Psicoterapia Corporal Reichiana

Psicoterapia Corporal Reichiana é uma forma de terapia baseada nos ensinamentos de Wilhelm Reich (1897-1957), que  descontente com a psicanálise, decidiu abandonar a escola de Freud por acreditar que mente, corpo e energia deveriam ser tratados em seu conjunto e não separados. Essa proposta de Reich, levou-o a perceber que o sintoma isolado trazido pelo paciente durante o processo analítico, era apenas a ponta de um iceberg e que o que estava por detrás eram as atitudes de caráter moldadas no corpo durante as etapas do desenvolvimento. Isso significa que, ao longo de nosso história, todos os estresses sofridos desde a gestação até a adolescência, firam registrados não apenas na mente, mas também no corpo. Esses registros, que vão formando nossa estrutura de personalidade, também vão modelando nosso corpo e é por isso que temos tipologias diferentes, mas ao mesmo tempo parecidas uma das outras. A partir disso é que Reich criou sua primeira técnica, chamada Análise do Caráter.

Na sequencia de seu trabalho, Reich percebeu que esses registros nada mais são do que o congelamento da neurose no corpo, formando uma armadura de proteção, ao qual chamou de couraça. Passou então a trabalhar sobre essas couraças e percebeu que o acesso ao inconsciente era mais rápido e profundo. A essa técnica Reich denominou de Vegetoterapia Caracteroanalítica por estar atuando diretamente sobre o Sistema Neurovegetativo aliado às questões emocionais.

A pedido de Reich, por intermédio de um de seus alunos, Ola Raknes, tanto as técnicas da analise do caráter quanto a vegetoterapia foram sabiamente revisadas por Federico Navarro que organizou uma metodologia específica para trabalhar com o desbloqueio das couraças.

Tivemos a honra de ser treinados pelo Dr. Federico Navarro onde aprendemos diretamente da fonte esse trabalho e é isso que buscamos ensinar aos nossos alunos no curso de Especialização em Psicologia Corporal, formando terapeutas corporais reichianos (não psicólogos) e psicoterapeutas corporais reichianos (psicólogos) para atuarem fazendo uso dessa metodologia, podendo utilizá-la na prática clínica em seu consultório, na escola, empresas, hospitais, etc, e com qualquer tipo de população – crianças, adolescentes, adultos, idosos, casais, famílias e grupos.