Hoje é

 

 

 

A Análise Reichiana, também conhecida por Orgonomia, tem suas raízes nos trabalhos desenvolvidos pelo médico Austríaco Wilhelm Reich (1897-1957), que após anos de pesquisa decidiu abandonar a técnica da psicanálise e se dedicar ao estudo do corpo, da mente e da energia.

O nome Reichiana vem de Wilhelm Reich e não é a mesma coisa que Reiki.

Reiki é uma prática espiritual que se baseia na crença da existência da energia vital universal "Ki", manipulável pela imposição de mãos. Apesar de serem propostas diferentes, encontram suas similaridades quando se trabalha com a energia vital que Wilehlm Reich chamou de orgônio.

Ainda enquanto psicanalista Reich descobriu que o corpo contém a história de cada indivíduo e é por meio dele que devemos buscar resgatar as emoções mais profundas. Com isso, desenvolveu a técnica da Análise do Caráter, fugindo da tradicional análise do sintoma proposta pela psicanálise e passando a analisar o caráter do paciente como um todo, num trabalho mais rápido, dinâmico e profundo.  

Como um impiedoso combatente do cartesianismo que sugere a separação entre a mente e o corpo, Reich passou a observar não apenas o caráter do paciente, demonstrado por meio de gestos, postura, tom de voz, etc, como também sua postura corporal, podendo "ler" o caráter do paciente inscrito no corpo, nas tensões, nas couraças. Por meio da manipulação direta das couraças (tensões corporais), Reich conseguiu alcançar memórias "aprisionadas" nas couraças de forma a liberá-las, mobilizando juntamente a energia retida na musculatura. Mudou-se para os Estados Unidos, estabelecendo-se em Rangeley, Maine, onde montou sua escola - Orgonon, para treinamento de profissionais interessados nessa abordagem.

A partir do trabalho direto sobre a musculatura do paciente, Reich mapeou o corpo em sete segmentos de couraça: ocular, oral, cervical, peitoral, diafragmático, abdominal e pélvico, onde cada segmento retém uma história particular decorrente de estresses sofridos durante as etapas do desenvolvimento psicoafetivo pela qual todos os seres humanos passam desde a gestação. A esse trabalho de manipulação das couraças por meio de movimentos específicos e que buscam a expressão das emoções, atuando diretamente sobre o Sistema Neurovegetativo, Reich deu o nome de Vegetoterapia Caracteroanalítica. Tempos depois, 1936, Reich passa trabalhar com pesquisas que levaram-no à descoberta da energia Orgone, presente no micro e macrocosmos, pesquisas essas que foram feitas arduamente até o final de sua morte em 1957.

 

Na continuidade de seus trabalhos, Reich também descobriu que a energia que circula dentro do corpo humano é a mesma que se encontra no cosmos, porém, em concentrações e formas diferentes. Denominou-a de energia orgone. Assim desenvolveu uma nova técnica de trabalho denominada orgonoterapia,  visando integrar em um único trabalho as questões psicológicas, corporais e a dinâmica energética do paciente. Consolidou-se, portanto, uma nova ciência que Reich denominou de Orgonomia, o que atualmente chamamos de Análise Reichiana, da qual fazem parte as técnicas da análise do caráter, vegetoterapia e orgonoterapia.

 

Dentre os vários seguidores de Reich, chamamos a atenção para os méritos do neuropsiquiatra italiano Federico Navarro, que com sua sabedoria e dedicação deu a sua contribuição que até hoje é de fundamental importância.

Com relação à técnica da Análise do Caráter desenvolvida por Reich nos anos 30, Navarro fez uma releitura, revisão e atualização, demonstrando a importância de se considerar os diversos traços caractereológicos que apresentamos como defesa em nosso dia a dia. Considerou também as chamadas "coberturas caracteriais", ou seja, outros traços de caráter que encobrem os que foram bloqueados primeiramente durante as etapas do desenvolvimento emocional.

Um outro trabalho desenvolvido por Navarro extremamente importante para a Análise Reichiana, foi a criação de uma metodologia para o desbloqueio dos sete segmentos de couraça. A pedido de Reich, por intermédio de Ola Raknes, Navarro, com seu conhecimento de neuropsiquiatria, desenvolveu os chamados actings que são movimentos a serem propostos ao paciente, cujo objetivo é flexibilizar a couraça de cada um dos sete segmentos, liberando a energia bloqueada e por consequência, a emoção retida em cada um dos segmentos. É um trabalho que deve ser feito em conjunto com a análise do caráter, numa proposta de integração mente-corpo.

Quando fazemos um trabalho de Análise Reichiana, agrupamos as técnicas da análise do caráter com as da vegetoterapia e orgonoterapia. A proposta desse tipo de analise é trabalhar seguindo rigorosamente o desbloqueio dos sete segmentos de couraça e ao mesmo tempo analisar os conteúdos emocionais contidos em cada um deles. Assim sendo, além do trabalho verbal que permite a análise do caráter, o analista propõe ao paciente que execute movimentos específicos (actings) e depois de determinado tempo investiga, de forma verbal, as sensações, os conteúdos emocionais e as lembranças que o movimento desencadeou.

A sessão de Análise Reichiana tem a duração de 1h e 20 minutos, com freqüência que pode ser semanal ou quinzenal.

No Centro Reichiano, o especialista dessa abordagem é o psicólogo Dr. José Henrique Volpi, que foi treinado por Federico Navarro. Você pode saber mais a respeito dessa abordagem lendo os artigos escritos pelo mesmo.

 

Para agendar consulta, preencha o formulário pelo menu abaixo