Congresso – Segundo Dia

Programação Completa em PDF

Congresso - Segundo Dia

29/06/2024 (Sábado) – Oficinas

As OFICINAS serão liberadas para escolha na sua página de inscrição do congresso a partir da confirmação do pagamento. 

Para manter a qualidade dos trabalhos, o número de participantes nas oficinas é limitado em todas as atividades. 

Quando uma oficina estiver com VAGAS ESGOTADAS, não estará disponível a opção para marcar a atividade na escolha das oficinas. No entanto, no dia do evento, você poderá ir até a porta da atividade lotada de que deseja participar e pedir ao monitor que coloque seu nome em lista de espera. Após todos os participantes entrarem na sala, caso sobre lugares, o monitor chamará novos participantes, conforme a lista de espera.

Folder resumido da programação

Programação Completa em PDF

Como Escolher as Oficinas
Veja AQUI como fazer a escolha de suas oficinas quando entrar na sua página de inscrição do congresso.

GRUPO 1 a 5

Para cada Grupo, escolha uma oficina do Programa A e uma do Programa B, ou uma oficina do Programa C. Veja isso no quadro:

Anote os números das oficinas escolhidas em um papel para inserir na ficha do sistema do Congresso quando efetuar sua inscrição.

Quando a oficina for Comunicação Oral, são dois temas na mesma sala (com 20 minutos para cada conferencista). Você está automaticamente inscrito para participar de ambos.

Quando a atividade estiver lotada, haverá uma observação na mesma logo abaixo.

Grupo 1 (08:00h-09:45h)

Grupo 1 - Programa A (08:00h-08:45h)

1.1) A visão da terapia reichiana nas relações conjugais 
Claramente vivemos momento de crise nas relações conjugais. O casamento está por um fio, em uma constante e intensa transformação. Os matrimônios tradicionais não cabem mais em uma sociedade marcada pela liquidez e volatilidade, em que as relações e acontecimentos não são feitos para durar, são rápidas e estão em constante mudança. Em contrapartida, novas formas e modelos de se relacionar não estão delineadas e o que se apresenta são inúmeros casais perdidos, pois não se encaixam mais no formato convencional e não sabem como agir diante do cenário atual. A raiz desta problemática está na estrutura opressora patriarcal, na moral sexual, na repressão da sexualidade, o que implica em consequências no funcionamento dos corpos. Entender a história das relações entre casais sob a perspectiva reichiana e trazer os desafios da contemporaneidade é o intuito desse trabalho.

Daniella Pires Torres / Florianópolis / SC / Brasil 
Formada em pedagogia desde 2009. Empreendedora no universo dos cristais, moro em Santa Catarina há 7 anos. Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Terapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.

1.2) A importância da consciência financeira para as mulheres e como a Psicologia Corporal pode ajudar nesse processo
Em uma sociedade onde o dinheiro é fundamental para a sobrevivência humana, como fazer para que mulheres tenham mais acesso a ele? Uma mulher confiante com a capacidade de cuidar da sua vida financeira transforma a própria vida, de toda a sua família, e de outras pessoas de sua rede de relações – incluindo outras mulheres. Para que seja possível a construção de um modelo de trabalho rentável financeiramente, faz-se necessário ter consciência de si própria, do ambiente no qual está inserida, entender a importância do dinheiro e criar estratégias para conseguir obtê-lo. A Psicologia Corporal pode ajudar nesse processo? Mulheres que se conhecem, se aceitam, sabem se expressar e possuem autodomínio, são mulheres aptas a escolherem o seu caminho. A psicoterapia e os trabalhos de grupos podem ajudar mulheres a expandir sua consciência corporal e a entender o ambiente que as cerca, e este trabalho visa demonstrar esse caminho.

Danielle de Oliveira Sganzerla Juliani / Curitiba / PR / Brasil
Psicóloga (CRP-08/15830) formada pela FEPAR, Especialista em Planejamento e Gerenciamento Estratégico (PUC-PR), Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Terapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.

2) Corpo e cognição no processo de aprendizagem
Ao falarmos em cognição geralmente associamos a raciocínio lógico, função intelectual ou exclusivamente mental. Nos esquecemos que o corpo faz parte da aquisição e do desenvolvimento do processo de aprendizagem. O corpo se integra ao saber como instrumento da apropriação do conhecimento. Corpo e dimensão cognitiva, ambos conversam entre si na dança da aprendizagem, na aquisição do conhecimento por meio do prazer, do afeto, do brincar, do movimento e da manipulação do concreto. O corpo busca seu lugar no processo do aprender.

Gislaine Costa Belo Gomes / Curitiba / PR / Brasil 
Psicopedagoga, Musicoterapeuta com Especialização e Residência em Psicologia Corporal. Professora Externa do Centro Universitário Internacional (UNINTER),  como produtora técnica na elaboração de material didático e gravação de vídeo-aulas para a disciplina “Recursos lúdicos aplicados à Psicopedagogia Clínica”.

Grupo 1 - Programa B (09:00h-09:45h)

3.1) Psicologia Corporal e meditações ativas: de Reich a Osho
Nesse estudo integramos a Psicologia Corporal com as Meditações ativas de Osho, através da relação dos sete segmentos de couraças e dos sete chakras principais. Objetivamos trabalhar a respiração, mobilizar e flexibilizar as couraças musculares através dos exercícios de Bioenergética e das meditações ativas, de modo que a energia possa percorrer livremente por todo o corpo físico e energético e atinja o despertar da energia Kundalini. Para isso realizamos sete workshops de práticas de exercícios de Bioenergética integrados com as meditações ativas, cujos registros apresentaremos neste trabalho.

Maria Iolanda Lima de Queiroz / Fortaleza / CE / Brasil
Licenciada em Letras. Especialista em Literatura Brasileira (UECE) e Gestão da Educação Pública (UFJF). Professora da Rede Pública Estadual do Ceará e Terapeuta Integrativa. Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Terapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.

3.2) A integração da arte como ferramenta terapêutica na Psicologia Corporal
Este trabalho explora a arte como ferramenta terapêutica na Psicologia Corporal, destacando seu papel na expressão e desbloqueio emocional. Integrando arte e terapia corporal, busca-se uma abordagem holística que promova a integração entre corpo e mente, facilitando a autoexpressão e o autoconhecimento. Contribui para a terapia corporal ao demonstrar como a combinação de arte e terapia pode enriquecer a experiência terapêutica, oferecendo novas perspectivas para o desbloqueio emocional. 

Telma Cristina de Jesus Luize / Curitiba / PR / Brasil
Graduada em Pedagogia pela Faculdade Kurios. Especialização em Arte na Educação. Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Terapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.

4) Psicologia e os sentidos atribuídos ao corpo e à corporeidade a partir dos conceitos de Wilhelm Reich e de Merleau-Ponty
Compreendemos o corpo e a corporeidade a partir dos conceitos de Wilhelm Reich e da fenomenologia da percepção de Merleau-Ponty. Através de uma revisão bibliográfica abordaremos algumas compreensões de corpo que a Psicologia tem apresentado, nos indicando aproximações e afastamentos do corpo e da corporeidade que passam pela própria história da construção da Psicologia como ciência. Em seguida, apresentaremos a construção, implementação e resultados de oficinas de arte e corpo que foram realizadas com estudantes de Psicologia, tendo como objetivo específico compreender os sentidos que os participantes atribuíram ao corpo e à corporeidade. Através da análise dos resultados obtidos, foi possível compreender a dimensão do corpo vivido na experiência das oficinas, concluindo que a compreensão passa necessariamente pelo corpo e se relaciona diretamente com afetos e memórias que, muitas vezes, não encontram lugar na palavra falada. Os resultados nos possibilitam traçar novas linhas e projetos futuros para a formação de um corpo sensível e autorregulado.

Maria Isabel Saczuk / Curitiba / PR / Brasil
Doutoranda em Educação (UFPR), Mestrado em Psicologia Social e da Saúde (UTP) e Graduação em Psicologia (UTP) – CRP-08/19433. Especialização em Psicologia Corporal com Residência Clínica em Análise Reichiana e Bioenergética pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR. Possui formação em dança e cursos de especializações de arte flamenca no Brasil e na Espanha. Foi diretora do Instituto Flamenco Brasileiro de Arte e Cultura (2002-2017). Tem experiência no ensino da arte e da dança flamenca, com pesquisas dos processos psicocorporais e artísticos em grupos. Atualmente, é pesquisadora no programa de Educação da Universidade Federal do Paraná. É integrante do laboratório de Fenomenologia e Subjetividade (LabFeno-UFPR). É professora do curso de graduação da Universidade Tuiuti do Paraná.

Grupo 1 - Programa C (08:00h-09:45h)

5) Flexibilização dos segmentos ocular e cervical com grupo de Core Energetics e rodas de conversa
As couraças musculares de caráter ocular e cervical, bloqueiam a comunicação e expressão saudáveis, afetando todos os tipos de relacionamentos. Esse estudo usou como metodologia grupos semanais de psicoterapia, com base na abordagem da Core Energetics, incluindo dança, dinâmicas variadas, rodas de partilha com ou sem processo terapêutico, momentos de silêncio e também com aplicação de questionários, no início, meio e fim do processo. Ao longo de sete meses o estudo foi feito com dez pessoas da equipe de um Orfanato, como parte dos requisitos de conclusão da Pós Graduação pela Rede Brasil Core Energetics. Nos resultados foram observados consciência da respiração, mudança na comunicação, percepção da dor no corpo, percepção do foco, entrega à vibração corporal entre outros. Os relatos nos questionários foram positivos sobre desenvolvimento do contato visual, comunicação e expressão das participantes. Essa melhora foi comprovada principalmente nas relações laborais, familiares e afetivas sexuais.

Luciana Cavalcante Martins / Brasília / DF / Brasil
Psicoterapeuta Corporal Neoreichiana Pós-Graduada em Core Energetics certificada pela Rede Brasil Core Energetics, Conselheira Espiritual certificada pelo NY/USA Region PathWork, Gestalt Terapeuta Formada pela Escola SAT Brasil Dr. Cláudio Naranjo, conhecimento e estudo profundo há 18 anos do Eneagrama da Escola SAT Brasil do Dr. Cláudio Naranjo, Meditante de Vipassana desde 2009 e atualmente cursando uma pós graduação em Cultura de Propósito e Negócios Regenerativos pela Universidade Florescentia.

6) Explorando a Dança Circular como atividade terapêutica e integrativa
Estar em uma roda de Dança Circular , é ser acolhido em uma experiência singular para sentir o fluxo da vida em cada movimento rítmico, em cada gesto expressivo, aflorando as percepções, quebrando as resistências e superando-se a cada passo. É viver o momento presente, reconectando-se consigo, desconectando-se das atribulações diárias, buscando o equilíbrio, renovando as energias, desenvolvendo habilidades motoras e cognitivas e, ao mesmo tempo, possibilitando a interação harmoniosa com o outro. Estar em uma roda de Dança Circular, é vivenciar a vida em uma jornada de pertencimento, de cuidado e de amor. Permita-se! Venha nos dar as mãos e participar desta experiência dançante.

Rosana Aparecida dos Santos / Curitiba / PR / Brasil
Arte Educadora com Especialização em Educação Fundamentada na Arte Reikiana Sistema Usui/Tibetano e Kwan Yin Technique. Focalizadora de Danças Circulares desde 2011 para jovens e adultos. Coordenadora e docente no Projeto de Danças Circulares para Adultos e Idosos desde 2017. Mestre na disciplina Dança Circular do Curso de Formação em Terapias Integrativas e Complementares em Saúde, promovido pela Kiraz Brazil & Terapias Integradas Naturo Barigui, em 2019 e na XXIII Formação Giraflor de Danças Circulares, em 2020. Mentora do Projeto online Além da Dança de Oficinas de Danças Circulares desde 2020.

7) O corpo e seus silêncios
A vivência seguirá o percurso de três leis universais que aparecem através dos sentidos corporais. São elas: ordem, pertencimento e equilíbrio. Quando falamos de ordem, acolhemos tudo o que veio antes por questão de hierarquia, permitindo assim que se aproprie para fazer diferente; assentindo e não apenas concordando. Dar lugar a quem veio antes. Viemos de uma ancestralidade onde só sobrevivíamos em grupo, onde o instinto de sobrevivência era sobre pertencimento, devido a esta crença as pessoas tem a falsa sensação de precisar pertencer para serem reconhecidas. Agora quando abordamos a questão do equilíbrio, verificamos que esta lei só se aplica quando não temos ordem. Para que na vida possamos circular por estas leis e, termos discernimento de cada uma delas com maturidade para reconhecer quando podemos utilizar nosso corpo a favor, utilizando técnicas corporais e dinâmicas interpessoais que proporcionarão um autoconhecimento mais consistente.
 
Catarina Noeli Breccia / Santo André / SP / Brasil
Psicóloga (CRP-06/66633) com especialização em Bioenergética e Biodinâmica. Extensão universitária internacional em conhecimentos sistêmicos e constelação familiar e organizacional. Experiência de dez anos em atendimento clínico com adultos.
 
Mariah Maciel Ribeiro Mendes / Florianópolis / SC / Brasil
Desde 2019 é Terapeuta Sistêmica com duas formações em Constelação Familiar. Facilitadora de Thetahealing, Barras de Acces, Reiki e Cristaloterapia.

Grupo 2 (10:00h-11:45h)

Grupo 2 - Programa A (10:00h-10:45h)

8.1) Desafios da sexualidade na atualidade: uma abordagem bioenergética
A proposta deste trabalho delimita-se principalmente ao tema da sexualidade dentro da abordagem da Análise Bioenergética, que foi desenvolvida por Alexander Lowen a partir de 1950. Realizou-se uma revisão bibliográfica a respeito do tema e, a partir disso, apresenta-se o conceito de sexualidade no pensamento de Lowen, assim como os principais bloqueios emocionais, corporais e comportamentais relacionados à experiência da sexualidade na vida de uma pessoa adulta encouraçada. Lowen, ao criar e sistematizar uma tipologia de caráteres, define cinco caráteres – Esquizoide, Oral, Psicopático, Masoquista e Rígido – cada qual com bloqueios específicos e tendências de comportamento em relação à sexualidade. Dentro disso, de forma mais específica, faz parte da proposta deste trabalho apresentar os principais bloqueios relacionados a cada tipologia na maneira de vivenciar a sexualidade no contexto da atualidade, considerando o conceito de modernidade líquida apresentado por Bauman. Conclui-se que é necessário avançar em direção à integração do amor e do sexo em contraposição a dinâmicas que fragmentam o indivíduo, levando-o à repetição de traumas e de sentimentos de ruptura do passado. Para se adaptar às mudanças sociais e tecnológicas, é vital que se busque não apenas a sofisticação sexual, mas também o amadurecimento sexual, superando assim a cisão interna e uma abordagem superficial.

Caroline Alexandria dos Santos Prüss / Curitiba / PR / Brasil
Economista pela UFPR. Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Terapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.

8.2) Entre lençóis e corações: compreendendo como o sexo influencia na conexão emocional entre parceiros conjugais
O presente trabalho busca compreender como as experiências sexuais contribuem para fortalecer a conexão emocional entre parceiros conjugais, visando melhorar a qualidade dos relacionamentos e promover satisfação íntima e emocional. A partir da visão contemporânea da Organização Mundial da Saúde (OMS), que reconhece a saúde sexual como componente vital para o bem-estar geral, o estudo busca preencher lacunas no entendimento prático dessa problemática. Com base na aplicação de um questionário a dez casais, foi possível coletar dados concretos sobre essa complexa relação do fortalecimento da conexão emocional através da intimidade. O estudo também faz uso da terapia reichiana como uma ferramenta para aprofundar a compreensão do tema.

Emili Bartmann Neuenfeld / União da Vitória / PR / Brasil
Cursando o 9º período de Psicologia. Instituição de ensino superior UGV – Centro Universitário em União da Vitória/PR. Estagiária no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) de Porto União/SC. Em formação do Curso de Extensão Universitária certificado pelo MEC: Curso psiquê – Terapia Sexual na Prática.

09) Transtornos de personalidade e traços de caráter – um estudo comparativo

Os transtornos de personalidade caracterizados e diagnosticados pelos seis critérios, de acordo com o DSM-V são agrupados em famílias ou clusters, conforme suas semelhanças e padrões comportamentais. Tais transtornos, mesmo em famílias ou clusters distintos, têm equivalência com os traços de caráteres descritos por Wilhelm Reich. O presente trabalho procura a correlação, de forma interativa com os participantes, entre as duas abordagens diagnosticadas, principalmente levando em consideração que o tratamento proposto se baseia fundamentalmente na psicoterapia.

Wilson Pacheco / Florianópolis / SC / Brasil
Médico (CRM-2924), Mestre e Doutor em Anatomia. Especialização lato sensu em Psicologia Corporal pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR. Cursando Especialização lato sensu em Psiquiatria. Escritor e conferencista.

José Henrique Volpi / Curitiba / PR / Brasil
Psicólogo (CRP-08/3685), Especialista em Psicologia Clínica, Psicologia Corporal Reichiana e Bioenergética, Anátomo-Fisiologia, Hipnose Ericksoniana, Psicodrama, Brainspotting, Acupuntura clássica e Método Ryodoraku (eletrodiagnóstico computadorizado que mede a energia dos meridianos do corpo). Mestre em Psicologia da Saúde/Neuropsicofisiologia. Doutor em Meio Ambiente e Desenvolvimento. Organizador e presidente dos Congressos Brasileiros de Psicoterapias Corporais.

Grupo 2 - Programa B (11:00h-11:45h)

10.1) TDAH: uma relação com o caráter impulsivo sob a ótica da Psicologia Corporal
Houve um aumento significativo em diagnósticos de transtornos mentais em crianças e adolescentes nas últimas décadas. Diante desse cenário, buscou-se, sob a ótica da Psicologia Corporal centrada nas teorias de Reich e Lowen, desenvolver uma linha de raciocínio teórica sobre a construção de estruturas de caráter, as quais geram padrões de comportamentos resultantes do desenvolvimento biopsicossocial. Na perspectiva desses autores, procurou-se discutir o conceito de saúde, as fases do desenvolvimento, seus bloqueios, suas influências na estrutura de caráter, as quais compõem a personalidade e podem resultar em não saúde. Dentre os transtornos mais diagnosticados, focou-se no critério diagnóstico de comportamento impulsivo e desatenção para os indivíduos diagnosticados com Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH). Acrescenta-se a essa questão, a discussão em torno do fenômeno de epidemia de diagnósticos e medicalização da vida, e em particular a escolar.

Daniella Dias Miranda / Goiânia / GO / Brasil
Graduada em Biologia, graduanda em Psicologia. Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Psicoterapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.

10.2) Atendimento on-line em Psicologia Corporal: o ressignificar do ciberespaço conectado à presença física na terapia
Considerando que cada vez mais se amplia o número de pessoas cujas atividades cotidianas, que antes eram realizadas apenas no espaço físico, migraram para o ciberespaço, o foco deste trabalho propõe uma reflexão sobre o “ressignificar” do ciberespaço como um lugar que pode estar profundamente ligado à experiência sensorial da presença física, e provavelmente possível de ser integrado no manejo clínico do psicoterapeuta corporal nas práticas metodológicas da Vegetoterapia Caracteroanalítica e da Bioenergética.

Magda Rodrigues Barcelos Stocco / Serra / ES / Brasil
Psicóloga (CRP-16/1539), UFES. Especialista em Gestão de Recursos Humanos. Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Psicoterapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.

11) Terapias corporais reichiana e bioenergética como auxílio no tratamento dos pacientes adultos com transtorno do espectro autista
O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é definido como um transtorno do neurodesenvolvimento, estando presente desde o nascimento ou começo da infância, caracterizados por déficit na comunicação e interação social, bem como padrões repetitivos e restritos centrados no comportamento. O presente estudo tem como objetivo central identificar se as terapias corporais de base reichiana e bioenergética podem auxiliar no tratamento dos pacientes adultos com diagnóstico de TEA, e como objetivo secundário, pretende-se conhecer os aspectos históricos, perfil epidemiológico, fatores etiológicos e as manifestações clínicas/características dos pacientes na fase adulta. A metodologia utilizada foi à pesquisa bibliográfica exploratória, constituída principalmente de livros e artigos científicos. Considera-se que o diagnóstico do TEA na fase adulta é um desafio a todos os profissionais, necessitando um diagnóstico preciso, com instrumentos validados. 

Maria de Fátima Ferreira Grillo / Porto Alegre / RS / Brasil
Bacharel em Enfermagem e Obstetrícia (UFPEL/RS); Especialista em Gerência dos Serviços de Enfermagem (IACS/PUC-RS) e Saúde Pública (FAMED/RS); Mestre em Enfermagem (UFRGS); Doutorado pela Clínica Médica: Endocrinologia (FAMED/UFRGS). Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Terapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.

Grupo 2 - Programa C (10:00h-11:45h)

12) Informação sexo-afetiva de base reichiana para instrumentalizar adultos (pais, professores e cuidadores) que orientam crianças e adolescentes
O presente trabalho pretende apresentar o pensamento científico de Wilhelm Reich no campo da prevenção de neuroses a fim de instrumentalizar adultos para orientação sexual afirmativa de crianças e adolescentes. A orientação sexual, na maioria das vezes, restringe-se à descrição anatômica do corpo com ênfase nas doenças sexualmente transmissíveis e na prevenção da reprodução, influenciado pelo moralismo religioso e social. Oferecemos uma proposta de orientação sexo-afetiva baseada nos vínculos e nas relações afetivas, onde corpo e mente estão em unidade funcional. É dever de uma sociedade adulta e sexualmente responsável garantir o acesso e a difusão da informação científica e, Wilhelm Reich como médico, psicanalista, precursor das psicoterapias corporais e criador da Orgonoterapia, oferece-nos em sua obra um amplo arcabouço teórico e prático. Refletir e responsabilizar e não reprimir e inibir, são os norteadores.

Tânia Maria de Lima / Rio de Janeiro / RJ / Brasil
Psicóloga (CRP- 05/11905), orgonoterapeuta formada pelo Centro de Investigação Orgonomica Wilhelm Reich (CIO) Rio de Janeiro. Diretora de Centros de Infância por 25 anos (não governamentais e governamental). Coordenadora de projetos de prevenção de neuroses na Ação Social Wilhelm Reich e na pandemia, o SOS Emocional Crianças do Futuro, quarentena online. Autora do livro “As crianças são para florescer” e artigo no volume 2 do livro “Flexibilizando a Couraça Muscular”.

Denise  Dessaune / Rio de Janeiro / RJ / Brasil
Psicóloga (CRP-05/7250) formada pela UFMG. Formação em Orgonoterapia no Instituto W. Reich do México 1978 a 1982. Cofundadora, coordenadora e docente do Centro de Investigação Orgonômica Wilhelm Reich (CIO), primeiro centro de formação para orgonoterapeutas e economistas sexuais do RJ. Cofundadora, coordenadora e docente do Instituto de Formação e Pesquisa Wilhelm Reich (IFP) no RJ até os dias atuais.

Eugênio Marer / Rio de Janeiro / RJ / Brasil
Psicólogo (CRP-05/16625), formado pela UFRJ. Orgonoterapeuta formado pela Escola Europeia de Orgonomia de 1984 a 1987 com Federico Navarro. Especializado em Psicodrama, terapia corporal e Análise Bioenergética em SP. Atualmente supervisiona psicoterapeutas.

13) Dançando entre medos e sonhos: desenvolvimento expressivo através do movimento
Nesta vivência convidamos os participantes a explorar suas possibilidades corporais: no trabalho da presença, no encontro das sensações e na liberdade do movimento. Iniciamos nossa jornada com a condução de uma prática meditativa a fim de promover a abertura e entrega necessárias para o bom aproveitamento do grupo. Em seguida, é aplicada uma dinâmica com balões, que tem por finalidade o trabalho da saúde mental e corporal em relação aos nossos medos e sonhos. Para finalizar e integrar as sensações encontradas e trabalhadas, sugerimos uma prática de exploração corporal através da dança e do movimento livre expressivo, a fim de compreender o corpo em seu processo de criação.
 
Gabriele Lima / Curitiba / PR / Brasil
Graduação em Farmácia e Bioquímica pela PUC-PR (2011); Curso EaD em Práticas Integrativas Complementares e Holossistêmicas pelo Instituto Terceira Visão (2021); Pós Graduação EaD em Psicologia Analítica com Ênfase em Mitologia, Contos e Artes (2023); Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Terapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.
 

Juliana Bilobran Miranda Caldas Fernandes / São José / SC / Brasil
Licenciatura em História pela Universidade Estadual Centro-Oeste – Guarapuava/PR (2001); Formação em Constelação Familiar Clássica pelo Instituto Raízes – Florianópolis/SC (2023). Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Terapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.

14) Explorando a corporeidade como o caminho para o prazer e a sexualidade saudável
Será que temos realmente conexão corpo e mente para vivermos a sexualidade de uma forma natural e saudável? Nos dias atuais podemos identificar como o ser humano está cada vez mais desconexo do seu corpo e de suas emoções e sensações. A correria do dia a dia, os traumas acumulados desde a infância até a vida adulta, os relacionamentos frustrados vividos são alguns pontos que contribuem cada vez mais a essa dificuldade de interação pessoal mente/corpo. Conectar-se consigo mesmo é abrir caminhos para o prazer de viver e consequentemente ao prazer da vida sexual.

Cibele Kormann Reimann / Curitiba / PR / Brasil
Fisioterapeuta pela UP em 2004. Terapeuta Integrativa. Instrutora de Pilates, Yoga e Treinamento da Fáscia. Extensão em Fisioterapia Aplicada à Ginecologia e Obstetrícia, 2001. Pós-graduada em Gerontologia biopsicossocial, FATEC, em 2009. Pós-graduada em Acupuntura, IBRATE, em 2015. Especialista em Psicologia Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR, em 2022. Pós-graduanda em Fisioterapia na Saúde da Mulher.

Daniele Salum Kupski / Castro / PR / Brasil
Graduada em Educação Física pela PUC-PR em 2002, Pós-graduada em Treinamento Desportivo pela faculdade Dom Bosco em 2004, Pós-graduada em Acupuntura pela Faculdade IBRATE em 2015, Formação em Yogaterapia Funcional pela Faculdade IBRATE em 2018. Especialista em Psicologia Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR, em 2022.

Grupo 3 (13:30h-15:15h)

Grupo 3 - Programa A (13:30h-14:15h)

15) Corpo Coragem: encontrando a linguagem expressiva do coração – um diálogo entre a dança e a Análise Bioenergética
Essa pesquisa nasce com o objetivo de abrir um espaço de investigação do movimento, considerando o potencial criativo do mesmo como ferramenta de revelação de aspectos internos suprimidos, como, por exemplo, emoções mal elaboradas na infância, derivadas de experiências traumáticas, que se mantêm, através dos padrões de funcionamento e mecanismos de defesa de um indivíduo. Tais padrões, uma vez reconhecidos, podem contribuir com o trabalho terapêutico na tarefa de auxiliá-lo em seu amadurecimento de caráter. A proposta é abrirmos novas possibilidades de diálogo entre a dança e a terapia corporal, como forma de conexão com o inconsciente, de expansão da consciência do self e de expressão genuína.

Monique Ramos da Silva / Ubatuba / SP / Brasil
Graduada em Comunicação Social-Cinema pela Universidade Anhembi Morumbi, Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Terapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR e aluna em formação do Centro Internacional de Dançaterapia María Fux. Pesquisadora do corpo em movimento, facilitadora de práticas de expressão, enraizamento e dança terapêutica. Atualmente trabalha com a aplicação da metodologia autoral Corpo Coragem, onde propõe o enfrentamento dos medos a partir da consciência e movimento corporal.

16) Contribuições da Psicologia Corporal no manejo de casos de doenças autoimunes
As doenças autoimunes se configuram como uma falha no mecanismo de defesa, portanto, os anticorpos passam a atacar o corpo anteriormente saudável, provocando deterioração do órgão afetado, acarretando em significativa inflamação e uma variedade de sintomas que evoluem, gerando diferentes níveis de gravidade, e impactando na vida cotidiana da pessoa adoecida. Sem tratamento, a qualidade de vida do paciente é extremamente comprometida, bem como sua saúde mental. Este trabalho tem como objetivo identificar quais as contribuições da Psicologia Corporal para o manejo clínico dos casos de doenças autoimunes. Compreendemos que, por se tratar de uma abordagem psico-corporal ela tem muito a contribuir para a melhoria da qualidade de vida e da saúde mental das pessoas afetadas. Assim, nós, psicoterapeutas corporais, poderemos nos utilizar dessas informações para melhor conduzirmos nossos casos clínicos.

Flávia Passos Viana / Brasília / DF / Brasil
Psicóloga (CRP- 1175/16) (UFES), Mestre em Política Social (UFES), Master em Intervenção Psicossocial (UB/Espanha). Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Psicoterapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR. Cursando Formação Internacional em Análise Bioenergética pelo Instituto Vibrare, Brasília/DF.

Grupo 3 - Programa B (14:30h-15:15h)

17) Desvelando a epidemia de ansiedade de nosso tempo: reflexões sobre o medo e o desejo pela perspectiva da Psicologia Corporal
Frequentemente atribuímos a ansiedade que permeia nossas vidas a hábitos cotidianos, como o uso excessivo de telas e a incessante conexão às redes sociais, comportamentos estes que tendem a impactar negativamente em nossa percepção do mundo e de nós mesmos/as. Com isso, determinamos causa e efeito, presumindo que somos vítimas desse cenário. Negligenciamos o fato de que chegamos a essa condição devido a traços de caráter, tanto individuais quanto sociais – nós mesmos desenvolvemos as tecnologias que distorcem nossa percepção. A ansiedade, sob uma ótica psicocorporal, surge na tentativa de neutralizarmos a força dos impulsos saudáveis e de nos adaptarmos às expectativas do ambiente. Isso demanda bloqueio da respiração, perda da conexão com o solo, solidificação das tensões até que se tornem crônicas. O ciclo atual em que estamos estagnados (sentir que nunca somos suficientes – buscar incessante validação externa – não aceitá-la porque não somos suficientes) é moldado pelo caráter e pelas couraças, que não apenas mantêm o primeiro, mas o fortalecem. Para superar a barreira das couraças, os impulsos saudáveis tornam-se impulsividade. Como a Psicologia Corporal pode auxiliar a romper este ciclo? Isto é o que este trabalho se propõe a debater.

Sandra Mara Volpi / Curitiba / PR / Brasil
Psicóloga (CRP-08-5348), Especialista em Psicologia Clínica, Psicopedagogia, Ludoterapia, Psicoterapia Infantil, Psicologia Corporal, Análise Bioenergética (Certified Bioenergetic Therapist/CBT e Supervisor), Acupuntura Clássica e Método Ryodoraku (eletrodiagnóstico computadorizado que mede a energia dos meridianos do corpo). Mestre em Tecnologia pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Organizadora e presidente dos Congressos Brasileiros de Psicoterapias Corporais.

18.1) Aproximação teórica entre a Psicologia Transpessoal e a Psicologia Corporal: do corpo ao espírito
A Psicologia Transpessoal surge como uma corrente psicológica que, com um olhar integral, dá o devido valor às experiências com estados alterados de consciência e à dimensão espiritual e religiosa, além de abarcar as camadas transpessoais do inconsciente, em meio a um contexto histórico de uma Psicologia desenvolvida principalmente através da terapia verbal. Apesar das suas diferenças com a corrente transpessoal, a Psicologia Corporal se encontra fortemente presente nas teorias transpessoais, pois um olhar integral sempre vai incluir o corpo como uma das dimensões humanas mais fundamentais. Através das concepções do complexo corporificado, das múltiplas personalidades do ser e a consideração da sabedoria interior inconsciente do corpo, podemos perceber grandes contribuições teóricas que surgem da associação entre a Psicologia Corporal e a Psicologia Transpessoal.

Daniel Martynetz / Curitiba / PR / Brasil
Bacharel em Psicologia pela UFPR. Terapeuta Holístico. Especialista em Psicologia Transpessoal, Hipnose, Terapia de Vidas Passadas e Constelação Familiar. Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Psicoterapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.

18.2) Cristo como símbolo do Si-mesmo Reichiano
Jesus de Nazaré: rei dos reis, filho do Todo-Poderoso, o Cristo, farol e centro da espiritualidade Ocidental. Dois autores, na história da psiquiatria – C. G. Jung e W. Reich – trataram do significado psicológico da figura do Cristo. Como podemos integrar a visão de ambos sobre o tema em questão? Primeiro, partindo de uma descrição do modelo de psique junguiano: ego/consciência, inconsciente pessoal/coletivo e os arquétipos. Quanto ao modelo reichiano, diferencia-se o caráter genital do caráter neurótico, ou seja: saúde e doença. Define-se Cristo, no entendimento da Psicologia Analítica, como símbolo do Arquétipo do Si-mesmo. Já o Cristo “Rechiano” seria a representação máxima do caráter genital. Por fim, é traçado o percurso do caráter genital como “herói” tipológico até Cristo, símbolo do Si-mesmo Reichiano. Esse entrecruzamento teórico aponta para um fenômeno radicalmente novo, moderno: o numen erótico, isto é, a sexualidade sagrada.

José Felipe Rodriguez de Sá / Salvador / BA / Brasil
Graduação em Psicologia (CRP-03/8040) pela Universidade Salvador. Pós-graduação em Psicoterapia Analítica pelo Instituto Junguiano da Bahia (IJBA). Mestre em Família na Sociedade Contemporânea pela Universidade Católica do Salvador (UCSAL). Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Psicoterapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.

Grupo 3 - Programa C (13:30h-15:15h)

19) Amores rasos em tempos fluidos
O presente artigo revisita as teorias de Reich e Lowen sobre o amor e a entrega afetiva, analisando os desafios presentes nas dificuldades das relações rasas contemporâneas. É relevante destacar a importância do reconhecimento de bloqueios emocionais e como podemos diminuir o medo de viver a intimidade, sendo um elemento crucial para construir vínculos mais profundos e autênticos. Ao examinar as barreiras à entrega afetiva, como prevalência da superficialidade nas interações atuais, o estudo propõe uma reflexão sobre como o amadurecimento emocional pode superar esses desafios.

Iáscara Fredrich da Silveira / Joinville / SC / Brasil
Licenciada em Ciências Biológicas (PUC-RS); Licenciada em Letras Inglês (UNIJUI/RS), Especialista em Ciências Aeronáuticas (CESUMAR/PR); Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Terapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR; Thetahealer; terapeuta floral (IBRATE, Curitiba/PR); Reikiana e terapeuta quântica.

Tatiane Marili Pereira Machado / Curitiba / PR / Brasil
Psicóloga Clínica formada pela PUC-PR em 2010. Sexóloga. Especialista em produtos íntimos femininos. Empresária da Loja On-line Vem Bem e do Espaço Terapêutico Ser e Florescer, Curitiba/PR. Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Psicoterapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.

20) Oficina de Movimentos Terapêuticos: explorando a fáscia
Nesta oficina, irei explicar o universo da fáscia e sua interconexão com os processos terapêuticos corporais. Será uma prática com o que eu chamo de “Movimentos Terapêuticos”, na qual irei apresentar diversas técnicas que estimulam a fáscia, como expansão, sustentação, força elástica, força excêntrica, relaxamento, vibração, soltura e mobilidade. O objetivo é  compreender os conceitos fundamentais relacionados à fáscia e sua importância nos processos terapêuticos corporais, e vivenciar na prática a aplicação dessas técnicas, as quais podem inspirar os profissionais a utilizarem esta abordagem.

Claudia Luciana Barbosa Veloso / Belo Horizonte / MG / Brasil
Graduada em Educação Física pela UFMG em 2002 (CREF 007910-G), Pós-Graduada em Gestão de Pessoas pela FDC (Fundação Dom Cabral, 2011). Personal Trainer desde 2002. Certificada pelo Método AYAMA (prática de movimentos que estimulam a Fáscia). Curso de extensão em Terapia Corporal Reichiana com a professora Januassele Valentim (ITHER, 2019-2021). Curso de extensão em Análise Bioenergética (Unyleya, 2023). Atualmente, Claudia oferece uma proposta de Movimentos Terapêuticos, que são movimentos que estimulam a Fáscia e facilitam os processos terapêuticos com o corpo.

Flavio Lucio Assis Moreira / Belo Horizonte / MG / Brasil 
Graduado em Terapia Ocupacional em 1995 na UFMG (CREFITO 4/ 4180 TO), Pós-Graduado em Ergonomia aplicada à saúde do trabalhador (PUC-IEC 2002). Formação em Psicoterapia Ocupacional (GES.TO 1995-1997). Estudos em Psicoterapia Corporal Reichiana e Análise Bioenérgética com o professor Leonardo Libanio Christo (2010-2011). Curso de extensão em Terapia Corporal Reichiana com a professora Januassele Valentim (ITHER, 2019-2021). Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Terapeuta/Analista Corporal de abordagem Reichiana e Bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.ntro Reichiano, Curitiba/PR.

21) Superando limites internos – vencendo obstáculos que paralisam
Muitas são as barreiras que surgem que nos impedem de seguir em frente, seja no corpo ou na mente elas impactam diretamente na conquista dos ideais. Identificar e encontrar maneiras práticas de superar os limites internos te permitirá ser o protagonista da sua própria história.

Elen Patricia Piccinini / Curitiba / PR / Brasil
Psicóloga (CRP-08/23188), Especialista em Psicologia Corporal, pós-graduada em Constelação Familiar, Treinadora Comportamental, Master em PNL, Hipnoterapeuta, Autora do livro “Poemas Terapêuticos” e organizadora e coprodutora do livro “Desatando os Nós” (Editora APMC).

Grupo 4 (15:30h-17:15h)

Grupo 4 - Programa A (15:30h-16:15h)

22) Hipnose pela fascinação: um caminho para alcançar o cérebro primitivo
Buscando compreender o funcionamento da energia Orgone no corpo, mente e processos energéticos que circundam o ser humano, este trabalho traz alguns indícios sobre o primeiro dos sete segmentos da couraça muscular (ocular). Com o olhar sobre um breve estudo da hipnose não verbal, mesmerismo e fascinação, onde a visão, a audição e o tato podem ser estimulados e ativar o cérebro reptiliano, eliciando no corpo contrações e convulsões musculares, desestagnando energias e liberando emoções contidas no corpo. Este trabalho traz evidências de que os métodos de hipnose descritos acima podem ser uma excelente ferramenta de trabalho, sendo um complemento da psicoterapia corporal, possibilitando a reconstrução de uma história traumática e até mesmo remover couraças.

Diunéia Rodrigues Vieira / Caratinga / MG / Brasil
Psicóloga (CPR-04/34884). Especialista em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Psicoterapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR. Formação em hipnose não verbal pelo Instituto Mindset Hypnosis, formação em hipnose regressiva e clínica pelo Instituto Victor Giuberti, formação pelo Instituto de hipnose e neurociência, mesmerismos and hypnotic fascination pela Université Européenne.

23) O corpo e a gestão da saúde emocional feminina na maturidade
O envelhecimento é um processo natural pelo qual TODO ser humano passará, embora continue sendo um tabu no nosso histórico sociocultural, principalmente para as mulheres, haja visto que o Brasil é o vice-campeão em cirurgias plásticas com fins estéticos, sendo que as mulheres lideram o ranking destes procedimentos. A pirâmide etária brasileira está se invertendo. A maioria da população brasileira está acima dos 35 anos e o etarismo é uma realidade presente no nosso dia a dia. Observando que a população brasileira está envelhecendo e tendo a realidade do etarismo precisamos ter um olhar de atenção para a maturidade para que o Brasil não se torne um enorme asilo no futuro com predominância feminina. Tendo em vista o histórico sociocultural das mulheres percebe-se que a intervenção das terapias corporais vem contribuindo para a construção de uma sociedade onde a maturidade seja sinônimo de autonomia, qualidade de vida, leveza e produtividade.

Terezinha Aparecida Nogueira / Belo Horizonte / MG / Brasil
Licenciada em Letras –  habilitação em Português/ Inglês pela Universidade Federal de Minas Gerais. Pós-graduação lato sensu – Formação Holística de Base – abordagem transdisciplinar. Monografia: Mulheres especiais – Um enfoque sobre as mulheres, mães de portadores de necessidades especiais. UNIPAZ-MG / Faculdade Metropolitana de Belo Horizonte. Terapeuta Reikiana Nível III. Massoterapeuta – ênfase nas técnicas da MTC (Tui-ná, Shiatsu – IMAN/MG) e outras. Servidora aposentada do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região. Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Terapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.

24) Corpo e subjetividade: o diálogo entre emoções, sensações e sintomas
A relação entre emoções e sensações corporais, abordando os sintomas de ansiedade, raiva, medo, tristeza, alegria e como tratar pacientes com esses sintomas. Como a ansiedade pode desencadear sensações físicas, como a raiva se manifesta no corpo, as reações físicas ligadas ao medo e à tristeza, e as sensações de alegria. Abordando o tratamento de cada sintoma, enfatizando a importância da integração mente-corpo e a relação terapêutica empática e genuína.

Wilson Mendes Gomes / Curitiba / PR / Brasil
Psicólogo Clínico (CRP-08/08441), do trânsito, formado pela PUC-PR, atua desde 2002. Especialização e residência em Psicologia Corporal e Psicologia do Trânsito. Sócio proprietário da ACESSO, Clínica de Medicina e Psicologia do trânsito.

Grupo 4 - Programa B (16:30h-17:15h)

25) A linguagem do corpo na transferência como matéria-Prima na clínica reichiana
Este trabalho propõe uma investigação da linguagem do corpo na transferência como matéria-prima na clínica reichiana, ressaltando a importância dos conceitos de resistência de caráter de Wilhelm Reich. Inicialmente, são delineados os fundamentos da terapia reichiana, destacando a interconexão entre corpo e psiquismo. Em seguida, discute-se a relevância da transferência como recurso de diagnóstico na prática clínica reichiana, especialmente sua expressão através da linguagem corporal. Posteriormente, explora-se como a resistência de caráter se manifesta no corpo do paciente e sua influência na dinâmica terapêutica. Irei exemplificar casos clínicos de como a linguagem corporal reflete dinâmicas transferenciais e de resistência. Em conclusão, reconhece-se a importância, na clínica reichiana, de compreender a linguagem do corpo na transferência para oferecer uma abordagem terapêutica mais completa e eficaz.

Flavio Lucio Assis Moreira / Belo Horizonte / MG / Brasil
Graduado em Terapia Ocupacional em 1995 na UFMG (CREFITO 4/ 4180 TO), Pós-Graduado em Ergonomia aplicada à saúde do trabalhador (PUC-IEC 2002). Formação em Psicoterapia Ocupacional (GES.TO 1995-1997). Estudos em Psicoterapia Corporal Reichiana e Análise Bioenérgética com o professor Leonardo Libanio Christo (2010-2011). Curso de extensão em Terapia Corporal Reichiana com a professora Januassele Valentim (ITHER, 2019-2021). Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Terapeuta/Analista Corporal de abordagem Reichiana e Bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.ntro Reichiano, Curitiba/PR.

Claudia Luciana Barbosa Veloso / Belo Horizonte / MG / Brasil
Graduada em Educação Física pela UFMG em 2002 (CREF 007910-G), Pós-Graduada em Gestão de Pessoas pela FDC (Fundação Dom Cabral, 2011). Personal Trainer desde 2002. Certificada pelo Método AYAMA (prática de movimentos que estimulam a Fáscia). Curso de extensão em Terapia Corporal Reichiana com a professora Januassele Valentim (ITHER, 2019-2021). Curso de extensão em Análise Bioenergética (Unyleya, 2023). Atualmente, Claudia oferece uma proposta de Movimentos Terapêuticos, que são movimentos que estimulam a Fáscia e facilitam os processos terapêuticos com o corpo.

26) Vulnerabilidade feminina: a prática da TRE (Tension & Trauma Releasing Exercises) na elaboração de estresse e trauma
O presente trabalho tem por finalidade apresentar um estudo realizado no programa de doutorado em Saúde, Interdisciplinaridade e Reabilitação da Universidade Estadual de Campinas/Unicamp, no qual objetivou-se compreender o processo de elaboração do estresse e do trauma em mulheres que se encontravam em situação de vulnerabilidade, analisando o papel da técnica corporal conhecida como TRE (Tension & Trauma Releasing Exercises) nesse processo. A pesquisa foi desenvolvida com mulheres integrantes de um grupo de terapia corporal e percebeu-se, ao final do estudo, que a TRE possibilitou a este público aumento da consciência corporal, contato com as sensações de relaxamento e prazer, alterações no humor e nas emoções, redução dos sintomas físicos, aumento da vitalidade e disposição, redução do estresse e ansiedade, mudanças nos comportamentos sociais e resgate da autonomia. Os resultados indicam que a técnica pode colaborar na elaboração de experiências estressoras e traumáticas e contribuir para a promoção da saúde mental de mulheres em contexto de vulnerabilidade.

Simone Fraga Mota / Rio Verde / GO / Brasil
Psicóloga (CRP-09/2409), Doutora em Saúde, Interdisciplinaridade e Reabilitação pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Mestre em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC/Goiás). É professora titular da Universidade de Rio Verde (UniRV) em Goiás, na área de Psicologia Clínica, Social Comunitária e Políticas Públicas. Atua como Psicoterapeuta Corporal e Terapeuta do Trauma (Formação em Psicologia Corporal Transpessoal, Experiência Somática- SE e TRE – Tension & Trauma Releasing Exercises). É Facilitadora Certificada da TRE intervindo em Contextos Clínico, Comunitário e Acadêmico. Autora do livro “Vulnerabilidade Feminina: A prática da TRE (Tension and Trauma Releasing Exercises) na elaboração de estresse e trauma”.

27) Entre fraudes e verdades: a síndrome do impostor no divã reichiano
No contexto do divã reichiano, adentramos um território de introspecção e autodescoberta. As máscaras que os pacientes usam para ocultar sua autenticidade são meticulosamente desvendadas. Por trás dessas fachadas, encontramos conflitos internos que geram a sensação de fraude, como se estivessem interpretando um papel em suas próprias vidas. Entre a busca pela verdade e o medo da exposição, mergulhamos nas angústias do paciente, buscando compreender seus conflitos registrados na mente e ancorados no corpo. O divã reichiano se torna um espaço seguro para isso, onde as camadas de defesa são gradativamente despojadas para que a autenticidade verdadeira possa florescer.

José Henrique Volpi / Curitiba / PR / Brasil –Psicólogo (CRP-08-3685), Especialista em Psicologia Clínica, Psicologia Corporal, Anátomo-Fisiologia, Hipnose Ericksoniana, Psicodrama, Acupuntura e Método Ryodoraku (Método de eletrodiagnóstico bioenergético e de tratamento pela Acupuntura). Mestre em Psicologia da Saúde e Doutor em Meio Ambiente. Diretor do Centro Reichiano e Organizador e Presidente dos Congressos Brasileiros de Psicoterapias Corporais.

Grupo 4 - Programa C (15:30h-17:15h)

28) Como entender a energia que nos coloca no fluxo da vida?
O presente trabalho pretende levantar reflexões a respeito da maneira como vibramos e nos relacionamos com a vida. A forma como nos colocamos em movimento, como reagimos e agimos em busca de nossos sonhos e crescimento está diretamente relacionada com a nossa vibração única. A configuração energética de nosso ser dá o tom das escolhas que fazemos e os resultados que alcançamos. Entender como geramos energia e qual é a nossa vibração, nos ajuda a potencializar nossas habilidades, enfrentar nossos desafios e ter clareza sobre a vibração que nos alinha ao nosso propósito de vida.

Iáscara Fredrich da Silveira / Joinville / SC / Brasil
Licenciada em Ciências Biológicas (PUC-RS); Licenciada em Letras Inglês (UNIJUI/RS), Especialista em Ciências Aeronáuticas (CESUMAR/PR); Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Terapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR; Thetahealer; terapeuta floral (IBRATE, Curitiba/PR); Reikiana e terapeuta quântica.

Rita de Cássia Cadore / Balneário Camboriú / SC / Brasil
Advogada (FURB/SC); Life Coach (IBC/SC); Leader Coach (Behavioral Coaching Institute – BCI); Capacitação em Yoga; Capacitação em Biomagnetismo e Bioenergética: Consultora em Análise Comportamental (IBC/PR); Reikiana; Numeróloga; Terapeuta Holística.

29) Thai Yoga Massagem aplicada às couraças
Reich mapeou o corpo em sete segmentos, onde constatou a neurose e as emoções congeladas em forma de couraças, que impedem o fluxo livre da energia, refletindo nos traços de caráter do indivíduo. A proposta deste trabalho é apresentar a Nuad Bo’rarn ou Thai Yoga Massagem como um recurso possível na flexibilização das couraças, somado à psicoterapia corporal, por meio de movimentos e alongamentos passivos direcionados a cada um dos segmentos.

Aline Vespa dos Santos / Joinville / SC / Brasil
Licenciada em Educação Física pela UEM-PR. Especialista em Exercício Físico e Reabilitação do Idoso. Instrutora de Yoga e massoterapeuta. Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Terapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.

Karina Santander/ Porto Alegre / RS / Brasil
Formada em Turismo, PUC-RS, pós- graduada em Gestão Empresarial, Tecnóloga em Gestão Financeira, Terapeuta Corporal pelo Centro de Treinamento Holístico, Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Terapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.

Grupo 5 (17:30h-19:15h)

Grupo 5 - Programa A (17:30h-18:15h)

30) Perigos invisíveis da raiva reprimida
A raiva contida é como uma corrente, limitando a capacidade de viver plenamente. Seja aprisionando o corpo ou adoecendo a mente, pode sabotar objetivos e matar sonhos. Compreender os impactos profundos da raiva em sua mente é fundamental para quem busca realmente realizar seus sonhos e fazer sua vida acontecer.

Elen Patricia Piccinini / Curitiba / PR / Brasil
Psicóloga (CRP-08/23188), Especialista em Psicologia Corporal, pós-graduada em Constelação Familiar, Treinadora Comportamental, Master em PNL, Hipnoterapeuta, Autora do livro “Poemas Terapêuticos” e organizadora e coprodutora do livro “Desatando os Nós” (Editora APMC).

31) Entre a menoridade e zé-ninguém: um diálogo entre Immanuel Kant e Wilhelm Reich
Seria possível traçar um paralelo entre os pensamentos de autores de épocas tão distintas? De um lado, Immanuel Kant, filósofo, nascido na Prússia, no ano de 1724. Do outro lado, Wilhelm Reich, médico, psicanalista e fundador da psicoterapia orientada para o corpo, nascido na Galícia, no ano de 1897. O estudo que será apresentado investiga os sentidos relativos aos conceitos de menoridade, proposto por Kant em seu texto “Resposta à pergunta: Que é ‘Esclarecimento’?”, e zé-ninguém, proposto por Reich em sua obra “Escute, Zé-ninguém!”. Os resultados apontam para convergências e divergências entre os conceitos. Além disso, trazem à luz os malefícios sociais que um estado de pequenez dos indivíduos pode causar e, por outro lado, os benefícios que uma atitude esclarecida ou estado de grandeza poderiam proporcionar.

Nathalie Pailo Perozin / Curitiba / PR / Brasil
Publicitária (PUC-PR), especialista em Planejamento e Gestão de Negócios (FAE Business

School), especialista em Psicologia Corporal (Centro Reichiano), graduanda em Psicologia (Universidade Tuiuti do Paraná). Atua como terapeuta nas áreas de Terapia Corporal, Florais de Bach e Cromoterapia. Professora de Terapia Bioenergética no curso de graduação em Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (Uninter).

32) Yoga emagrece? Mitos, verdades e como eu emagreci 38kg

O Yoga é uma tradição antiga cujas origens se perdem na antiguidade da Índia. Em um contexto moderno, ocidentalizado, o Yoga se mostra principalmente, e quase que exclusivamente, como uma prática com grandes benefícios terapêuticos, sendo um destes benefícios o emagrecimento. Mas até que ponto isso é verdade? Até que ponto é possível emagrecer com o Yoga? Neste artigo exploro estas questões e alguns desdobramentos que estas nos trazem. Tenho por base minha história pessoal com o Yoga e em como alguns aspectos dele contribuíram para meu emagrecimento de 38Kg e principalmente, manutenção do peso.

Tomas Keller Breuckmann / Carazinho / RS / Brasil
Bacharel em Matemática e Mestre em Matemática Aplicada. Especialista em Psicologia Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano. Especialista em Yoga.

Grupo 5 - Programa B (18:30h-19:15h)

33) Cannabis no Divã: como a planta pode contribuir para o bem-estar psicológico
A cannabis, quando utilizada de forma terapêutica, oferece benefícios significativos para o bem-estar emocional. Suas propriedades podem ajudar a aliviar ansiedade, depressão e estresse, proporcionando um suporte valioso no processo de autocuidado e autoconhecimento. É hora de desmistificar preconceitos e explorar o potencial dessa planta na saúde mental.

Carolina Soledad Vila / Curitiba / PR / Brasil
Cursando quarto ano de Licenciatura em teatro UNESPAR-FAP. Pesquisadora de teorias Decoloniais na América Latina. Artista de rua, atriz e canto, arte educadora. Empreendedora. Criadora da “Casa da Jabuticaba”, guest house que funciona como espaço de convivência multicultural e autoconhecimento. Terapeuta integrativa. Instrutora de yoga. Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Terapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.

34) Navegando pelo virtual rumo ao real: autorregulação e vitalidade através da Psicologia Corporal
O presente trabalho busca analisar um programa on-line de oito semanas, que combina exercícios de Bioenergética, Meditações Ativas e actings da Vegetoterapia. Destinado a profissionais liberais e empreendedores que enfrentam desafios emocionais no mundo contemporâneo, o programa visa proporcionar, à distância, um caminho para a autorregulação emocional, constituindo um espaço seguro para explorar as conexões entre corpo e mente. O autor compartilha um caminho fundamentado para resgatar a vitalidade e examina os resultados visando alcançar um novo patamar de equilíbrio emocional e evolução pessoal.

José Renato Salim Morais / Taubaté / SP / Brasil
Terapeuta Corporal (ABTH-BR 2623), Coach Ontológico (LEONARDO WOLK), Rebirthing (IBRARE), Hipnose Eriksoniana (STEPHEN PAUL ADLER). OSHO Meditation (KIMAYA/PUNA/LÓTUS), Especialista em Gestão Empresarial e Marketing (ESPM), Gestão de Pessoas (DISNEY INSTITUTE). Coordenador de Grupos (SBDG). Médico Veterinário (URCAMP/RS – CRMV-5740). Facilitador Empretec (SEBRAE/ONU). Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Terapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.

35) Simetria e movimento: uma análise comparativa entre o homem vitruviano e a teoria de Reich
Haja vista que há uma notória similaridade na construção do Homem Vitruviano, de Da Vinci e do Caráter Genital, de Reich, a proposta do presente estudo é destrinchar tais ideias, comparando-as desde suas origens, convidando também o terapeuta corporal a discutir as etapas de desenvolvimento do ser humano baseando-se no conhecimento psicossocial e na importância da anatomia, que foi fonte inspiradora artística para Da Vinci e fundamentadora dos conhecimentos de Reich. A ideia é que cada vez mais possa haver um enriquecimento de cunho científico capaz de nortear o sucesso terapêutico, ampliando o olhar, não apenas baseado em ideias precursoras, mas sim na maneira como essas ideias foram implementadas por grandes homens, que nos agraciaram com grandes feitos, para que a Psicologia Corporal possa cada vez mais transcender sua eficácia e beneficiar mais pessoas.

Giovana Bonagura Bonini / Curitiba / PR / Brasil
Bacharel em Psicologia pela Universidade Positivo. Especialista em Terapia Familiar Sistêmica. Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Psicoterapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.

Ligia Rhoden / Porto Alegre / RS / Brasil
Bacharel em Fisioterapia pelo Centro Universitário Metodista do IPA. Remedial Massage Therapist (NSW School of Massage). Instrutora de Pilates (Equilíbrio & Vida Pilates). Massoterapeuta (Tchukon Ltda). Cursando Especialização em Psicologia Corporal, com habilitação para atuar como Terapeuta/Analista Corporal de abordagem reichiana e bioenergética, pelo Centro Reichiano, Curitiba/PR.

Grupo 5 - Programa C (17:30h-19:15h)

36) Autorregulação – Da Prática à Entrega – Potência Orgástica

Esta vivência tem por objetivo facilitar o reconhecimento dos bloqueios corporais e ir trabalhando sobre eles através de exercícios da Bioenergética e da Respiração Integrativa Orgástica para alcançar a autorregulação e assim ter uma entrega que possibilite alcançar níveis mais próximos da Potência Orgástica.

Antônio Roberto de Sousa Henriques / Porto Alegre / RS / Brasil
Orgonoterapeuta (CRT-38833), Terapeuta de Vidas Passadas, Terapeuta Xamânico e Acupunturista. Formação em Psicoterapia Somática, Especialização em Psicologia Corporal pelo Centro Reichiano/PR e Formação como Terapeuta Xamânico. Professor de terapias corporais e alternativas e ministrante de trabalhos em grupos terapêuticos, workshops, palestras, cursos e empresas. Fundador do Centro de Treinamento Holístico em Porto Alegre/RS.

Alessandra da Silva Eisenreich Henriques / Porto Alegre / RS / Brasil
Psicóloga (CRP-07/37672), Psicoterapeuta Corporal, Especialização em Psicologia Corporal pelo Centro Reichiano/PR, pós-graduanda em Sexologia Humana e Terapia Sexual/Instituto Gaio/SP. Terapeuta de Vidas Passadas, Training em Massagens Bioenergéticas, Terapeuta de Massagem Tui Ná. Atende em clínica individual e com grupos terapêuticos, além de ministrar cursos e workshops. Diretora do Centro de Treinamento Holístico, Porto Alegre/RS.

37) TREmer para não TRAUMAtizar

Através de exercícios da TRE, Bioenergética e da Vegetoterapia, buscamos entrar em contato traumas e estresses reativando assim a capacidade inata de autocura e autorregulação.

Renato Moretto Maccarini / Curitiba / PR / Brasil
Psicólogo (CRP-08/14661) pela Universidade Tuiuti do Paraná, analista corporal reichiano pelo Centro Reichiano de Curitiba, estudioso da Medicina Tradicional Chinesa e da simbologia emocional dos órgãos humanos.

Se tiver alguma dúvida, nossa equipe estará sempre a postos para lhe auxiliar.

Quero me inscrever para o Congreso