Psicologia Corporal – Terapia Reichiana

Análise Reichiana

paciente executando um acting da vegetoterapiaTambém conhecida por Orgonomia, a Análise ou Terapia Reichiana recebe esse nome porque tem suas raízes nos trabalhos desenvolvidos pelo médico Austríaco Wilhelm Reich (1897-1957). Após anos de dedicação à psicanálise de Freud, Reich decidiu abandonar àquela escola e se dedicar ao estudo do corpo, da mente e da energia.

O termo “reichiano” vem de Wilhelm Reich e não é a mesma coisa que Reiki, só que ambas apresentam grande similaridade por  trabalharem com a energia. A diferença é que a Terapia Reichiana é um processo psicoterapêutico, porque que analisa a história e o comportamento do paciente. Buscando tornar consciente seus conflitos inconscientes por meio de um trabalho verbal, associado ao trabalho com o corpo.

Reich descobriu que o corpo contém a história de cada indivíduo e é por meio dele que devemos buscar resgatar as emoções mais profundas. Com isso, desenvolveu a técnica da Análise do Caráter. Fugindo da tradicional análise do sintoma proposta pela Psicanálise e passou a analisar o caráter do paciente como um todo, num trabalho mais rápido, dinâmico e profundo.

Por meio da manipulação direta das couraças (tensões corporais), Reich conseguiu alcançar memórias “aprisionadas” nessas couraças de forma a liberá-las. O trabalho não é só verbal, mas também mobilizando juntamente a energia retida na musculatura por meio de movimentos (actings), massagem específica para o desbloqueio das couraças, etc. Dessa forma, a proposta do trabalho é flexibilizar a couraça seguindo o mapeamento do corpo proposto por Reich, em sete segmentos: ocular, oral, cervical, peitoral, diafragmático, abdominal e pélvico. Cada segmento retém uma história particular decorrente de estresses sofridos durante as etapas do desenvolvimento psicoafetivo pela qual todos os seres humanos passam desde a gestação. A esse trabalho de manipulação das couraças Reich deu o nome de Vegetoterapia.

Na continuidade de seus trabalhos, Reich também descobriu que a energia que circula dentro do corpo humano é a mesma que se encontra no cosmos, porém, em concentrações e formas diferentes. Denominou-a de energia orgone. Assim desenvolveu uma nova técnica de trabalho denominada Orgonoterapia,  visando integrar em um único trabalho as questões psicológicas, corporais e a dinâmica energética do paciente. Consolidou-se, portanto, uma nova ciência que Reich denominou de Orgonomia.

O que atualmente chamamos de Terapia Reichiana engloba as técnicas da Análise do Caráter, da Vegetoterapia e da Orgonoterapia.

Dentre os vários seguidores de Reich, chamamos a atenção para os méritos do neuropsiquiatra italiano Dr. Federico Navarro, o qual, com sabedoria e dedicação, deu a sua contribuição, que até hoje é de fundamental importância, principalmente pela criação de uma metodologia para o desbloqueio dos sete segmentos de couraça.pessoa sendo massageada

A sessão de Análise Reichiana mescla uma parte verbal, buscando sempre aprofundar na queixa e conhecer a história do paciente, e uma parte corporal onde, por meio de pequenos movimentos sutis propostos ao paciente. A intenção é buscar os pontos de tensão (couraça) e fazer com que a energia possa circular novamente, restabelecendo dessa forma a saúde física e psíquica da pessoa.

É uma forma de psicoterapia rápida e profunda que busca atuar em conjuntos sobre a mente, o corpo, as emoções e a energia. Portanto, pode ser utilizada tanto a nível de tratamento profilático quanto preventivo.

No Centro Reichiano, o especialista dessa abordagem é o psicólogo Dr. José Henrique Volpi, que foi treinado diretamente pelo Dr. Federico Navarro.

Os atendimentos são realizados em sessões individuais, com casal, família ou grupos.

A duração de cada sessão de Terapia Reichiana é de 75 minutos e a frequência das consultas pode ser semanal ou quinzenal.

>> Agendar Consulta <<