura sobre iniciativas de aplicação da psicoterapia corporal em diferentes espaços de saúde no Brasil, numa perspectiva de ampliação do acesso aos benefícios que as diferentes terapias podem trazer para além da clínica privada e individual. Foram estudados artigos com experiências relatadas no período de 2002 a 2012, abrangendo anais de congressos, livros e revistas especializadas. Percebeu-se que as psicoterapias corporais em suas diversas abordagens estão sendo aplicadas em contextos múltiplos, tais como UBS, hospitais, CAPS e com diversos públicos, contribuindo para a humanização do cuidado em saúde pública e promovendo uma atuação integrativa, questionando o modelo biomédico hegemônico.
Palavras-chave: Psicologia aplicada. Psicoterapias corporais. Saúde pública.


DA ENERGIA AO CONTATO: UM DIÁLOGO POSSÍVEL ENTRE MÉTODO MÃE CANGURU E A PSICOLOGIA CORPORAL

Autor(es):  PEREIRA, Karine Aguiar de Oliveira; VOLPI, José Henrique
RESUMO: Tomar consciência sobre si, sobre o próprio corpo, através da postura, da respiração e das sensações é o que a Psicologia Corporal se norteia há muito tempo. O método Mãe Canguru, através de uma intervenção simples, com um posicionamento adequado, pode influenciar o desenvolvimento neurossensorial de uma criança, proporcionando um conforto maior e incrementando a sua função respiratória. Fazendo com que o método mãe canguru e Psicologia Corporal transite em suas diferentes áreas, mas com o mesmo objetivo: que o contato se estabeleça a energia flua o bem-estar da mãe e do recém-nascido aconteça.
Palavras-chave: Mãe Canguru. Psicologia Corporal. Desenvolvimento. Energia.


EUTONIA E CONTATO

Autor(es):  PINTO, Luciana Pereira Gomes

RESUMO:  A Eutonia, como prática corporal que visa a ampliação da awareness, pode ser considerada uma terapia do contato, assim como a Gestalt-terapia.  Trazendo a atenção aos processos corporal e buscando se movimentar a partir dos ossos, o individuo alcança um estado de presença e um estar no aqui e agora que o permite se reponsabilizar por sua escolhas na vida. A Eutonia amplia o contato consigo e com os outros, respeitando seus processos internos, buscando a alteridade.
Palavras-chave: Eutonia. Movimento. Terapia corporal. Contato.


O OLHAR E A PRESENÇA NO PRESENTE INSTRUCIONALIZADOS PELA VEGETOTERAPIA CARACTEROANALÍTICA

Autor(es):  ROCHA, Ana Rosa
RESUMO: O que afasta uma pessoa de si mesma, impedindo que a vida siga um curso natural, com alegrias nas escolhas, força para enfrentar as adversidades, maturidade para aceitar a diversidade, é a grande distancia que o ser humano tem entre ele mesmo e sua consciência. Uma consciência que está dissociada do momento presente, gerando ansiedade, enfraquecendo a capacidade de atenção e de concentração. A dispersão passa a ser um lugar comum na vida deste indivíduo. Com a mente “à deriva”, sem capacidade de dirigir a própria vida, a ansiedade aumenta. Está instalado um ciclo vicioso que afasta o indivíduo dele mesmo. Faz-se necessária uma revolução interna que demanda um alongamento do olhar sobre si mesmo levando o indivíduo a sentir o presente, a conceber e a perceber sua vida. Estes instrumentos e instruções a Vegetoterapia Caracteroanalítica oferece ao paciente que se predispõe a entrar em terapia. Através do fortalecimento do olhar, pacientes passaram a se sentir mais atuantes nas próprias vidas, mais titularizados de si mesmos à medida que conseguiram colocar efetiva “presença no seu presente”.

Palavras-chave: Consciência. Olhar. Vegetoterapia Caracteroanalítica.


A PSICOTERAPIA CORPORAL E AS MANIFESTAÇÕES AMOROSAS NO TRATAMENTO

Autor(es):  RONZANI, Paulo
RESUMO: O presente artigo relata de onde vem e o que é a Psicoterapia Corporal. Entre as abordagens que tratam os problemas emocionais são citadas a Vegetoterapia Caracteroanalítica, sistematizada por Federico Navarro, e a Bioenergética, criada por Alexander Lowen. Discute os objetivos da psicoterapia, o uso de técnicas corporais, a transferência e as manifestações amorosas durante o processo terapêutico. Como essas últimas constituem importante material de trabalho psicoterapêutico, o texto dá referências de como interpretá-las e manejá-las, podendo o psicoterapeuta exercer bem o seu papel e ajudar o seu paciente a amadurecer e construir uma vida mais feliz.
Palavras-chave: Bioenergética. Contratransferência. Erotismo. Transferência. Vegetoterapia.


RESIGNIFICANDO ARQUÉTIPOS NA ÁRVORE FAMILIAR

Autor(es):  SAÊTA, Lorena Belchior
RESUMO: O contato de um indivíduo com o sistema psíquico familiar de origem pode torná-lo mais cônscio de si, bem como ajudá-lo na compreensão de seus próprios movimentos ou atuações. O campo sistêmico familiar ou psique familiar muitas vezes é denso em conteúdos emocionais, que podem ser negativos e impossibilitar o que Carl Gustav Jung chama de processo de individuação. Esse processo diz respeito a “tornar-nos nós mesmos”, fazendo escolhas de forma mais consciente, sem sermos sugados ou tomados por questões de nossos ancestrais.Ao trazer à luz alguns arquétipos enraizados na árvore familiar, torna-se possível resignificá-los. E dessa forma pode-se observar uma nova ordem emocional e um sistema-corpo mais livre para novos movimentos nas relações intra e inter pessoais.
Palavras-Chave: Arquétipos. Árvore Familiar. Consciência. Inconsciente. Resignificar


MEDITAÇÃO, ANSIEDADE E MANUTENÇÃO DO PESO CORPORAL

Autor(es):  SAMPAIO, Cynthia
RESUMO: A obesidade é considerada, na atualidade, um problema de saúde pública por sua alta prevalência. Um dos maiores desafios no tratamento da obesidade é a manutenção do peso corporal. A ansiedade é um sintoma frequente na dinâmica da personalidade de indivíduos obesos ou com sobrepeso sendo um fator que pode desencadear a busca por alimentos como forma de aliviar a tensão. Os altos percentuais de insucessos terapêuticos e de recidivas mostram que é preciso investigar alternativas para a eficácia do tratamento da obesidade, descobrindo novos recursos de intervenção que evitem o reganho do peso corporal. A meditação tem se mostrado especialmente útil quando associada a abordagens tradicionais. Diversas pesquisas demonstram que esta prática pode reduzir a ansiedade, sendo um instrumento que pode contribuir para os programas de emagrecimento.
Palavras-chave: Ansiedade. Manutenção do peso. Meditação. Obesidade.


A POSTURA E O MOVIMENTO DO CORPO COM ENFOQUE NA FISIOTERAPIA E NA PSICOLOGIA CORPORAL

Autor(es):  SCHULER, Karina Ferri
RESUMO: O movimento humano acontece através das estruturas que formam o corpo. Para que este movimento seja funcional as estruturas precisam estar em condições de saúde e desbloqueio energético. As estruturas corporais quando estão em bloqueio energético dificultam a mobilidade articular e o movimento do corpo. Quando a contração e o bloqueio são intensos forma o que chamamos de couraça muscular, a qual dificulta a circulação livre da energia e impede o movimento funcional gerando uma postura inadequada para o indivíduo. O tratamento postural com enfoque fisioterapêutico visa a mobilização das estruturas associadas ao movimento transformando, através de recursos terapêuticos, a postura de não-fisiológica para fisiológica. A vegetoterapia atua à nível emocional e energético visando o desbloqueio energético dos segmentos corporais e à mobilização da energia para que esta circule livremente no corpo, assim como a emoção possa ser expressa de uma maneira saudável e formando um indivíduo com uma estrutura corporal mais fisiológica. A postura corporal com tratamento baseado na Fisioterapia e na Psicologia Corporal retorna ao seu funcionamento equilibrado e fisiológico gerando saúde e completo bem-estar ao indivíduo.
Palavras-chave: Actings. Couraça muscular. Movimento Corporal. Músculos. Postura Corporal.


DO PENSAMENTO À SENSAÇÃO, DA SENSAÇÃO AO PENSAMENTO: CONTRIBUIÇÕES DA PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA PARA A  PSICOLOGIA CORPORAL

Autor(es):  SILVA, Anabel de Sales
RESUMO: Essa vivência objetiva o desbloqueio de couraças para uma maior energização corporal. A proposta se dará através de danças de diferentes modalidades, desenvolvendo a movimentação dos anéis de couraça, estressando-os e relaxando-os, com auxílio de técnicas de respiração. Este trabalho, baseado na Psicologia Corporal, buscará trazer a conscientização corporal e emocional, facilitando o livre fluxo energético.
Palavras-chave: Consciência. Dança. Energia. Psicologia Corporal.


CONSCIÊNCIA CORPORAL, DANÇA E ENERGIA

Autor(es):  SILVA, Andressa Melina Becker; LEITNER, Priscilla de Castro Campos
RESUMO: Essa vivência objetiva o desbloqueio de couraças para uma maior energização corporal. A proposta se dará através de danças de diferentes modalidades, desenvolvendo a movimentação dos anéis de couraça, estressando-os e relaxando-os, com auxílio de técnicas de respiração. Este trabalho, baseado na Psicologia Corporal, buscará trazer a conscientização corporal e emocional, facilitando o livre fluxo energético.
Palavras-chave: Consciência. Dança. Energia. Psicologia Corporal.


PLANTÃO PSICOLÓGICO: POSSIBILIDADE DE ATUAÇÃO DA PSICOLOGIA CORPORAL EM SITUAÇÕES EMERGENCIAIS

Autor(es):  SILVA, Andressa Melina Becker
RESUMO: O Plantão Psicológico é caracterizado por ser um atendimento pontual, com no máximo quatro atendimentos, voltado para acolhimento e suporte de queixas específicas do cliente. Assim como o pronto-atendimento em hospitais, o Plantão Psicológico visa os casos emergenciais e/ou de crise, com a diferença que pode ser empregado em qualquer ambiente. Originalmente os serviços de Plantão foram instituídos dentro da Abordagem Centrada na Pessoa, com uma compreensão fenomenológica existencial. Porém, com o passar dos anos, outras abordagens foram se juntando a essa forma singular de atendimento. Tendo em vista as demandas comuns nesses serviços, e suas características metodológicas, percebe-se a capacidade de atuação da Psicologia Corporal.
Palavras-chave: Acolhimento Psicológico. Plantão Psicológico. Psicologia Corporal.


ESTRESSE, AUTORREGULAÇÃO E ESTRATÉGIAS DE ENFRENTAMENTO

Autor(es):  SILVA, Andressa Melina Becker; ENUMO, Sônia Regina Fiorim
RESUMO: O ser humano enfrenta diversos estressores desde a gestação. Sua habilidade em lidar com o estresse pode amenizar o impacto na saúde. Assim, o estresse resulta de um desequilíbrio biopsicossocial entre as demandas internas e externas e as estratégias de enfrentamento. Um fator de proteção nesse contexto é a capacidade de se autorregular frente aos estressores, processo este desenvolvido ao longo da vida. Esta autorregulação é a base da abordagem atual do conceito de enfrentamento (coping), que tem um caráter transacional e desenvolvimentista. A autorregulação é também discutida no conceito Reichiano de “encouraçamento”, visto como um processo de autorregulação em situações de estresse. Neste enfoque psicodinâmico, as estratégias de enfrentamento, que podem ser mais ou menos adaptativas, são entendidas como mecanismos de defesa. Apesar das diferenças teóricas-metodológicas dessas abordagens do coping, traça-se aqui um esboço de aplicação do conceito de autorregulação, em sua inter-relação com o processo de estresse-coping, na Psicologia Corporal.
Palavras-chave: Estresse. Autorregulação. Estratégias de Enfrentamento. Psicologia
Corporal.


LIBERTANDO O CORAÇÃO PULSANTE: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOTERAPIA CORPORAL PARA A PSICOSSOMÁTICA DOS PACIENTES CORONARIANOS

Autor(es):  SILVA, Carla Susana Ribeiro; CASTRO, Antonia Géssica Rodrigues; SOUSA, Nayra Evangelista de Moraes; NASCIMENTO, Périsson Dantas
RESUMO: Este trabalho propõe uma revisão bibliográfica sobre as contribuições da psicossomática e psicoterapias corporais acerca do sistema cardiovascular e suas eventuais disfunções nos pacientes coronarianos. Estudos em psicossomática apontam que tais indivíduos possuem um perfil de personalidade competitivo, impaciente, exigente, intolerante à frustração. Bioenergeticamente,caracterizam-se por apresentar costas e peito rígidos e tensão diafragmática, retração pélvica e respiração de natureza inspiratória. Nesse sentido, as disfunções coronarianas expressam a necessidade do organismo de lidar com a tensão crônica interna decorrente da rigidez muscular e emocional ancorada no encouraçamento, que deve ser flexibilizada na terapia em busca de resgatar o potencial do amor
perdido.
Palavras-chave: Psicoterapia Corporal, Psicossomática, Cardiologia.


PARTO HUMANIZADO: UMA FORMA DE PROFILAXIA PSICOLÓGICA E EMOCIONAL DA MULHER

Autor(es):  SILVEIRA, Patrícia Asinelli; BALDESSIN, Alessandra de Oliveira; FETTER; Christine; SAPELLI; Carlos
RESUMO: Este artigo apresenta aspectos envolvidos na humanização do parto, desde a sua definição até a relação com os profissionais da saúde, tendo como enfoque as contribuições da Psicologia neste campo. O trabalho objetiva identificar as multifaces dos cuidados com as parturientes sob o olhar da assistência humanizada, verificando os efeitos psicológicos das vivências nas mulheres entrevistadas. Por meio de uma pesquisa de campo de abordagem qualitativa, realizamos entrevistas semi-estruturadas e registramos as falas das experiências subjetivas de cinco parturientes, avaliando a importância da implantação do parto humanizado, voltado à promoção da melhora na qualidade de vida e bem-estar da mulher. Utilizamos referenciais teóricos da Psicologia Corporal e da teoria psicanalítica, que nos deram subsídios para fundamentar a interface entre a assistência humanizada e a Psicologia. Portanto, verificamos que as mulheres experienciaram, de formas singulares, a humanização do parto – nos âmbitos estrutural, social e familiar. Da prática humanizada surtiram reflexos favoráveis ao estado psicoemocional das parturientes, com aspectos positivos (como a segurança, a confiança e o conforto), e, na falta deles, foram manifestadas vivências negativas (como a tristeza, a insegurança e o medo).
Palavras-Chave: humanização, parto, psicologia corporal.


MEDO NO CORPO OU MEDO DO CORPO? A CLÍNICA PSICOSSOMÁTICA DO TRANSTORNO DO PÂNICO

Autor(es):  SOUSA, Laíla Gabriela C.; NASCIMENTO, Perisson
RESUMO: O trabalho pretende aprofundar as reflexões atuais acerca da clínica do Transtorno do Pânico, inserindo as contribuições das Psicoterapias Corporais quanto à constituição dos sintomas e o modo como eles são vivenciados no corpo do sujeito, além de discutir as intervenções adequadas. A intenção é fazer um resgate, a partir das perspectivas pós e neoreichianas, sobre a experiência do medo nas defesas de caráter esquizoide, trazendo as implicações na respiração, no metabolismo e na motilidade. Buscando o olhar bioenergético das raízes aos teóricos contemporâneos, o foco é fazer um mapeamento do medo no corpo do indivíduo em nível de segmentos, abordando as áreas a serem mobilizadas na intervenção terapêutica.
Palavras-chave: Transtorno do Pânico; Psicoterapia Corporal; Diagnóstico e Tratamento Psicológicos


A PROMOÇÃO DE SAÚDE E O CARÁTER GENITAL

Autor(es):  SOUZA, Diego Felipe
RESUMO: O presente artigo tem o intento em fazer um breve paralelo entre o conceito de Promoção de Saúde e os objetivos propostos por Wilhelm Reich através de sua teoria e suas técnicas. O texto busca também apontar as principais características de um caráter genital, ou seja, maduro. Sendo o caráter genital o mais saudável, segundo Reich, faz-se a correlação deste com o conceito ampliado de saúde, que foca na Promoção de Saúde e qualidade de vida dos sujeitos.
Palavras-chave: Caráter Genital. Promoção de Saúde. Wilhelm Reich.


CONSTRUÇÃO DO CARÁTER E O ENFRENTAMENTO DO BULLYING

Autor(es):  SOUZA, Joelson Carvalho; LUZ, Queila Abigail
RESUMO: O presente artigo procura investigar a relação entre o bullying e a construção do caráter dentro da perspectiva da análise reichiana, passando por conceitos como resiliência e coping. Mais do que apresentar os conceitos que circundam estes assuntos relacionados acima, o objetivo central deste trabalho é trazer à tona de que maneira uma construção equilibrada do caráter do sujeito, em seus diversos ambientes em que vive, desde a influência familiar e escolar e dos diversos ambientes nos quais vive,pode fortalecê-lo diante de situações adversas na vida, como o bullying.
Palavras chave:Bullying. Caráter. Coping. Resiliência.


AS DEUSAS E A MULHER

Autor(es):  VANEY, Educyra Assef
RESUMO: Stanley Keleman criador da Psicologia Formativa promoveu workshops com Joseph Campbell, mitólogo, durante 14 anos, Tais encontros produziram um amplo intercâmbio de reflexão sobre mitologia e corpo. Campbell diz: “ mitologia é uma canção , a canção da imaginação inspirada nas energias do Corpo”.(Keleman, 1999 pg11) Essa afirmação se coaduna com o pensamento Kelemaniano, que traz a dimensão somática ao mito, a idéia de corpo como sendo o próprio mito. As histórias mitológicas nascem das experiências corporais, do nosso corpo herdado. Usando essa visão, buscaremos na mitologia grega feminina, nessas histórias oriundas do corpo, uma possibilidade de acessar nosso corpo herdado e influenciá-lo. Ao ouvirem as histórias, as mulheres poderão corporificar suas experiências, escolhendo quais arquétipos/ formas/ comportamento dar corpo ou não. Tornando suas escolhas de vida mais pessoalizadas.
Palavras-chave: Corpo. Mito. Psicologia Formativa. Deusas. Keleman. Campbell


ESPONTANEIDADE E ALEGRIA – RESGATE DA CRIANÇA INTERIOR

Autor(es):  VIEIRA, Myrian Maria; VOLPI, Sandra Mara
RESUMO: Estar aberto para a vida é estar inteiro, sem defesas, sem medo. O processo de encouraçamento que a criança desenvolve desde que nasce, é o resultado de traumas sofridos durante seu desenvolvimento emocional. Medo que paralisa e impede de arriscar, ousar,sentir e amar. A possibilidade de expressar um sentimento, uma emoção sem que passe pelo julgamento da razão, gera um bem-estar e uma liberdade interior que é traduzida em pura alegria. Essa alegria é fruto da espontaneidade, do impulso e liberdade de expressar ,seja em palavras ou atos, aquilo que agrada ou dificulta nas relações interpessoais. A arte consiste em permitir que o impulso flua e encontre a saída para o meio externo, em um movimento natural.Segundo Reich, esta seria a reação esperada, pois não havendo traumas crônicos, não haverá bloqueio que impeça a natureza humana de expressar sua essência. O objetivo deste trabalho é mostrar como acontece a perda da espontaneidade durante o processo de desenvolvimento físico e emocional e que caminhos se pode permitir escolher para que haja uma reconexão, um resgate da criança interior, que é a maior fonte de espontaneidade, da essência do ser humano, da alegria de estar vivo e presente no mundo.
Palavras-chave: Auto regulação.Criança.Espontaneidade.Natureza.Resgate


ENERGIA: UNIÃO ENTRE FÉ E CIÊNCIA

Autor(es):  VIEIRA, Diunéia Rodrigues; VOLPI, José Henrique
RESUMO: Dentro das possibilidades de compreensão do aspecto energético do ser humano, este trabalho busca trazer à luz evidências que hoje ajudam pessoas com vários tipos de enfermidades a encontrarem tratamento mais eficaz no processo de cura. A conscientização da interação do corpo físico-mente-espírito no sincronismo com o viver em harmonia é o ponto de partida, para que o organismo, em sua totalidade, procure ir de encontro com as energias positivas que envolvem todo o Universo e todo ser vivo numa constante troca de ondas magnéticas que movimentam toda a comunicação e toda vida universal.
Palavras-chave: Corpo físico. Energia. Espírito. Mente. Pineal


AS PAIXÕES E SEUS EFEITOS SOBRE O CORPO

Autor(es):  VIEIRA, José Leopoldo
RESUMO: O presente artigo versa sobre a compreensão das causas psíquicas das doenças psicossomáticas – em especial da psoríase – e do seu tratamento através da Análise Corporal da Relação (ACR), nova abordagem sobre o inconsciente, que possibilita a compreensão psíquica do corpo-sujeito, ao atualizar a comunicação tônica como forma de intervenção. Ilustra, através de um estudo de caso, as possíveis reorganizações psíquicas, após processo de análise corporal, de uma paciente cujos conflitos emocionais ocasionam o deslocamento do psiquismo para o nível orgânico. Por fim busca verificar a semelhança das relações entre pele e psiquismo, e ressaltar que é comum que doenças psíquicas, principalmente neuroses, se localizem na pele sob as mais variadas formas.
Palavras-chave: Corpo. Psoríase. Saúde Emocional. Análise Corporal da Relação. Doenças Psicossomáticas.