PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

 

O evento é composto das seguintes atividades

 

a) PALESTRAS - atividades teóricas de 1 hora e 15 minutos cada, realizadas no auditório central, no primeiro e no terceiro dia do evento, para todos os inscritos.

b) OFICINAS - atividades teóricas, práticas ou vivenciais, realizadas no segundo dia do evento. Você deve escolher aquelas das quais deseja participar em cada grupo - horário. As oficinas são:

- Seminários - atividades teóricas de 45 minutos.

- Comunicações Orais - 2 atividades teóricas que totalizam 45 minutos de apresentação, realizadas na mesma sala e horário, sendo 20 minutos para cada conferencista.

- Laboratórios - atividades teórico-práticas, de 1 hora e 45 minutos. A proposta é o conferencista trazer um pouco da teoria e ensinar algumas técnicas que podem ser aplicadas na prática.

- Vivências - atividades prático-vivenciais, de 1 hora e 45 minutos. A proposta é levar o participante a vivenciar na prática algumas técnicas trazidas pelo conferencista.

Quando uma oficina estiver LOTADA, no horário da mesma você poderá se dirigir até a porta e pedir para ficar em lista de espera. Caso falte alguem ou o conferencista permitir no momento da atividade, você poderá entrar.

c) VIVÊNCIA DE INTEGRAÇÃO - atividade prático-vivencial, de 1 hora e 30 minutos, realizada no final do primeiro dia do evento. A proposta é levar o participante a vivenciar na prática algumas técnicas trazidas pelos conferencistas e proporcionar sua integração com os demais participantes do evento.

d) PÔSTERES - atividades teóricas onde os conferencistas expõe em um cartaz (banner) algumas ideias a respeito de um tema específico e, no terceiro dia do evento, no intervalo da manhã, colocam-se ao lado do seu pôster para apresentar/trocar ideias com os participantes que tiverem interesse pelo tema.

e) GRUPOS DE MOVIMENTOS - atividades práticas de curta duração, realizadas pelos Engenheiros do Corpo, alunos do Centro Reichiano, a fim de movimentar o corpo e a energia, além de propiciar uma melhor integração e descontração entre os participantes.

 

 

O valor da taxa de inscrição lhe dá o direito de participar de todas as atividades oferecidas pelo evento.

Ao efetuar sua inscrição online, você recebe por e-mail uma senha para acessar uma página que abre em seu nome.

Assim que efetuar o pagamento e inserir em sua página o comprovante e após a conferência do mesmo por nossa equipe, o sistema libera em sua página pessoal o ícone OFICINAS para que você possa fazer as escolhas para participar das atividades do segundo dia do evento, que mais lhe interessam, dentre as várias que acontecem ao mesmo tempo em salas diferentes.

Cada oficina escolhida ficará registrada em sua página e estarão listadas no verso do seu crachá quando retirá-lo no primeiro dia do evento.

 

O evento é ABERTO A TODOS OS INTERESSADOS, de qualquer curso e área.

 

Ao final do evento, você acessa em sua página para imprimir seu

Certificado de participação de 30 horas

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO DESSA PÁGINA = 27.02.2018

A programação poderá sofrer alterações caso haja algum impedimento de participação de algum conferencista, cancelamento ou atraso de vôo ou outro fator que esteja fora de nossas possibilidades de organização. Qualquer alteração antecipada será imediatamente comunicada no quadro abaixo e por e-mail.

Emitiremos Certificado Online (para você imprimir) a todos os Participantes Ouvintes (30hs), de Apresentação de Trabalhos a todos os Conferencistas e de Apoio aos Monitores Externos.

Beco do Autógrafo - nos intervalos maiores (de 30 minutos) os autores de livros que estiverem apresentando seus trabalhos no evento estarão nesse espaço para autografar suas publicações.

 
Clique na imagem para abrir o folder
 
 

DIA 31/05/2018 - QUINTA-FEIRA (Feriado)

A partir das 08:30h

Credenciamento - Entrega de material e crachá.

Teremos um espaço na secretaria para você deixar suas malas caso precise.

09:00h - 10:15h

Grupo de Movimento - Engenheiros do Corpo. Alunos do Centro Reichiano

10:15- 10:45h

Intervalo para cafezinho

10:45h - 12:00h

PALESTRA - 1

Dependência virtual e intoxicação tecnológica – quando o vício reforça a patologia do caráter. José Henrique Volpi/PR e Sandra Mara Volpi/PR

Para as novas gerações, o mundo sem a Internet é simplesmente inimaginável. Para crianças, adolescentes e jovens, o mundo está ao alcance de um clique – e é através de cliques que as fronteiras entre o privado e o público, entre o real e o virtual, entre o impossível e o “pseudo” possível se desvanece. Para as gerações que, muitas vezes atônitas e de atitudes inseguras, têm como tarefa conduzir crianças, adolescentes e jovens até a maturidade, a linguagem tecnológica é uma “segunda língua”, diversa de sua “língua materna” para com o seu entorno. No mundo virtual, essas gerações se encontram e se confrontam, alguns como nativos desse universo em expansão, e outros como forasteiros. Essa palestra aborda as mudanças em termos emocionais, energéticos, neuropsicológicos, comportamentais e etc. que cada indivíduo está vivendo em si mesmo e em seus vínculos.

12:00h - 13:45h

Intervalo de almoço

13:45h - 14:15h

Grupo de Movimento - Engenheiros do Corpo. Alunos do Centro Reichiano

14:15h - 15:30h

PALESTRA - 2

Prazer ou Alívio? Qual o X da questão? Por uma resposta com base na teoria da energia material humana e no conceito de potência orgástica. Leonardo José Jeber/MG

Apresentarei uma reflexão à luz da Teoria da Energia Material Humana e do conceito de Potência Orgástica na Teoria da Economia Sexual de Wilhelm Reich. Segundo Reich, “... o homem é a única espécie biológica que destruiu a sua própria função sexual natural e está doente em consequência disso”. Com base no livro do Professor G. Fábio Madureira, “Prazer ou Alívio, o X dos 7 pecados”, presidente do Centro de estudos sobre Sabedoria Popular, Energia Material Humana e Sexualidade, farei uma reflexão sobre essa questão: prazer x alívio. Também levarei em consideração as questões que surgem em minha prática docente na UFMG, com as disciplinas "Por uma Pedagogia do Prazer" e "Teoria da Psicologia Política e Corporal de Wilhelm Reich aplicadas à Pedagogia e Licenciaturas".

15:45h - 17:00h

PALESTRA - 3

Somatodrama: uma contribuição no tratamento da Síndrome do Pânico. Maria Christina Freire/SP

Iremos abordar a importância dos recursos psíquicos, mobilizados pela percepção visual, auditiva e cenestésica, nominados como mentalizações (representação e simbolização) e sensações (energias pré-verbais instintivas, libidinais, na Síndrome do Pânico, que são mobilizadas pela ansiedade generalizada). O corpo é aquele que testemunha os desejos e ansiedades, sofre dores, angústias. Ele sempre é permeado por múltiplos sentimentos. As técnicas e manejos estudados pelo Somatodrama, como interações entre percepção, e sensações podem ser recursos utilizados em pessoas que tendem a reagir aos conflitos internos e externos através de manifestações somáticas muito comuns nas crises de pânico.

17:00h - 17:30h

Intervalo para cafezinho e Beco dos Autógrafos com:

- Maria Christina Freire/SP

17:30h - 19:00h

Vivência de Integração - José Henrique Volpi/PR e Sandra Mara Volpi/PR

.

DIA 01/06/2018 - SEXTA-FEIRA

OFICINAS - Seminários, Comunicações Orais, Laboratórios, Vivências

Nesse dia (01/06), acontecem várias oficinas ao mesmo tempo. As mesmas estão classificadas em Grupos de 1 a 6 (que determinam o horário de início e término da atividade) e Programas A, B e C (que diferenciam a duração de cada atividade).

Legenda das Oficinas

SE = Seminário (atividade teórica) - Duração de 45 minutos

CO = Comunicação Oral (2 atividades teóricas em uma mesma sala e horário). Duração de 45 minutos

LAB = Laboratório teórico-prático (atividade teórica e prática) - Duração de 1h e 45 minutos

VIV = Vivência (atividade prática) - Duração de 1h e 45 minutos

 

A escolha das oficinas é simples, mas exige um pouco de atenção. Por isso montamos a grade abaixo onde você irá verificar que o Programa A e B tem a cor laranja e o Programa C a cor verde.

Cada Grupo (De 1 a 6), tem 3 Programas - A, B e C.

Então, para CADA GRUPO (de 1 a 6), você pode optar em participar de duas oficinas da cor laranja ou de uma oficina da cor verde.

Não é possível participar de uma oficina  da cor laranja e uma oficina da cor verde, quando for no mesmo Grupo porque os horários coincidem.

As oficinas devem ser escolhidas pelo ícone OFICINAS que fica disponível em sua página pessoal do congresso (somente para os que já quitaram o pagamento).

 

EXEMPLO

GRUPO 1 - Das 8:00h às 9:40h

PROGRAMA A  - Seminário ou Comunicação Oral (Duração de 45 minutos cada)

PROGRAMA B  - Seminário ou Comunicação Oral (Duração de 45 minutos cada)

PROGRAMA C  - Laboratórios ou Vivências (Duração de 1h e 45 minutos cada)

 

Isto quer dizer que no GRUPO 1 você pode participar de:

- uma oficina (Seminário ou Comunicação Oral) do Programa A (das 8:00h às 8:45h)

- uma oficina (Seminário ou Comunicação Oral) do Programa B (das 9:00 às 9:45h)

OU

- uma oficina (Laboratório ou Vivência) do Programa C (das 8:00h às 9:45h)

GRUPO 1 - Das 8:00h às 9:45h

PROGRAMA A - Das 8:00h às 8:45h

 

Seminário ou

Comunicação Oral (1.1 e 1.2, juntas na mesma sala)

 

PROGRAMA C

Das 8:00h às 9:45h

 

Laboratório ou Vivência

Intervalo 15 minutos

PROGRAMA B - Das 9:00h às 9:45h

 

Seminário ou

Comunicação Oral (2.1 e 2.2, juntas na mesma sala)

Ao se inscrever para a comunicação 2.1 automaticamente fica inscrito para a 2.2 porque são na mesma sala e mesmo horário. Assim ocorre com as demais comunicações.

 

 

Quando marcadas, as OFICINAS ficarão registradas em sua página para você conferir.

Pedimos que confira tudo e se possível salve em seu computador ou imprima para não ter dúvidas e no dia do evento achar que escolheu uma atividade mas acabou marcando outra no sistema ou ter deixado em branco achando que tinha registrado sua escolha.

No dia do evento, os números das oficinas escolhidas por você estará impresso em seu crachá.

Para as Comunicações Orais (CO), que são duas atividades numa mesma sala e horário, você irá se inscrever apenas na primeira atividade do mesmo número e automaticamente já estará inscrito também para a segunda atividade. Nesse caso, a segunda atividade estará indisponível para marcar.

As vagas são preenchidas de acordo com a ordem de chegada de inscrições. Quando uma oficina estiver LOTADA, o ícone para a escolha da mesma não estará disponível para ser marcado.

Caso você queira participar de uma atividade que já esteja lotada, poderá, minutos antes do início da mesma, ir até a porta e pedir ao monitor da sala que o deixe em LISTA DE ESPERA. Assim que entrarem todos os inscritos, caso falte alguém para a atividade, você poderá tomar o lugar dessa pessoa. Portanto, NÃO SE ATRASE porque a porta é FECHADA assim que inicia a atividade.

Se tiver alguma dúvida, não deixe de nos comunicar.

GRUPO 1 (Das 08:00h às 09:45h)

(Escolha 2 atividades do programa A e B ou uma atividade do programa C

Programa A - Das 08:00h às 08:45h  /  Programa B - Das 09:00h às 09:45h

Programa C - Das 08:00h às 09:45h

.

Grupo 1 - Programa A - Das 08:00h às 08:45h

1

SEMINÁRIO

Yoga de Gente Grande. Vamos falar de depressão? Tomas Keller Breuckmann/PR

O Yoga de Gente Grande tem por objetivo lidar com questões relacionadas à obesidade através do Yoga e áreas correlatas. A obesidade é uma doença crônica, que atualmente atinge proporções epidêmicas, sendo que a depressão é um do fatores intimamente relacionados, podendo ser tanto causa quanto efeito, que juntos formam um círculo vicioso. O que o Yoga tem a colaborar no controle da depressão é o que investigaremos, e com isso a obesidade pode ser encarada de forma mais leve, com maior qualidade de vida.

2

COMUNICAÇÃO

ORAL

(2 atividades na mesma sala)

Na ficha de inscrição assinale apenas a atividade 2.1 e já estará inscrito automaticamente para a atividade 2.2

 

 

2.1. Biodanza com idosos e doenças da civilização. Wanda Maria Palmeira Campos/PR

Por vezes o idoso pratica um estilo de vida pouco ou nada saudável que favorece as chamadas Doenças da Civilização. Elas se apresentam como sintomas (insônia, estresse, angústia, falta de vontade, falta de ânimo, baixa autoestima e outros). As escolhas podem estar comprometendo a saúde e o bem-estar, e em Biodanza são consideradas anti-vida, se promovem situações que frequentemente levam a uma perda da homeostase interna, uma vez que fragiliza o indivíduo em sua totalidade ou parcialmente, e o fará necessitar de cuidados para sua recuperação. Para tanto, pode-se investir em exercícios e vivências capazes de resgatar possibilidades e ampliar chances de restauração do processo de Integração. Este precisa ser estimulado para que ocorram as condições necessárias ao crescimento pessoal. A integração possibilita a autorregulação, evitando então que as Doenças da Civilização se estabeleçam e o organismo seja capaz de recuperar-se. A Biodanza trabalha para que tanto os ecofatores (ambientais) e os cofatores (genéticos ou endógenos) contribuam para a integração do ser, eliminando ou reduzindo elementos nocivos e tóxicos que possam estar limitando o idoso na sua autonomia e alegria de viver, fatores estes indispensáveis à sua plenitude.

2.2 Psicologia Corporal e Dança Circular: aplicações e convergências. Adriana Regina Roth/SC

A Dança Circular é registrada em todo mundo, por diversos autores, como uma experiência de terapia conjunta que busca o aprofundamento do seu próprio ser e o reconhecimento do outro, caracterizando a procura pelo entendimento recíproco. Este estudo tem como objeto central, através de pesquisa bibliográfica descritiva, investigar a atividade da Dança Circular, suas técnicas e aplicações, bem como a presumível convergência em relação à Psicologia Corporal, considerando seu potencial de contribuição no estímulo para o processo de autoconhecimento, amadurecimento e individuação do sujeito.

Grupo 1 - Programa B - Das 09:00h às 09:45h

3

SEMINÁRIO

 

A vida em Wilhelm Reich é sagrada, é pulsação energética, cósmica, cheia de graça. Leonardo José Jeber/MG

Neste seminário vamos fazer um itinerário para apresentar a vida no pensamento e obra de Wilhelm Reich como sexualidade sagrada, pulsação energética, cósmica e cheia de graça. Apresentaremos a evolução do cio biológico humano em busca de seu cio psicobiofísico. Vamos expor o que compreendemos por vida cósmica dizendo que a vida é cósmica, multidimensional, sempre nova, flexível, dinâmica, criativa, não monolítica, não paralisada, não mística, fluxo energético eterno. Buscaremos refletir sobre a vida humana como ela é com suas limitações, conflitos, contradições encouraçadas; a vida humana como ela poderia ser no sentido de como gostaríamos que ela fosse, e a vida cheia de graça, no sentido transcendente com base no anseio cósmico identificado por Reich em “O éter, Deus e o diabo”.

4

COMUNICAÇÃO

ORAL

2 atividades na mesma sala)

Na ficha de inscrição assinale apenas a atividade 4.1 e já estará inscrito automaticamente para a atividade 4.2

4.1. Enfrentamento consciente do Transtorno do Pânico através da Psicologia Corporal, respiração e Yoga. July Hessel/PR

O Transtorno do Pânico é uma patologia incapacitante em vários sentidos para as pessoas que são acometidas por esse mal. Essa comunicação fará um delineamento desse transtorno, de seus sintomas, bem como dos critérios para o diagnóstico do mesmo. Além de uma descrição puramente objetiva, busca-se, através de referências da Psicologia Corporal aliadas a técnicas respiratórias e ao conhecimento milenar da Yoga, desenvolver possibilidades para um enfrentamento consciente que auxilie os pacientes na hora das crises. Para tanto, utiliza-se a Psicologia Corporal, visando delimitar quais são os bloqueios existentes no Transtorno do Pânico que fazem com que as crises de pânico aconteçam.

4.2. O corpo na psicose. Julia Scuissiatto Bueno/PR

A psicose é um "transtorno" recorrente em pacientes, principalmente em hospitais e clínicas psiquiátricas. A falta de compreensão dos profissionais de saúde sobre como os transtornos mentais atuam diretamente no corpo interfere na forma como enxergam estes pacientes. O indivíduo psicótico possui a perda do contato com seu próprio corpo, sua percepção de realidade é diminuída, tornando difícil comunicar ao outro aquilo que vivencia. Nessa apresentação pretende-se demonstrar como o entendimento sobre a psicose, no âmbito da Psicologia Corporal, pode auxiliar na forma que esses pacientes são tratados.

Grupo 1 - Programa C - Das 08:00h às 09:45h

5

LABORATÓRIO

Mandalas em Movimento. Adriana Bisconsin/PR e Ricardo Peixoto Ribeiro/PR

Apresentaremos 33 mandalas que foram transformadas em Danças Circulares. Mandalas são imagens de meditação e cura. Quando as unimos ao movimento corporal, aprimoramos e criamos uma força geradora de saúde, criatividade e proteção. As imagens das Mandalas em Movimento operam em níveis sutis e cada uma nos leva a outras áreas do nosso ser, nutrindo nosso corpo, mente e alma. Estas imagens são transmitidas através da experiência visual dançada. Segundo C. G. Jung: “Encontrar o centro é o alvo de nossas energias intrapsíquicas para nos tornarmos quem somos.” Este trabalho foi inspirado no livro “Pontes da Vida”, de Monika Cortesi, encontrado em Lucerna, Suíça, em 2014. Foi traduzido do alemão para o português por Marianne Schaffner com a autorização prévia da autora, que também autorizou o trabalho das Mandalas com as Danças Circulares.

6

LABORATÓRIO

Na batida do coração o que decide: a razão ou a emoção? Joviniano José Rezende de Oliveira/SP

Este relato de experiência é um resultado parcial da minha tese de doutorado: “Filosofia e Movimento: corpo, consciência e conceito”. A experiência refere-se à aplicação de um grupo de movimento e consciência corporal realizado nas aulas de Filosofia para estudantes do segundo do ensino médio na E. E. Prof. Coriolano Monteiro de Campinas/SP. O conflito entre pensar e sentir foi relacionado à mobilização da couraça torácica, por meio de exercícios de Bioenergética e percussão corporal. A experiência foi realizada ao ar livre na área externa da escola. Esse trabalho de sensibilização se desdobrou em várias discussões ao longo do ano, especialmente na questão presente no conflito inerente à tomada de decisões. No momento em que uma escolha deve ser feita, o que devemos dar mais importância: à racionalidade ou a ouvir a “voz do coração”?

7

VIVÊNCIA

Poeiras do tempo – do vazio absoluto aos ciclos de nascimento e morte. Etapas de consciência corporal e resgate. Wilson Pacheco/SC, Regina Maria Martis Del Coco/SP e Fernanda Reddin Werka/PR

Desde a grande explosão, o big bang, as mais minúsculas partículas viajam no tempo cósmico, sozinhas ou formando grandes massas organizadas, que por mais complexas que possam se apresentar, não são perenes. Seja asteroide, planeta, estrela ou qualquer corpo, com consciência de “Ser”, sempre voltam à condição mais ínfima, pois fazem parte do grande processo cósmico de “Criação-Destruição-Recriação”. Sendo o conhecimento eterno, podemos experimentar os ciclos cósmicos, acessando a bagagem vivida e então, com nova consciência corporal, adquirir novo saber, restaurar débitos dos ciclos anteriores, admirar, conhecer e ter gratidão ao corpo que agora a “Essência” habita individualmente.

8

VIVÊNCIA

Corpo Vivo: reencontro com o self. Valleska Zych/PR

Quando nosso corpo encontra-se em um estado profundo de inércia, ele tende a adoecer. O movimento é o caminho para que o fluxo de energia volte a fluir e a saúde vibrante apareça. Um corpo vivo está em constante movimento e a vibração é o elemento chave da vitalidade. Um corpo vivo e sadio está em constante estado de vibração seja desperto ou dormindo. Um corpo vivo expressa seus sentimentos com naturalidade e espontaneidade. Um corpo vivo é livre, gracioso e belo. É capaz de experimentar sensação de satisfação e prazer. Um corpo vivo está ligado com seu self. O self não pode divorciar-se do corpo e a autopercepção não pode separar-se da consciência corporal. Este é o caminho do crescimento, é estar em contato com o corpo e entender o que ele diz.

GRUPO 2 (Das 10:00h às 11:45h)

(Escolha 2 atividades do programa A e B ou uma atividade do programa C

Programa A - Das 10:00h às 10:45h  /  Programa B - Das 11:00h às 11:45h

Programa C - Das 10:00h às 11:45h

.

Grupo 2 - Programa A - Das 10:00h às 10:45h

9

SEMINÁRIO

O processo do adoecer na depressão, segundo a Psicologia Corporal. Maria Suelene Costa Dantas/PR e Loriane Heide/SC 

Todas as experiências que vivemos, desde o momento da fecundação, constroem nosso caráter, ou seja, nossa forma de agir e reagir no mundo. Dessa maneira, podemos dizer que alguns adoecimentos do indivíduo podem ter suas raízes no início da sua vida, bem como no seu processo de desenvolvimento. Neste trabalho, nos deteremos na depressão, doença cada vez mais presente nos consultórios médicos e psicólogos, a qual tem suas origens plantadas nos primeiros meses de vida, no período de amamentação, a etapa oral de desenvolvimento. A Psicologia Corporal possui métodos de interferência capazes de resgatar a energia que foi bloqueada lá no início da vida, e assim devolver a saúde física e psíquica dos indivíduos.

10

COMUNICAÇÃO

ORAL

(2 atividades na mesma sala)

Na ficha de inscrição assinale apenas a atividade 10.1 e já estará inscrito automaticamente para a atividade 10.2

10.1. Cuidados na concepção, gestação e parto sob o olhar da Psicologia Corporal. Jessica Araújo Lourenço Telhada/SP

O desenvolvimento psicoemocional e vegetativo acontece desde a concepção. É importante que isso seja considerado e validado para que as pessoas tenham mais consciência da importância desse momento e para que cuidem melhor da gestação, do parto e do pós-parto, prevenindo neuroses e bloqueios em busca de uma vida e de uma sociedade mais saudável. Por isso, esta apresentação propõe olhar e refletir sobre o início da vida (concepção, gestação e parto), mostrando a importância do cuidado dos pais, profissionais e pessoas que estão em contato com o feto ou bebê em cada fase e momento. Visa que cada ser se sinta desejado, amado e amparado em suas necessidades primárias e vitais

10.2. A Psicologia Corporal e os bloqueios energéticos no trabalho de parto. Rosana Rodrigues de Moraes Erthal/PR

O trabalho de parto é um acontecimento fisiológico guiado pelos hormônios liberados pelo corpo da mulher e pelo do bebê. A situação emocional e psicológica em que a gestante se encontra influencia diretamente o processo, inclusive alterando o fluxo hormonal e podendo facilitar a evolução ou trazer obstáculos que inibem a sua progressão natural. Por meio de pesquisa bibliográfica e de campo (entrevistas e observação de mulheres que entraram em trabalho de parto), essa apresentação pretende levantar dados sobre os principais bloqueios energéticos em relação ao processo de nascimento do bebê.

Grupo 2 - Programa B - Das 11:00h às 11:45h

11

SEMINÁRIO

Corpo ansioso: um olhar abrangente sobre o processo de ansiedade no corpo e caminhos da Bioenergética para o tratamento. Gabriela da Silva Vieira/PR e Patricia Weide Moura (Najida)/PR

O presente trabalho busca a compreensão de como se manifesta a ansiedade no corpo do indivíduo contemporâneo, inserido em uma sociedade que valoriza em demasia os processos mentais, preterindo o corpo e suas inúmeras possibilidades de participação e diminuição dos sintomas da ansiedade. Para isso traremos as teorias da Psiquiatria Psicodinâmica, Neurobiologia e Bioenergética como forma de fazer uma leitura que englobe aspectos psíquicos, neurológicos, mentais e corporais. Por fim, com base neste estudo, será dialogado a respeito de trabalhos terapêuticos corporais possíveis para a ansiedade.

12

SEMINÁRIO

Contribuições da Psicologia Biodinâmica no atendimento com crianças e adolescentes. Juliana Pesente Kerckhoff/ES e Daísa de Martin/ES

Objetiva relatar a experiência clínica em atendimento psicoterapêutico com crianças e adolescentes na clínica corporal neorreichiana, com ênfase nas contribuições da Psicologia Biodinâmica. Fundamenta-se igualmente nas contribuições de Brasilda Rocha e sua técnica de intervenção que utiliza o brinquedo como recurso psicoterapêutico. Além disso, pauta-se no papel da sexualidade no desenvolvimento infantil descrita por Freud e destaca os conceitos de objeto transicional e de mãe suficientemente boa de Winnicott. Aponta a importância do psicoterapeuta ativo que brinca junto com a criança, favorecendo o desbloqueio enérgico para o desenvolvimento psíquico e corporal.

Grupo 2 - Programa C - Das 10:00h às 11:45h

13

LABORATÓRIO

Técnicas e manejos do Somatodrama na Síndrome do Pânico. Maria Christina Freire/SP

A Síndrome do Pânico, ataques de pânico e ansiedades generalizados são problemas graves, mas existem vários métodos de tratamento. O que iremos vivenciar são as técnicas e manejo do Somatodrama, que vêm apresentando bons resultados. Para eliminar totalmente os ataques de pânico o tratamento deve ser feito com medicamentos, que é uma forma temporária de atenuar os sintomas, mas sempre associados a um trabalho psicoterapêutico corporal. Para sabermos mais sobre os efeitos das crises da Síndrome do Pânico é importante conhecermos as manifestações físicas e mentais que a acompanham. Vivências psicossomáticas e experiências sensíveis corporais são uma estreita passagem entre sensações corporais e sua tradução em uma representação psíquica simbólica que re-significadas podem ser expressas por atos ou palavras que darão significado as próprias emoções e uma possibilidade de enraizarmos a consciência no corpo, bem como abordarmos a percepção e sensações como sinônimo de inconsciente.

14

VIVÊNCIA

E se não der mais tempo…Renato Moretto Maccarini/PR

Por vezes procrastinamos, por vezes somos pegos de surpresa, por vezes não achamos importante... Em outras pensamos que fomos deixados de lado, achamos que não temos importância, que o outro é sempre mais importante... Mas se pararmos para refletir um pouco talvez cheguemos à conclusão de que poderíamos ter nos posicionado perante nós mesmos e nos entregado um pouco mais ao que nós mesmos sentíamos naquele momento. Muitas vezes colocamos nossa sensação de lado em detrimento ao que pensamos... mas será que cada um está sendo verdadeiro consigo mesmo? E então, o que vem a seguir...

15

VIVÊNCIA

Respiração, Relaxamento e Meditação. Cynthia Sampaio/BA

A Meditação é uma prática capaz de produzir integração entre a mente, o corpo e o espírito que ajuda a pessoa a conquistar equilíbrio, relaxamento e autocontrole além de desenvolvimento da consciência. Inúmeras são as comprovações científicas já obtidas a respeito do potencial da Meditação como instrumento de autorregulação do organismo humano, assim como de seus benefícios para a saúde. A proposta desta vivência é criar um espaço de aprendizado da arte de meditar através das práticas do Healing, uma metodologia para o desenvolvimento humano, sistematizada por Bob Moore, onde se utiliza o movimento da consciência dentro da fisiologia humana para mover a energia e integrar os diversos níveis do ser, numa expansão da consciência.

16

VIVÊNCIA

Experimentando o mundo: deixando os sentidos fluírem. Renato Nascimento de Miranda/DF e Cristiane Zanette de Camargo/SP

Nossos sentidos são nossa forma de contato conosco e com o mundo. É a partir deles que experimentamos todas as nossas sensações, que interagimos com os outros, que tomamos ciência dos objetos, que percebemos belezas e perigos. Eles são nossa sintonia com tudo que existe e, mesmo sendo limitados, nos abrem um mundo quase infinito de possibilidades. Sem eles, nenhuma experiência é possível, nem as agradáveis, nem as desagradáveis. Sequer nossa consciência existiria. Quando algum de nossos sentidos é afetado toda a nossa experiência é alterada, da mesma forma que nossa personalidade, nossas crenças, estado emocional e principalmente nossos bloqueios emocionais energéticos, que também os afetam e à nossa capacidade de percepção. O objetivo desta vivência é trabalhar os sentidos, de modo a buscar uma conscientização, ampliação e desbloqueio de nossas capacidades sensoriais, aumentando assim nosso potencial afetivo e de contato.

14:45h às 13:15h - Intervalo para almoço
GRUPO 3 (Das 13:15h às 15:00h)

(Escolha 2 atividades do programa A e B ou uma atividade do programa C

Programa A - Das 13:15h às 14:00h  /  Programa B - Das 14:15h às 15:00h

Programa C - Das 13:15h às 15:00h

.

Grupo 3 - Programa A - Das 13:15h às 14:00h

17

SEMINÁRIO

Análise Bioenergética e o comportamento alimentar. Priscilla de Castro Campos Leitner/PR

Nunca alimentar-se foi tão difícil! Este seminário tem como objetivo principal discutir sobre as diferentes dificuldades desta demanda tão contemporânea que é o comportamento alimentar. O comer transtornado, transtornos alimentares e a obesidade serão discutidos sob a perspectiva da Análise Bioenergética, ancorando a teoria e a prática terapêutica para compreender como estes comportamentos estão influenciados por defesas caractereológicas, falhas no desenvolvimento psicossexual, distúrbios na função nutrição, organização de personalidade, narcisismo e constituição do sujeito. O corpo, a autoimagem e autoconceito também fazem parte desta questão, que se torna muito complexa na atualidade.

18

COMUNICAÇÃO

ORAL

(2 atividades na mesma sala)

Na ficha de inscrição assinale apenas a atividade 18.1 e já estará inscrito automaticamente para a atividade 18.2

18.1. Câncer e a estagnação energética: compreendendo um caso clínico a luz da Psicologia Corporal. Helena Horbatei/PR

O corpo humano é constituído por células minúsculas que desencadeiam os tecidos e que formam os órgãos; estas são responsáveis por desenvolver o ritmo de ordem biológica do organismo que distribui a energia do centro do corpo para os demais membros periféricos. Podemos levar em consideração que se essa energia não circula, temos uma estase (um acúmulo de energia), ou também pode ocorrer uma descarga excessiva da energia corporal, quando se tem um descontrole energético, e o paciente não dá conta de voltar ao seu ritmo biológico de autorregulação, e assim desenvolve quadros patológicos, como, por exemplo, o câncer. O presente trabalho tem por objetivo compreender o câncer a partir da Psicologia Corporal, possibilitando conhecer estratégias clínicas voltadas à Orgonoterapia e à Vegetoterapia como forma de tratamento e prevenção, visando compreender um caso clínico de um paciente com câncer nas cordas vocais, bem como sua estrutura caracterial e a relação com o aparecimento da doença.

18.2. Até que a doença nos separe: corpo e emoção – como amenizar os impactos da internação no indivíduo enfermo e hospitalizado? Caren Danuza Silveira de Lima/SC

O adoecimento acarreta ao corpo prejuízos físicos e emocionais. Comumente os físicos são tratados em separado das questões emocionais, que permanecem em segundo plano e na maior parte não se evidenciam. A Psicologia Corporal dispõe de técnicas que unem corpo, mente e energia do sujeito, fato que pode elevar a qualidade de vida do enfermo em casos de internação, uma vez que a Psicologia no cenário hospitalar vem ganhando espaço. O objetivo desta comunicação é abordar a visão da Psicologia Corporal sobre os aspectos emocionais e energéticos do processo de adoecimento, e também as contribuições desta abordagem para uma reconexão do indivíduo doente e hospitalizado para com seu corpo e seu potencial para a saúde.

19

SEMINÁRIO

O corpo em que habito, morada das emoções. Laerte Augusto Rolim/SP

A importância das emoções na construção do corpo e na estruturação do caráter. A reconstrução do corpo pela visita, conhecimento e ressignificação das emoções. Não há dicotomia entre corpo e psiquismo, há uma unidade funcional (Federico Navarro).

Grupo 3 - Programa B - Das 14:15h às 15:00h

20

SEMINÁRIO

Contribuições da Análise Reichiana para o tratamento do paciente odontológico crônico. Wilson Pacheco/SC e Vanessa Leandra Venturin/SC

Dentre as doenças odontológicas, duas especialmente são aquelas que mais o paciente investe e em pouco tempo apresenta fracasso do tratamento. Em um número considerável de casos, principalmente as doenças periodontais, o paciente abandona o dentista em decorrência de o profissional atribuir culpa ao descaso do paciente para com a higiene bucal. Os conhecimentos das bases reichianas ligadas à amamentação e à oralidade podem oferecer o tratamento prévio ou concomitante ao trabalho odontológico e consequentemente a resolução da recidiva e economia de tempo e dinheiro, por parte do paciente, além de prevenir a perda precoce do elemento dental.

21

SEMINÁRIO

O controle da ansiedade pela respiração: contribuições da Psicologia Corporal no uso da respiração como ferramenta para o tratamento da ansiedade patológica. Carolina Bressiani do Nascimento Ramos/PR e Christiane Pastega Barros de Freitas/PR

As técnicas que usam a respiração consciente podem ser utilizadas para pacificar e reduzir sofrimentos físicos e emocionais de diversas naturezas, criando uma condição propícia ao trabalho terapêutico, que posteriormente caminhará na direção da flexibilização das couraças somáticas e psíquicas, levando o indivíduo a um estado melhor e mais equilibrado na expressão de sua saúde física e psíquica. O presente trabalho se propõe a discutir a importância do uso da respiração como ferramenta para o tratamento da ansiedade patológica analisando a manifestação dessa condição sob a ótica da Psicologia Corporal.

22

SEMINÁRIO

Análise Reichiana: Fundamentos da Prática Clínica. Cairu Vieira Corrêa/PR

Neste trabalho aborda-se a configuração da prática clínica na Psicologia Corporal, especificamente em uma de suas escolas, a Análise Reichiana, desenvolvida a partir dos pressupostos teóricos de Wilhelm Reich. Discute-se a metodologia utilizada no processo psicoterápico, envolvendo o amadurecimento dos traços de caráter e a flexibilização das couraças musculares, visando o restabelecimento da autorregulação. Para além das técnicas empregadas, ressalta-se, como recursos facilitadores ao alcance dos objetivos psicoterápicos, o papel da expressividade, do investimento na relação terapêutica e da consideração da pessoa do cliente em sua totalidade.

Grupo 3 - Programa C - Das 13:15h às 15:00h

23

LABORATÓRIO

Corpo, trauma e caráter: um modelo para atendimento em grupos, possibilidades e limites. Antonio Ricardo Teixeira/DF

Os participantes poderão experimentar algumas técnicas de mobilização, integração e elaboração em grupos e atendimento individual a voluntários com discussão sobre o caso clínico e uma breve explanação sobre os fundamentos teóricos das intervenções tais como: contrato grupal, responsabilidades mútuas e limites; solidariedade na dor, apoio e compreensão; acolhimento e confrontação; técnicas suaves x violentas; o risco da retraumatização; liberação de movimentos espontâneos; reorganização neurofisiológica consciente; os sete segmentos de couraça e suas funções; contato, discernimento e elaboração; mecanismos de defesa; invasão x autoproteção; transferência, contratransferência, resistência e contrarresistência. Dissociação e falta de contato como defesa para o trauma. O fechamento das sessões e regras, metas e objetivos para o plano de tratamento.

24

VIVÊNCIA

Função de contato: o prazer de se sentir vivo! Luciana Garbini de Nadal/RS

O segmento ocular tem uma função de extrema importância: de corporificação da energia, ou seja, é o local onde esta se liga à matéria. Sem energia, não há sensação e, portanto, não há consciência. Por esta razão, este é o primeiro segmento a ser trabalhado em uma terapia. Quando esta função não está bem estabelecida (amadurecida) em um individuo, este se sente anestesiado e sem vitalidade. Nesta vivência, os participantes serão levados a fazer contato com suas próprias sensações, ampliando sua consciência e aumentado o prazer de estar vivo.

25

VIVÊNCIA

De volta ao útero. Maria Suelene Costa Dantas/PR e Loriane Heide/SC 

O registro de nossas emoções e nossas sensações se dá muito antes do nosso nascimento. Frustrações, estresse, alegrias, bem-estar já são registrados em nossa memória emocional desde o momento que em que o espermatozoide fecunda o óvulo. Nessa vivência utilizaremos recursos da Psicologia Corporal para olhar para essas sensações e assim reconfigurá-las positivamente.

GRUPO 4 (Das 15:15h às 17:00h)

(Escolha 2 atividades do programa A e B ou uma atividade do programa C

Programa A - Das 15:15h às 16:00h  /  Programa B - Das 16:15h às 17:00h

Programa C - Das 15:15h às 17:00h

 

.

Grupo 4 - Programa A - Das 15:15h às 16:00h

26

SEMINÁRIO

Psicanálise e Biologia: Aproximações e distanciamentos. Ricardo Amaral Rego/SP

Após romper com a Psicanálise, em 1934, Wilhelm Reich trilhou um caminho de aproximação com elementos da Biologia que o levaram a criar a psicoterapia corporal. As diversas abordagens do campo reichiano e neorreichiano sempre foram marcadas por esse duplo referencial, buscando algum tipo de harmonização teórica e prática que permitisse uma integração entre estas vertentes. Desde então houve avanços, mudanças e novas descobertas em ambos os campos, e pode ser muito útil para os profissionais e professores do campo da psicoterapia corporal revisitar essas bases e conhecer melhor como está sendo visto esse diálogo hoje. A proposta aqui apresentada vê esses campos como complementares, a Psicanálise trazendo contribuições importantes no plano do manejo da subjetividade, e a Biologia contribuindo com uma visão e uma metodologia que trazem novos conhecimentos e possibilidades.

27

COMUNICAÇÃO

ORAL

 

(2 atividades na mesma sala)

Na ficha de inscrição assinale apenas a atividade 27.1 e já estará inscrito automaticamente para a atividade 27.2

27.1. Prazer e Alegria - uma meta para a vida segundo a Psicologia Corporal. Jenniffer Miriã Vorpagel Parolli/SC

A alegria e o prazer são primordiais para a existência. Para resgatar esses estados é necessário liberar a energia dos sentimentos reprimidos e se entregar ao corpo. Na Psicologia Corporal esses estados são trabalhados através da terapia com exercícios e técnicas conscientes para liberar os sentimentos e as tensões do corpo, tendo como resultado uma saúde emocional e física irradiada de energia e um estado de vitalidade. O objetivo desta apresentação é demonstrar os conceitos de prazer e alegria do ponto de vista da Psicologia Corporal, e também os recursos por ela desenvolvidos para uma abordagem integral de corpo, mente e emoção.

27.2. Mulheres e dependência afetiva: uma visão reichiana. Vanessa Leandra Venturin/SC

Ahhhhhh a paixão... duas pessoas que se unem através do namoro, noivado, casamento, e tantas outras formas de relação possíveis atualmente. No entanto, sua maneira de se relacionarem com seus parceiros(as) está diretamente ligada a aspectos caractereológicos individuais. No início, tudo parece perfeito, porém com o aprofundamento da intimidade, pode se tornar um verdadeiro pesadelo. E é nesse momento que a visão da Psicologia Corporal traz clareza sobre esses aspectos caractereológicos que, por sua vez, pode trabalhar no amadurecimento do pensamento e do comportamento nas relações. Para esta teoria, este amadurecimento é uma consequência da mudança de padrões de defesa emocional e também energéticos em desequilíbrio. A presente comunicação pretende demonstrar a visão da Psicologia Corporal sobre os aspectos caractereológicos interferindo nas relações, bem como apresentar os meios de amadurecimento de caráter possíveis para a promoção de vínculos mais saudáveis.

28

COMUNICAÇÃO

ORAL

 

(2 atividades na mesma sala)

Na ficha de inscrição assinale apenas a atividade 28.1 e já estará inscrito automaticamente para a atividade 28.2

 

28.1 - Vivenciando o toque, construindo o terapeuta: o exercício da massagem biodinâmica na construção do terapeuta biodinâmico. Juliana Pesente Kerckhoff/ES

A massagem biodinâmica é uma técnica corporal neorreichiana, desenvolvida por Gerda Boyesen, precursora da Psicologia Biodinâmica, utilizada como intervenção terapêutica, visando harmonização. Este trabalho consiste na experimentação dessa técnica como parte do curso de Psicologia Biodinâmica. Objetiva relatar o processo vivencial, tanto do paciente no recebimento dessa massagem, quanto do terapeuta. Trabalhou-se com sujeito do sexo feminino, com dez sessões, em 2017. Utilizou métodos e técnicas do repertório dessa massagem. Para a paciente verificou-se que o toque trouxe autoconhecimento e conscientização corporal. Para o terapeuta favoreceu a apropriação de recursos terapêuticos não verbais e a escolha de priorizar a massagem biodinâmica dentro do contexto psicoterapêutico.

28.2 - Sementes de um novo tempo – relato de experiência em uma escola do ensino fundamental de Campinas-SP. Pedro Mourão Roxo da Motta/SP

A oficina “Sementes de um novo tempo” recebeu esse título em alusão ao projeto Crianças do Futuro desenvolvido por W. Reich, para quem, por meio do trabalho com crianças e jovens seria possível proporcionar uma mudança significativa da sociedade. O presente trabalho trata-se de um relato de experiência do Estágio Básico III - Psicologia na Educação/Escola, realizado no oitavo período de estágio em Psicologia Educacional em uma escola do Ensino Fundamental e Médio no município de Campinas-SP. Foram realizadas oito intervenções com um grupo de nove alunos de 12 a 15 anos com intuito de proporcionar um local de abertura emocional em que os participantes pudessem romper com a estrutura narcisista social e demonstrar suas vulnerabilidades e fraquezas, para que assim houvesse uma integração e ressignificação dos conteúdos abertos proporcionando autorregulação, promoção de saúde e prevenção da autoagressão. Foram utilizadas vivências corporais com base nos preceitos da terapia reichiana de integração de mente e corpo por se acreditar que o trabalho corporal possui um grande potencial para proporcionar descarga emocional e rompimento com a estrutura narcísica. Os resultados obtidos foram satisfatórios e demonstraram que um ambiente favorável para exposição de vulnerabilidades é extremamente importante para os jovens adolescentes que estão formando suas consciências, provendo autorregulação, promoção de saúde mental e prevenção da autoagressão.

Grupo 4 - Programa B - Das 16:15h às 17:00h

29

SEMINÁRIO

Onirodrama – A interpretação dos sonhos pelo Psicodrama. Antonio Vitorino Cardoso Neto/PR

O sonho para Moreno é uma mensagem de nosso inconsciente. Para que o sonhador compreenda esta mensagem é necessário desvendá-la por meio de técnicas. Ele denominou sua técnica de interpretação dos sonhos de Onirodrama. Tal técnica será objeto desta exposição.

30

SEMINÁRIO

 

Da contração à vibração: o trauma sob a ótica da Psicologia Corporal. Giovanno Henrique Brunkow Araújo/PR e Klara Zoz de Souza/SC

Trauma é um conceito amplamente utilizado por profissionais da área da saúde, com descrições e tratamentos variados. Para a Psicologia Corporal, qualquer acontecimento que sobrecarregue a maneira habitual de enfrentamento e adaptação pode ocasionar um trauma. Visando uma integração entre algumas das principais teorias corporais, o presente trabalho baseia-se na Análise Reichiana, Bioenergética, Biossíntese – que fornecem ao leitor um amplo aparato teórico, juntamente com os Trauma Realising Exercises (TRE) – cuja abordagem, advinda da Bioenergética, possibilita uma ampla aplicabilidade tanto para a prevenção quanto para o tratamento de problemas relacionados ao trauma. Dessa forma, esta apresentação traz a possibilidade de acesso a diferentes teorias, que podem contribuir para o tratamento e resolução do trauma.

31

SEMINÁRIO

Reflexões sobre o processo de supervisão em Psicoterapias Corporais: integrando a Análise Reichiana e a Psicologia Biodinâmica. Adriana Marques dos Santos/RJ

Este trabalho se propõe a discutir o processo da supervisão em Psicoterapias Corporais, a partir da integração da Análise Reichiana e da Psicologia Biodinâmica. Partindo da experiência da autora como supervisora de Psicoterapias Corporais em universidade do Rio de Janeiro e em consultório particular, o enfoque parte da discussão do que pode tornar esta prática peculiar e diferenciada de outras abordagens.

Grupo 4 - Programa C - Das 15:15h às 17:00h

32

LABORATÓRIO

Clínica psicocorporal de la vergüenza disfuncional. Fabian Llanos/Argentina

La vergüenza disfuncional es una emoción extremadamente dolorosa, basada en la devaluación del self y la expresión del individuo. Así, el individuo se siente indigno de ser amado, defendiéndose bajo las máscaras del perfeccionismo, la ira o el miedo, desarrollando diferentes desordenes de personalidad y de conducta, con consecuencias personales, familiares y sociales. El objetivo de este taller es reconocer el origen natural de esta emoción, identificar el proceso patológico de desarrollo de la vergüenza disfuncional y desarrollar recursos terapéuticos energéticos, cognitivos, emocionales y somáticos.

33

VIVÊNCIA

Corpo fluido: autorregulação com os sete segmentos. Jessica Araújo Lourenço Telhada/SP e Gabriela da Silva Vieira/PR

A Psicologia Corporal estuda o corpo a partir de sete segmentos básicos de couraça. Tanto Reich, quem iniciou o caminho, como seu dissidente Alexander Lowen, propõem a liberação corporal fazendo uma leitura destes sete segmentos. Estes são locais do corpo compostos por musculatura e funções emocionais especificas, relacionadas ao desenvolvimento de vida. São esses segmentos que controlam a passagem de energia e estão diretamente ligados à autorregulação do organismo humano. A proposta deste trabalho é promover um contato e experimentar exercícios que mobilizam a energia dos segmento do corpo, observando onde acumulamos tensões e como flexibilizá-las, promovendo, assim, uma ampliação do psiquismo.

34

VIVÊNCIA

Da Meditação ao Tantra. Catarina Noelí Breccia/SP

Quando utilizamos a Meditação como via de acesso ao nosso estado de presença, alcançamos nosso potencial orgástico de maneira plena, pois há uma expansão de consciência onde reconhecemos nossas resistências e nosso corpo sexualizado se transforma em amor profundo e único que ainda pode ser algo desconhecido para alguns. Através da Meditação ativa, liberamos nossa musculatura para que a mesma esteja pronta quando for acionada com toques sutis, provocando descargas internas como espasmos musculares. O amor está relacionado com a aceitação de quem você é e onde você está. Esse é o primeiro passo para a mudança. Aceite seu verdadeiro ser, se ame e ame o outro tantricamente.

GRUPO 5 (Das 17:15h às 19:00h)

(Escolha 2 atividades do programa A e B ou uma atividade do programa C

Programa A - Das 17:15h às 18:00h  /  Programa B - Das 18:15h às 19:00h

Programa C - Das 17:15h às 19:00h

.

Grupo 5 - Programa A - Das 17:15h às 18:00h

35

SEMINÁRIO

 

Burnout e Psiconeuroendocrinoimunologia aplicada: o sofrimento de Rogério. Esdras Guerreiro Vasconcelos/SP

Através de um caso clínico serão ilustrados elementos da Neurociência e da Psiconeuroendocrinoimunologia que podem ampliar a compreensão do adoecer. Além de sugerir um novo paradigma de prática clínica, propõe-se, simultaneamente, uma maior integração de corpo e alma no terapeuta e no paciente. Saber quais processos são desencadeados no cérebro e corpo quando estamos afetados por algum sofrimento fomenta nosso autoconhecimento e permite, a partir deles, direcionar melhor nossas intervenções. Mesmo porque, sempre que o conhecimento amplia nossa mente através de um crescimento da rede neural e neuroendócrina, ocorre, então, a verdadeira transformação e, consequentemente, jamais voltamos a ser como éramos antes. Se o corpo não criar condições biológicas, a mudança do estado psicológico não se efetuará. Se a mente não desencadear esses processos biológicos, não haverá cura.

36

SEMINÁRIO

Síndrome de Pânico sob uma perspectiva Reichiana. Yves Melgarejo Soto/Peru e Karine Ferreira Brock/MG

A proposta deste seminário é descrever os sintomas, consequências e a orientação adequada para a prevenção e o tratamento da Síndrome de Pânico e Ansiedade, numa perspectiva da Psicologia Corporal.

37

COMUNICAÇÃO

ORAL

 

(2 atividades na mesma sala)

Na ficha de inscrição assinale apenas a atividade 37.1 e já estará inscrito automaticamente para a atividade 37.2

 

37.1. O corpo que envelhece - Uma reflexão necessária. Maria Isabel Saczuk/PR

Comumente os indivíduos demonstram certo incômodo ao pensarem sobre o envelhecimento humano, escolhendo muitas vezes a fuga do assunto, ou deixam-no para depois, já que este inevitavelmente remete à ideia do fim da existência, ou seja, a morte. Com o aumento da perspectiva de vida, faz-se necessário um olhar para o fator envelhecimento que permeia a realidade de todos nós. Partindo de uma perspectiva reichiana acerca das fases do desenvolvimento emocional, aborda-se as mudanças psicocorporais vivenciadas na idade adulta e velhice na atualidade, para uma compreensão do ser humano contemporâneo de forma mais abrangente.

37.2. Esclerose Múltipla – apresentação de caso clínico tratado com Vegetoterapia e Bioenergética. Cristiane Monteiro Garbini/RS

A terapia iniciou em Junho de 2015. Na época, ela tinha 23 anos. Ana havia descoberto que tinha a doença há menos de 1 mês, em função de uma cegueira temporária. Ela ficou sem enxergar durante um dia e foi feita uma bateria de exames até o diagnóstico da doença. A queixa principal era como lidar com a sua esclerose múltipla. A paciente fez os procedimentos da medicina tradicional e fazíamos uma sessão de terapia por semana. Foi utilizada a Vegetoterapia breve focal e a Bionergética. Foi trabalhado intensamente o primeiro e segundos segmentos. A paciente demonstrava muita raiva. Para tanto, faziamos descargas com actings para o quarto segmento, bem como com técnicas da Bioenergética. Em pouco mais de um ano de terapia, Ana apresentou uma melhora significa de comportamento, bem como redução da doença. A esclerose múltipla reduziu ao ponto de ser considerada uma "semente". Os médicos não tem uma explicação científica para este quadro clínico de redução.

38

SEMINÁRIO

A reação paralisante do “fazer” diante da expectativa de “ser”. Ana Rosa Brum Marcellos Rocha/PR

Diante do medo de nos conhecermos, a mente humana busca encontrar mecanismos para burlar este processo. Uma das maneiras que acaba por tornar eficiente este boicote a si mesmo é paralisando nosso movimento e fugindo do momento presente. A busca pelo “fazer” tendo como foco da atividade o objetivo por si só, sem haver uma satisfação pelo processo, gera a distância entre o que se é e o que gostaria de ser. Lowen, no seu livro “Medo da Vida”, sinaliza: “Em minha opinião o ritmo frenético e ardente da vida moderna é um nítido sinal do medo que sentimos de sermos e vivermos. E, enquanto persistir este medo no inconsciente da pessoa, ela correrá cada vez mais rápido e fará cada vez mais coisas, a fim de não sentir seu medo.” Cabe atentar quão atual é este quadro angustiante que se vive hoje, numa era de galopantes avanços tecnológicos, onde o tempo tem se tornando o inimigo daqueles que pretendem alcançar a essencialidade da vida.

Grupo 5 - Programa B - Das 18:15h às 19:00h

39

SEMINÁRIO

A democracia do trabalho e o trabalho vitalmente necessário: um relato de experiência. Pedro Mourão Roxo da Motta/PR

O presente trabalho é o relato de experiência de um estágio em Psicologia no Trabalho e nas Organizações realizado em uma escola de Yoga no município de Campinas-SP. A atividade teve o objetivo de compreender os sentidos que funcionários e alunos da instituição atribuem ao trabalho, relacionando as condições laborais existentes na atualidade com a compreensão reichiana. Para tal, foram realizadas observações e entrevistas, com o intuito de colher informações a respeito da estrutura organizacional e das concepções que funcionários e alunos possuem do trabalho humano. Os resultados demonstraram que a escola, diferentemente da maioria das organizações existentes na atualidade, tem uma cultura que se revela matriarcal, desrepressora e sensorial, aproximando-se dos conceitos de democracia do trabalho e trabalho vitalmente necessário desenvolvidos por W. Reich. Foi possível verificar também que os alunos buscam o espaço com o objetivo de equilibrar as tensões provocadas por suas atividades profissionais, marcadas por altas exigências e estresse, inserindo-se em uma filosofia que estimula atividades culturais, físicas e emocionais. Conclui-se que um dos motivos que levam as pessoas à escola é o desejo pela democracia do trabalho e por trabalho vitalmente necessário, ou seja, apesar dos inúmeros desafios apresentados na organização social da contemporaneidade, funcionários e alunos demonstram que estão dispostos a buscar atividades autogestionárias, prazerosas e criativas.

40

SEMINÁRIO

O uso de instrumentos musicais na flexibilização das couraças musculares. Estela Maris Lançoni Cantarelli/PR

As distonias musculares caracterizam-se por um desequilíbrio entre o sistema neurovegetativo simpático e parassimpático, tendo como efeito uma tensão neuromuscular crônica em vários níveis corporais que conferem ao corpo uma atitude de defesa contra situações emocionais dolorosas, formando as couraças musculares. A proposta deste seminário é abordar a utilização de alguns instrumentos musicais como possibilidades de intervenção direta nas couraças musculares. Partindo dos conhecimentos da Anatomia, Fisiologia, Cinesiologia, Vegetoterapia, e da utilização de instrumentos musicais de sopro, cordas e percussão, serão abordados os comprometimentos físicos e emocionais que as couraças causam no indivíduo. Na sequência, será demonstrado como o uso de instrumentos musicais podem contribuir para a flexibilização das couraças musculares, auxiliando o terapeuta no tratamento do desbloqueio dos segmentos.

41

SEMINÁRIO

Compulsão sexual e o medo da entrega. Cristiane Monteiro Garbini/RS e Thais Schauenberg Garcia/RS

Estudo sobre a compulsão sexual e a relação existente com o medo da entrega amorosa dentro da visão reichiana.

42

COMUNICAÇÃO

ORAL

 

Na ficha de inscrição assinale apenas a atividade 42.1 e já estará inscrito automaticamente para a atividade 42.2

42.1. Um caso de histeria masculina pela caracterologia pós reichiana. Isabela Molina Escorsin/PR

Apresentaremos um estudo de caso com hipótese diagnóstica de caráter histérico, buscando correlacionar os dados apresentados pelo paciente e a caractereologia pós-reichiana, articulando assim os relatos do paciente com pesquisas bibliográficas relevantes. Outro objetivo deste trabalho é realizar uma condução teórica voltada para o claro entendimento do caso clínico, trazendo os principais conceitos da Psicologia Corporal referentes ao caráter histérico, sendo este cobertura para uma estrutura de base oral.

42.2. O uso do vibrador como ferramenta complementar no tratamento terapêutico nas disfunções sexuais. Karin Rupp/PR

A dіѕfunçãо ѕеxuаl fеmіnіnа é um рrоblеmа dе ѕаúdе frеԛuеntе, соm um іmрасtо nеgаtіvо nа ԛuаlіdаdе dе vіdа, onde as орçõеѕ fаrmасоlógісаѕ ѕãо lіmіtаdаѕ, dаdа a ѕuа bаіxа еfісáсіа e роtеnсіаіѕ rіѕсоѕ, dеvеndо ѕеr dаdа рrіmаzіа à аbоrdаgеm nãо medicamentosa. Neste caso, podemos utilizar os vibradores, que são dispositivos femininos, indicados para atividades recreativas, e também para o uso terapêutico nas disfunções sexuais em mulheres. Percebeu-se, por meio deste estudo, que o aparecimento do vibrador, se deu pela necessidade de substituir as mãos cansadas dos médicos que tratavam sintomas da histeria. Referida doença, considerada epidemia no século 19, foi atribuída exclusivamente às mulheres que apresentava irritabilidade, insônia, dores de cabeça e outros, e o tratamento era uma massagem vulvar até a obtenção do “paroxismo histérico”, conhecido hoje como orgasmo. Foi verificado que o uso do vibrador pode auxiliar na disfunção sexual feminina, especialmente em casos de dispareunia e anorgasmia, atuando como mais uma ferramenta a ser utilizada por profissionais como terapeutas e médicos, assim como instrumento de autoconhecimento e empoderamento feminino.

Grupo 5 - Programa C - Das 17:15h às 19:00h

43

VIVÊNCIA

Alcançando um estado meditativo por meio da permanência nos ásanas. Camila Cahlau/PR

O Yoga pode ser realizado de diversas formas, a escolha dos ásanas, do mantra, dos pranayamas, da técnica de meditação depende do que o praticante gostaria de alcançar com a prática. Por isso o Yoga é considerado um caminho de autoconhecimento, pois ele se ajusta às necessidades e ambições do praticante. No rol dessas ambições, está a busca por redução de ansiedade, aumento de concentração e foco - o que pode ser facilmente alcançado por uma prática de ásanas realizada com maior permanência. Quando se permanece numa postura por um período maior, buscando todos os alinhamentos e ajustes que um ásana demanda, a mente para de oscilar entre questões relacionadas ao passado ou ao futuro e se concentra no momento presente, entrando num estado meditativo. Esse é o propósito dessa vivência. Experimentar a permanência dos ásanas como um meio para se alcançar uma mente mais estável, pacífica e silenciosa.

44

VIVÊNCIA

Vivenciando com Biodanza. Wanda Maria Palmeira Campos/PR

A proposta desta vivência de Biodanza é trabalhar a integração do indivíduo, considerando o modelo teórico de Biodanza, no que se refere às linhas de vivência como: vitalidade, criatividade, afetividade, sexualidade e transcendência, sendo que elas se permeiam, se mesclam em direção a um contínuo processo integrativo alcançado por cada pessoa a seu tempo. Originadas no potencial genético, essas linhas permitem, através de exercícios coerentes e integrativos, o poético encontro do ser com ele mesmo, com o outro e com o universo que o circunda. Abre-se, assim, um leque de múltiplas possibilidades que vão surgindo, favorecendo o crescimento humano.

 

.

20:30h  -  JANTAR DE CONFRATERNIZAÇÃO

 OS CONVITES SÃO LIMITADOS. ADQUIRA O SEU COM ANTECEDÊNCIA

PORQUE POSSIVELMENTE NÃO HAVERÁ VENDAS NO DIA DO EVENTO.

 

Venha se divertir muito nessa tradicional festa.


Durante o jantar haverá apresentação de Dança

Local: Hotel Bourbon (Local do evento)


Como o jantar será no próprio hotel, precisamos repassar ao hotel, dias antes do evento, o número de venda de convites e portanto, possivelmente no dia do evento NÃO HAVERÁ VENDA de convites.

Adquira o seu com antecedência. Traga sua família e amigos. A festa é aberta a todos.

Contamos com sua presença.

OBS - O jantar será servido das 21:00 às 22:00.

Seja pontual

Após o jantar (22h), faremos a apresentação e entrega do Certificado aos formandos do curso de Especialização em Psicologia Corporal do Centro Reichiano, sorteio de brindes e apresentações de dança.

Adquira seu convite seguindo as informações no menu abaixo

 

DIA 02/06/2018 - SÁBADO

09:00h - 09:30h

Grupo de Movimento - Engenheiros do Corpo. Alunos do Centro Reichiano

.

09:30h - 10:45h

PALESTRA - 4

La vergüenza y su importancia en la Psicoterapia Corporal. Fabian Llanos/Argentina

La vergüenza puede transformarse en una emoción sumamente dolorosa, debido a que se sustenta en la autocrítica negativa de la “expresión” y del “ser” del individuo, pudiendo llegar a concebirse como indigno de ser amado. Así surge la raíz tanto de la crítica interna como del perfeccionismo del sujeto, desplegándose de forma entrelazada y escondida con otras emociones como la ira, y el miedo. En tanto emoción, es una reacción fisiológica no consciente, mediada por el sistema nervioso autónomo, que de ser crónica puede configurarse como fuerza patógena en el desarrollo y el mantenimiento de varios desordenes clínicos como depresión, trastornos alimenticios, desordenes de la personalidad, fobias y adicciones.

.

10:45h - 11:15h

Intervalo para cafezinho, Apresentação dos Pôsteres e Beco dos Autógrafos

.

11:15h - 12:30h

PALESTRA - 5

Burnout: queima o corpo, queima a alma! Esdras Guerreiro Vasconcelos/SP

Até os anos 90 o estudo dos efeitos deletérios do stress foram amplamente investigados. Atualmente é importante que estudemos a falha dos mecanismos de coping que geram o Burnout, o qual desponta como sendo a “doença de stress” mais frequente. A Neurociência e a Psiconeuroendocrinoimunologia oferecem premissas mais pragmáticas para o entendimento do processo. Adoece somente aquele cujo coping falhou. Sendo Burnout uma síndrome que se caracteriza pela queima de energias de resistências, ele se inicia no corpo, em forma de exaustão e fadiga e se intensifica na alma através de processos psicológicos específicos: depressão, pânico, apatia emocional. Uma enfática inversão dos hormônios do prazer (dopamina, serotonina, ocitocina) pelos hormônios do desprazer (adrenalina, cortisol, ACTH, GABA) afeta a energia vital biológica e psicológica, comprometendo o corpo e a alma.

.

12:30h - 14:00h

Intervalo de almoço

.

14:00h - 14:30h

Grupo de Movimento - Engenheiros do Corpo. Alunos do Centro Reichiano

.

14:30h - 15:45h

PALESTRA -  6

Orgonomia e Espiritualidade: a direção do tratamento na psicoterapia corporal reichiana. Antonio Ricardo Teixeira/DF

A proposta desta palestra é refletir sobre a compatibilidade ou não, entre ciência orgonômica e espiritualidade e a direção do tratamento tendo em consideração as fases implicadas no mesmo, a idade e as necessidades do(a) paciente, as tendências regressivas ativadas pela transferência e pela abertura para liberação de emoções reprimidas, o falso-self e a maturidade do caráter genital a ser desenvolvida, os aspectos caractereológicos a serem elaborados e os pontos de fixação energética a serem desbloqueados. Discutiremos o orgasmo como função de união com a totalidade, semelhanças e diferenças entre os processos meditativos e as práticas terapêuticas de base reichiana. As tendências malignas e destrutivas subjacentes ao encouraçamento que confundem a sexualidade tornando-a perversa e falsamente orientada para a espiritualidade. A ética e a importância da superação do desejo do desejo do outro.

16:00h - 17:30h

ENCERRAMENTO

Danças Circulares - Adriana Bisconsin/PR e colaboradores

Encerramento - José Henrique Volpi/PR e Sandra Mara Volpi/PR

.

APRESENTAÇÃO DE PÔSTERES

Dia 02/06/2018 - 10:45h às 11:15h

Hall do Auditório - Os pôsteres ficarão expostos juntamente com seus autores e apresentadores.

Interessados em apresentar Pôster, devem enviar suas propostas até o dia 27.05.2018, considerando que nessa mesma data devem enviar o artigo completo para os Anais.

Certifiquem-se antes no menu Apresentação de Trabalhos se ainda há vagas para pôster

01

Stress, Corpo e Alma: o preço da modernidade. Antonio Carlos Rocha Botelho/SP

O stress do corpo e da alma pode ser considerado como preço que se paga pela modernidade. Objetivo: fazer uma revisão bibliográfica sobre o stress do corpo e da alma como preço que se paga pela modernidade. Material e Método: revisão de literatura em páginas eletrônicas disponíveis na Internet e livros. Resultado e Discussão: quando desenvolve-se um sentido para o ciclo emocional percebe-se que se pode viver durante a dor e atingir o prazer de novo. Conclusão: na multidimensionalidade do ser, quanto mais forte a pressão, mais forte os sintomas e mais forte o potencial de cura.

02

Reich e a Infância: uma proposta criativa de trabalho com crianças. Gislaine Gomes/PR

Reich nos propõe muito mais que simples processo terapêutico através do corpo, com possibilidades de alcançarmos ao máximo nosso potencial, mobilizar livremente nossas emoções e consequentemente potencializar o cognitivo. Como fazer isso com nossas crianças? É possível fazer uso de vários recursos criativos.

 

 

Centro Reichiano

Av. Pref. Omar Sabbag, 628 - Jd Botânico - Curitiba/PR - Brasil - CEP: 80210-000

(41) 3263-4895 - centroreichiano@centroreichiano.com.br

www.centroreichiano.com.br

Imprimir esta Página