Artigos Científicos 2019

Os artigos são de responsabilidade exclusiva de seus autores, não expressando necessariamente a opinião dos editores. Todos os artigos fazem parte da Revista Online Psicologia Corporal, sob o registro ISSN-15160688.
Para ler os artigos, é necessário ter instalado em seu computador um leitor de PDF. Se você não tiver o programa instalado em seu computador, pode fazer o download clicando no endereço:
http://www.baixaki.com.br/site/dwnld71431.htm

2003 / 2004 / 2005 / 2006 / 2007 / 2008 / 2009 / 2010 / 2011 / 2112 / 2013 / 2014 / 2015 / 2016 / 2017 / 2018 / 2019

Temperamento, personalidade e caráter segundo a Psicologia Corporal
Autor(es): VOLPI, José Henrique

RESUMO
O temperamento diz respeito á constituição biológica. A personalidade à construção do psiquismo, mundo interno da pessoa e o caráter é a expressão da personalidade que se dá por meio do comportamento (gestos, postura, tom de voz, etc). Nada está separado e por esse motivo é que Wilhelm Reich inseriu o corpo dentro da psicoterapia, numa proposta que ele denominou de Análise do Caráter.


Psicoterapia Corporal Reichiana: noções básicas
Autor(es): CASTRO, Gisele Fontenelle de Oliveira.

RESUMO
A psicoterapia corporal reichiana foi criada pelo médico e cientista natural Wilhelm Reich. Tal abordagem psicológica considera que os aspectos somáticos e psíquicos do ser humano formam uma unidade e, ao mesmo tempo, interagem entre si dentro de um contexto social. Através de uma visão inovadora, Reich incluiu a investigação sobre o corpo na cena analítica, desenvolvendo a técnica da análise do caráter e da vegetoterapia caractero-analítica. Na psicoterapia reichiana,os conceitos de potência orgástica, caráter, couraça e unidade corpo-mente constituem elementos basilares.
Palavras-chave: Caráter. Couraça. Psicoterapia Corporal Reichiana. Potência orgástica. Unidade corpo-mente.


A importância do processo de maternagem sob a perspectiva da Psicologia Corporal
Autor(es): SANTOS, Priscila Cardoso; REICHOW, Jeverson Rogério Costa

RESUMO
Este artigo tem como objetivo compreender a importância do processo de maternagem com viés da psicologia corporal. Para tal, utiliza-se de um referencial teórico encontrado através de uma pesquisa bibliográfica com revisão de literatura. Nela pretende-se compreender os momentos que a maternagem se faz importante no período de desenvolvimento infantil. Para além disso, busca-se identificar quando se faz necessário uma intervenção com maternagem dentro de um processo terapêutico, bem como, compreender a forma que é realizada. Desta forma, para obter um melhor entendimento deste processo procurou-se descrever como acontece a maternagem na infância, ressaltando a sua importância e as possíveis marcas que podem surgir no individuo em seu desenvolvimento pela falta ou o excesso da mesma.
Palavras-chave: Maternagem. Psicologia corporal. Psicoterapia. Relação mãe-bebê.


Os sete segmentos de couraças e seus bloqueios
Autor(es): FRAGOSO, Luiza Figueiredo L. R; VOLPI, José Henrique.

RESUMO
Esse artigo tem o objetivo de apresentar, de forma sucinta, a somatopsicodinâmica dos setes segmentos de couraça proposto por Frederico Navarro. Serão apresentados os motivos e as consequências dos bloqueios em cada um dos setes segmentos de couraça, conforme descritos por Reich, sendo eles o ocular, oral, cervical, torácico, diafragmático, abdominal e pélvico.
Palavras-chave: Bloqueio energético. Energia. Navarro. Psicologia Corporal. Segmento de Couraça.


Origem das doenças e stress do medo
Autor(es): GERBER, Natacha Ferreira; VOLPI, José Henrique.

RESUMO
Qual a relação entre o medo e a origem das doenças? O que o momento histórico em que ocorreu o medo representa quando refletimos sobre as doenças que se apresentam em nosso corpo? O que os traços de caráter desenvolvidos como mecanismos de defesa contra esses medos nos dizem sobre as doenças? Este é o quebra-cabeças abordado no texto a seguir.
Palavras-chave: Estresse. Medo. Doença. Corpo. Energia.


Ser Psicólogo
Autor(es): VOLPI, José Henrique.

RESUMO
Quando entramos na Universidade, sonhos e expectativas não nos faltam, e em busca de um futuro melhor, somos movidos pelo desejo de aprender uma profissão. Alguns de nossos colegas trazem consigo a certeza da profissão sonhada; outros ainda não sabem ao certo o que fazer, mas mesmo assim continuam o curso até descobrirem novos potenciais que lhes permitem seguir até o fim; outros ainda, por incontáveis motivos, desistem no meio do caminho.
Palavras-chave: Analista. Psicólogo. Psicologia Corporal.


Teoria e práticas reichianas: estruturas psicológicas, traços de caráter e coberturas caracterológicas
Autor(es): REZENDE, Terezinha Aparecida Nogueira; VOLPI, José Henrique.

RESUMO
De acordo com Reich, caráter é a forma como a pessoa se mostra e se relaciona os aspectos que foram gravados, inscritos, em cada indivíduo desde a concepção, até os primeiros anos de vida. Já o traço caracterial será a solução que a pessoa encontrou para reprimir uma situação de conflito. Esses traços de caráter apresentam comportamentos peculiares quanto à condição energética, características físicas e predisposição a doenças e são denominados: Núcleo Psicótico, Borderline, Psiconeurótico (Masoquista, Obsessivo Compulsivo e Passivo-feminino) e Neurótico (Fálico-narcisista e Histérico). O indivíduo é formado de vários traços caracterológicos que se sobrepõem ao primeiro que apareceu em decorrência do primeiro bloqueio, ou seja, as coberturas, que servirão como proteção daquele primeiro traço que não consegue lidar com o mundo externo. O analista há que cuidar para agir diferentemente com o paciente de cada traço citado anteriormente, cuidando para que seus aspectos caracteriais somados aos do cliente não impeçam ou dificultem o trabalho terapêutico. 

Palavras-chave: Analista. Caráter. Cobertura. Traço Caracterológico.


O corpo na psicoterapia
Autor(es): VOLPI, José Henrique.

RESUMO
Wilhelm Reich foi o precursor das psicoterapias corporais. Primeiramente, focou seus estudos na teoria da libido e aos poucos percebeu que o paciente também expressava seus conteúdos inconscientes por meio do corpo, pela postura, tom de voz, vestimenta, etc. Tirou o paciente do divã e sentou-se frente a frente com o mesmo, o que lhe permitiu entrar em contato com a pessoa num nível além do da neurose em tratamento. Reich propõe uma abordagem psicoterapêutica onde a análise verbal deveria se somar aos trabalhos corporais e energéticos. Sua intenção era uma forma de psicoterapia que considera o corpo, a mente e a energia como uma unidade que deve ser tratada como um tripé, de forma conjunta e indivisível. 

Palavras-chave: Corpo. Desenvolvimento. Energia. Psicologia. Reich.