Anais 2018

Desde a época em que Wilhelm Reich fazia parte do seleto grupo de psicanalistas seguidores de Freud, destacou-se pela sua ousadia em questionar a teoria e a técnica criadas pelo mestre e se determinou a demonstrar que a ciência da mente também deveria se relacionar ao corpo, descartando severamente o cartesianismo que sustentava o dualismo mente e corpo.

Dedicou-se a trabalhar em questões cujas limitações da psicanálise provocavam o impasse no tratamento psicanalítico de alguns pacientes, como era o caso da teoria da libido postulada por Freud como sendo apenas de ordem psíquica, demonstrada na prática por Reich que, mais do que psíquica, a libido era uma energia biológica, que se acumula naturalmente no corpo e cuja descarga, quando é perturbada com uma liberação inadequada, provoca uma estagnação e abastece os transtornos neuróticos. A partir daí, Reich criou sua própria escola que gradualmente foi adquirindo novos olhares e saberes, ampliando assim o leque das chamadas psicoterapias corporais.

E essa é a proposta de nossos congressos – congregrar diferentes olhares  a fim de construirmos novos saberes.


Clique no título para abrir o PDF


DA CONTRAÇÃO À VIBRAÇÃO: O TRAUMA SOB A ÓTICA DA PSICOLOGIA CORPORAL

Autor(es): Giovanno Henrique Brunkow Araújo; Klara Zoz Souza; Sandra Mara Volpi.

RESUMO: Trauma é um conceito amplamente utilizado por profissionais da área da saúde, com descrições e tratamentos variados. Para a Psicologia Corporal, qualquer acontecimento que sobrecarregue o mecanismo habitual de enfrentamento e adaptação pode ocasionar um trauma. Visando uma integração entre algumas das principais teorias corporais, o presente trabalho baseia-se na Análise Reichiana, Bioenergética, Biossíntese – que fornecem ao leitor um amplo aparato teórico, juntamente com o método Trauma Realising Exercises (TRE) – cuja abordagem, advinda da Bioenergética, possibilita uma ampla aplicabilidade tanto para a prevenção quanto para o tratamento de problemas relacionados ao trauma. Dessa forma, o leitor tem a possibilidade de acesso a diferentes teorias, que podem contribuir para o tratamento e resolução do trauma.
Palavras-chave: Análise Reichiana. Bioenergética. Biossíntese. Trauma. Trauma Realising Exercises.


MANDALAS DAS EMOÇÕES® – MELHORIA CONTINUADA DO SER

Autor(es): Lyvia Renata Boutin e Li Hui Ling

RESUMO: O Método Mandalas das Emoções®, baseado na Medicina Tradicional Chinesa, tem como objetivo identificar, acolher e aceitar as emoções, ajudando o indivíduo a acessar a zona de conflito, aliviar o sofrimento, e proporcionar um bem estar emocional. Pode facilitar, também, o acesso do indivíduo ao seu próprio conteúdo emocional e às lembranças, despertando a vontade ou capacidade de refletir. A estes, confere-se uma nova interpretação, abrindo diferentes possibilidades e caminhos para situações do presente. Dessa maneira, incorporam-se novos entendimentos sobre a relação com o mundo e consigo, podendo ampliar a consciência tanto sobre o contexto ao qual se insere quanto sobre si mesmo.
Palavras-chave: Medicina Tradicional Chinesa. Mandalas. Emoções. Harmonia.


DA MEDITAÇÃO AO TANTRA 

Autor(es): Catarina Noelí Breccia

RESUMO: O tantra tem sido descrito de variadas formas, sendo todas elas válidas, seja como; opção sexual, método ou técnica de expansão espiritual ou mesmo redescoberta pessoal do amor, porém o tantra é muito mais que isso. O tantra transcende. O toque sutil do verdadeiro tantra é curador, a forma que tocamos o outro é o espelho de como queremos ser tocados. O amor é o fundamento do tantra, estar presente na amorosidade, receber o outro, respeitar o limite e saber esperar o tempo de cada um nesta jornada é o segredo. Sobre sua filosofia, é comum entender que é instrumento de crescimento e libertação do ser partindo de um autoconhecimento e com isso levando a uma nova capacidade de sentir, vivenciar, tornando o tantra como instrumento de desbloqueios ou desmistificação de crenças religiosas e culturais. Sendo esse pensamento válido, porém limitador. Tantra é um vocábulo formado por TANati e TRAyati, palavras sânscritas para Urdidura e Trama (do tecido) para dar ideia de que tudo se relaciona com tudo na interação simbiótica e auto equilibrante da Natureza. Tudo no Tantra é esplendoroso e sublime, principalmente quando conseguimos nos conectar com o nosso coração através da meditação e alcançar o estado de presença que nos leva a uma supraconsciência. As outras áreas de nossas vidas, social, profissional, psicológica, espiritual e física fluirá a partir desta energia e de como administraremos a mesma.
Palavras-chave: Energia. Osho. Supraconsciência. Tantra. Transcender.


O CORPO NA PSICOSE

Autor(es): Julia Scuissiatto Bueno e José Henrique Volpi

RESUMO: A psicose é um transtorno recorrente em pacientes, principalmente em hospitais e clínicas psiquiátricas. A falta de compreensão dos profissionais de saúde sobre como os transtornos mentais atuam diretamente no corpo interfere na forma como enxergam estes pacientes. O indivíduo psicótico possui a perda do contato com seu próprio corpo, sua percepção de realidade é diminuída, tornando difícil comunicar ao outro aquilo que vivencia.  Nesse artigo, pretende-se demonstrar como o entendimento sobre a psicose, no âmbito da Psicologia Corporal, pode auxiliar na forma que esses pacientes são tratados.
Palavras-chave: Corpo. Psicose. Psicologia Corporal. Saúde.


EXPERIMENTANDO O MUNDO: DEIXANDO NOSSOS SENTIDOS FLUÍREM

Autor(es): Cristiane Zanette de Camargo e Renato Nascimento de Miranda

RESUMO: Nossos sentidos são nossa forma de contato conosco e com o mundo. É a partir deles que experimentamos todas as nossas sensações, que interagimos com os outros, que tomamos ciência dos objetos, que percebemos belezas e perigos. Eles são nossa sintonia com tudo que existe e mesmo sendo limitados, nos abrem a um mundo quase infinito de possibilidades. Sem eles, nenhuma experiência é possível, nem as agradáveis, nem as desagradáveis, sequer nossa consciência existiria. Quando algum de nossos sentidos é afetado toda a nossa experiência é alterada, da mesma forma, nossa personalidade, nossas crenças, estado emocional e principalmente nossos bloqueios emocionais e energéticos também afetam nossos sentidos e capacidade de percepção. O objetivo desta vivência é trabalhar os sentidos de modo a buscar uma conscientização, ampliação e desbloqueio de nossas capacidades sensoriais, aumentando assim nossas potencias afetivas.
Palavras-chave: Bioenergética. Bloqueios Energéticos. Orgonomia. Percepção. Sentidos.


O USO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS NA FLEXIBILIZAÇÃO DAS COURAÇAS MUSCULARES

Autor(es) Estela Maris Lançoni Cantarelli e José Henrique Volpi

RESUMO: As distonias musculares caracterizam-se por um desequilíbrio entre o sistema neurovegetativo simpático e parassimpático, tendo como efeito uma tensão neuromuscular crônica em vários níveis corporais que conferem ao corpo uma atitude de defesa contra situações emocionais dolorosas, formando as couraças musculares. A proposta deste seminário é abordar a utilização de alguns instrumentos musicais como possibilidades de intervenção nas couraças musculares. Partindo dos conhecimentos da anatomia, fisiologia, cinesiologia, vegetoterapia, e da utilização de instrumentos musicais de sopro, cordas e percussão, será abordado os comprometimentos físicos e emocionais que as couraças causam no indivíduo. Na sequência será demonstrado como o uso de instrumentos musicais podem contribuir para a flexibilização das couraças musculares, auxiliando o terapeuta no tratamento do desbloqueio dos segmentos.
Palavras-chave: Ansiedade. Cinesiologia. Couraças Musculares. Instrumentos Musicais. Reich. Vegetoterapia.


CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA BIODINÂMICA NO ATENDIMENTO COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Autor(es): Daísa De Martin e Juliana Pesente Kerckhoff

RESUMO: Este artigo objetiva relatar a experiência clínica em atendimento psicoterapêutico com crianças e adolescentes na clínica corporal neorreichiana, com ênfase nas contribuições da Psicologia Biodinâmica. Fundamenta-se, igualmente, nas contribuições de Brasilda Rocha e sua técnica de intervenção que utiliza o brinquedo como recurso psicoterapêutico. Além disso, pauta-se no papel da sexualidade no desenvolvimento infantil descrita por Freud e destaca os conceitos de objeto transacional e de mãe suficientemente boa de Winnicott. Aponta a importância do psicoterapeuta ativo que brinca junto com a criança, favorecendo o desbloqueio enérgico para o desenvolvimento psíquico e corporal (REICH).
Palavras-chave: Psicoterapia Corporal. Criança. Adolescente. Brinquedo. Psicologia Biodinâmica.


FUNÇÃO DE CONTATO: O PRAZER DE SE SENTIR VIVO!

Autor(es): Luciana Garbini De Nadal

RESUMO: O segmento ocular tem uma função de extrema importância: de corporificação da energia, ou seja, é o local onde esta se liga à matéria. Sem energia, não há sensação e, portanto, não há consciência. Por esta razão, este é o primeiro segmento a ser trabalhado em uma terapia. O bloqueio ocular causa anestesia e falta de vitalidade. Conforme trabalhamos este segmento em um indivíduo amadurecendo essa função, este passa a fazer contato com suas sensações, ampliando a consciência e aumentado o prazer de estar vivo.
Palavras-chave: Consciência. Corporificação de energia. Função de contato. Segmento ocular. Prazer.


A PSICOLOGIA CORPORAL E OS BLOQUEIOS ENERGÉTICOS NO TRABALHO DE PARTO

Autor(es) : Rosana Rodrigues de Moraes Erthal e Sandra Mara Dall’Igna Volpi

RESUMO: O trabalho de parto é um acontecimento fisiológico guiado pelos hormônios liberados pelo corpo da mulher e pelo do bebê. A situação emocional e psicológica em que a gestante se encontra influencia diretamente o processo, inclusive alterando o fluxo hormonal e podendo facilitar a evolução ou trazer obstáculos que inibem a sua progressão natural. Por meio de pesquisa bibliográfica e de campo (entrevistas e observação de mulheres que entraram em trabalho de parto), esse artigo pretende levantar dados sobre os principais bloqueios energéticos em relação ao processo de nascimento do bebê.
Palavras-chave: Gestação. Parto. Reich. Sexualidade.


UM CASO DE HISTERIA MASCULINA PELA CARACTEROLOGIA PÓS REICHIANA

 Autor(es): Isabela Molina Escorsin e Cristian Guilherme Valeski de Alencar

RESUMO: A Caracterologia foi desenvolvida inicialmente por Wilhelm Reich, pai da Psicologia Corporal que, em suas obras, discursou sobre a formação e a descrição de caráter e outros autores pós reichianos retomaram e ampliaram este valioso discurso. O caráter refere-se a um bloqueio no corpo que tem como precursor uma situação estressante durante a fase do desenvolvimento do indivíduo, levando-o a adotar padrões de comportamento para defender-se de perigos que o façam reviver tal situação aversiva. O presente artigo visa apresentar um estudo de caso com hipótese diagnóstica a qual se direciona a um caráter específico trazido pela literatura como Estrutura de Caráter Histérico, buscando correlacionar os dados apresentados pelo paciente e a caracterologia pós-reichiana, articulando assim os relatos do paciente com pesquisas bibliográficas relevantes. Outro objetivo deste artigo é realizar uma condução teórica voltada para o claro entendimento do caso clínico, trazendo os principais conceitos da Psicologia Corporal referente ao caráter histérico, sendo este cobertura para uma estrutura de base oral. A conceitualização de cobertura e estrutura de base se faz necessária no presente artigo tendo em vista a eminente frequência da correlação entre a segunda e a quarta fase do desenvolvimento para a Psicologia Corporal, além de fazer completo sentido para um entendimento mais amplo do caso clínico em questão. Através da aplicação da escuta, das observações e das características apresentadas pela paciente, é possível a hipótese de caráter histérico, sendo descrito como aquele que não pode mostrar fraquezas, derivado do processo edípico de que ao demonstrar amor ao genitor, a criança foi rejeitada/traída, criando o sentimento de que se deixar transparecer os próprios sentimentos é ser vulnerável. Frente a maior liberdade dos indivíduos em experenciarem seus corpos, se faz necessário o presente artigo para que a psicologia, não só a corporal como a ciência como um todo, acompanhe as alterações sociais, entendendo a possibilidade de um indivíduo do sexo masculino desenvolver uma estrutura de caráter histérico, termo que até então, é diretamente relacionado às mulheres.
Palavras-chave: Psicologia. Corpo. Histeria. Coberturas. Caraterologia.


SOMATODRAMA: UMA CONTRIBUIÇÃO AO TRATAMENTO DA SÍNDROME DO PÂNICO

Autor(es): Maria Christina Accioli Freire

RESUMO: O presente estudo propõe analisar os sintomas físicos manifestados na Síndrome de Pânico, enfocando – os não como reações fisiológicas, mas como eles se organizam, psiquicamente, ou seja, como “acontecimento corporal”. A síndrome do pânico, ataques de pânico e ansiedades generalizados são problemas graves, mas existem vários métodos de tratamento; o que iremos abordar são as técnicas e manejos do Somatodrama, que vêm apresentando bons resultados. A importância dos recursos psíquicos, mobilizados pela percepção visual, auditiva e cenestésica, nominados como mentalizações (representação e simbolização) e sensações (energias pré- verbais instintivas, libidinais na síndrome do pânico são mobilizadas pela ansiedade generalizada). O corpo é aquele que testemunha os desejos e ansiedades, sofre dores, angústias. Ele sempre é permeado por múltiplos sentimentos. As técnicas e manejos estudados pelo Somatodrama, como interações entre percepção; e sensações podem ser recursos utilizados em pessoas que tendem a reagir aos conflitos internos e externos através de manifestações somáticas muito comuns nas crises do pânico.
Palavras-chave: Ansiedade. Corpo. Percepção. Sensações. Síndrome do Pânico.


ESCLEROSE MÚLTIPLA – APRESENTAÇÃO DE CASO CLÍNICO TRATADO COM VEGETOTERAPIA E BIOENERGÉTICA

Autor(es): Cristiane Monteiro Garbini 

RESUMO: Este estudo refere-se à análise de um caso clínico pela abordagem da Psicologia Corporal – técnicas da Vegetoterapia e Bioenergética – para intervenção da Esclerose Múltipla. A terapia da paciente levantou observações importantes para o entendimento das origens desta biopatia, bem como o reconhecimento dos recursos terapêuticos energéticos utilizados para o sucesso do tratamento.
Palavras-chave: Esclerose Múltipla. Vegetoterapia. Bioenergética. Navarro. Reich.


COMPULSÃO SEXUAL E O MEDO DA ENTREGA 

Autor(es): Cristiane Monteiro Garbini e Thais Schauenberg Garcia

RESUMO: As couraças musculares do neurótico são resultados do grande medo interno que o paralisa diante de emoções profundas. Os imprintings de frustrações da infância tornam-se o caráter do adulto. Porém, para Reich, analisar o caráter vai ainda mais além. É necessário considerar a sexualidade do indivíduo. O medo paralisa o neurótico e o impede de entregar-se às involuntárias convulsões do orgasmo. O distúrbio na resposta orgástica causa a busca pela saciedade e a compulsão sexual. Nesse contexto, a vida sexual satisfatória é a cura para a neurose.
Palavras-chave: Caráter. Compulsão. Entrega. Medo. Orgasmo. Sexo.


DE VOLTA AO ÚTERO

Autor(es): Loriane Heide, Maria Suelene Costa Dantas e José Henrique Volpi

RESUMO: O registro de nossas emoções e nossas sensações se dá muito antes do nosso nascimento. Frustrações, Estresse, Alegrias, Bem-Estar já são registrados em nossa memória emocional desde o momento que em que o Espermatozoide fecunda o óvulo. O período gestacional é a primeira etapa do desenvolvimento humano. Inicia-se na fecundação e vai até os nove primeiros dias após o parto, sendo chamada de etapa de sustentação. Nessa vivência utilizaremos recursos da Psicologia Corporal para tentar olhar para essas sensações e assim transformá-las positivamente.
Palavras-chave: Bloqueio Energético. Couraças. Etapas do desenvolvimento. Gestação. Útero.


O PROCESSO DO ADOECER NA DEPRESSÃO SEGUNDO A PSICOLOGIA CORPORAL

Autor(es): Loriane Heide, Maria Suelene Costa Dantas e José Henrique Volpi

RESUMO: Todas as experiências que vivemos, desde o momento da fecundação do espermatozoide no óvulo, constroem nosso caráter, ou seja, nossa forma de agir e reagir no mundo. Dessa maneira, podemos dizer que alguns adoecimentos do indivíduo podem ter suas raízes no início da sua vida, bem como, no seu processo de desenvolvimento. Neste trabalho, nos deteremos na depressão, doença cada vez mais presente nos consultórios médicos e psicólogos, a qual tem suas origens plantadas nos primeiros meses de vida, no período de amamentação, a etapa oral de desenvolvimento. A Psicologia Corporal possui métodos de interferências capazes de resgatar a energia que foi bloqueada lá no início da vida, e assim devolver a saúde física e psíquica dos indivíduos.
Palavras-chave: Acting.  Adoecer. Depressão.  Energia. Oralidade.


ENFRENTAMENTO CONSCIENTE DO TRANSTORNO DO PÂNICO ATRAVÉS DA PSICOLOGIA CORPORAL, RESPIRAÇÃO E YOGA

Autor(es): July Hessel e Sandra Mara Volpi

RESUMO: O Transtorno do Pânico é uma patologia incapacitante em vários sentidos para as pessoas que são acometidas por esse mal. Essa pesquisa faz um delineamento desse transtorno, de seus sintomas, bem como dos critérios para o diagnóstico do mesmo. Para além de uma descrição puramente objetiva, busca-se, através de referências da Psicologia Corporal aliadas a técnicas respiratórias e ao conhecimento milenar do Yoga, desenvolver possibilidades para um enfrentamento consciente que auxilie os pacientes na hora das crises. Para tanto, utiliza-se a Psicologia Corporal, visando delimitar quais são os bloqueios existentes no Transtorno do Pânico que fazem com que as crises aconteçam.
Palavras-chave: Psicologia Corporal. Respiração. Transtorno do Pânico. Yoga.


CÂNCER E A ESTAGNAÇÃO ENERGÉTICA: COMPREENDENDO UM CASO CLÍNICO À LUZ DA PSICOLOGIA CORPORAL

Autor(es): Helena Horbatei e José Henrique Volpi

RESUMO: O corpo humano é constituído por células minúsculas que desencadeiam os tecidos e formam os órgãos; estas são responsáveis por desenvolver o ritmo de ordem biológica do organismo que distribui a energia vital do centro do corpo para os demais membros periféricos. Podemos levar em consideração que quando essa energia não circula, temos uma estase (um acúmulo de energia), ou também pode ocorrer uma descarga excessiva da energia corporal, quando se tem um descontrole energético, e o paciente não dá conta de voltar ao seu ritmo biológico de autorregulação, e assim desenvolve quadros patológicos como, por exemplo, o câncer. O presente trabalho tem por objetivo compreender o câncer a partir da Psicologia Corporal, possibilitando conhecer estratégias clínicas voltadas à Orgonoterapia e à Vegetoterapia como forma de tratamento e prevenção, visando compreender um caso clínico de um paciente com câncer nas cordas vocais, bem como sua estrutura caracterial e a relação com o aparecimento da doença.
Palavras-chave: Câncer. Caráter. Energia. Reich. Vegetoterapia.


QUAL O XIS DA QUESTÃO? POR UMA RESPOSTA À LUZ DA TEORIA DA ENERGIA MATERIAL HUMANA E DO CONCEITO DE POTÊNCIA ORGÁSTICA NA TEORIA DA ECONOMIA SEXUAL DE WILHELM REICH

Autor(es): Leonardo José Jeber

RESUMO: Prazer ou Alívio: Qual a sua?  Apresentarei uma reflexão à luz da Teoria da Energia Material Humana e do conceito de Potência Orgástica na Teoria da Economia Sexual de Wilhelm Reich. Segundo Reich, “… o homem é a única espécie biológica que destruiu a sua própria função sexual natural e está doente em consequência disso”. Com base no livro do Professor G. Fábio MADUREIRA, “Prazer ou Alívio, o X dos 7 pecados”, centro de estudos sobre Sabedoria Popular, Energia Material Humana e Sexualidade, farei uma reflexão sobre essa questão: prazer x alívio. Também levarei em consideração as questões que surgem em minha prática docente na UFMG, com as disciplinas “Por uma Pedagogia do Prazer” e “Teoria da Psicologia Política e Corporal de Wilhelm Reich aplicadas à Pedagogia e Licenciaturas”.
Palavras-chave: alívio, prazer, energia material humana, potencia orgástica, teoria reichiana.


ALCANÇANDO UM ESTADO MEDITATIVO POR MEIO DA PERMANÊNCIA DOS ÁSANAS

Autor(es): Camila Kahlau

RESUMO: O artigo tem como objetivo refletir sobre a possibilidade de se alcançar um estado meditativo por meio da permanência nas posturas psicofísicas, ásanas, do Yoga. Para atingir tal objetivo, primeiramente foi realizada uma revisão de literatura sobre os temas centrais, permitindo ao leitor obter um entendimento geral do que vem a ser Yoga, Meditação e Ásanas. Em seguida, buscou-se elucidar alguns aspectos pertinentes à prática do Yoga que podem despertar um estado meditativo a partir da realização dos ásanas. Como resultado, constatou-se que ao se permanecer numa postura por um período maior, buscando realizar todos os alinhamentos e ajustes que um ásana demanda e, ao mesmo tempo, eliminar todo o esforço desnecessário e o conteúdo emocional e mental que emerge, a mente entra num estado meditativo – torna-se quieta, pacífica e focada.
Palavras-chave: Ásanas. Meditação. Yoga.


MASSAGEM BIODINÂMICA: VIVENCIANDO O TOQUE, CONSTRUINDO O TERAPEUTA: O EXERCÍCIO DA MASSAGEM BIODINÂMICA NA CONSTRUÇÃO DO TERAPEUTA BIODINÂMICO

Autor(es): Juliana Pesente Kerckhoff

RESUMO: A massagem biodinâmica é uma técnica corporal neorreichiana, desenvolvida por Gerda Boyesen, precursora da Psicologia Biodinâmica, utilizada como intervenção terapêutica visando harmonização e outros efeitos úteis para a saúde mental. Este trabalho consiste na experimentação dessa técnica como parte do curso de Psicologia Biodinâmica. Objetiva relatar o processo vivencial, tanto do paciente no recebimento dessa massagem, quanto do terapeuta. Trabalhou-se com sujeito do sexo feminino, com 10 sessões, em 2017. Foram utilizados métodos e técnicas do repertório dessa massagem. Para a paciente, verificou-se que o toque trouxe autoconhecimento e conscientização corporal. Para o terapeuta, favoreceu a apropriação de recursos terapêuticos não verbais e a escolha de priorizar a massagem biodinâmica dentro do contexto psicoterapêutico.
Palavras-chave: Massagem Biodinâmica. Psicologia Biodinâmica. Presença Terapêutica. Singularidade. Autoconhecimento.


ATÉ QUE A DOENÇA NOS SEPARE: CORPO E EMOÇÃO – COMO AMENIZAR OS IMPACTOS DA INTERNAÇÃO NO INDIVÍDUO ENFERMO E HOSPITALIZADO?

Autor(es): Caren Danuza Silveira de Lima e Sandra Mara Volpi

RESUMO: O adoecimento acarreta ao corpo prejuízos físicos e emocionais. Comumente os físicos são tratados em separado das questões emocionais, que permanecem em segundo plano e na maior parte não se evidenciam. A Psicologia Corporal dispõe de técnicas que unem corpo, mente e energia do sujeito, fato que pode elevar a qualidade de vida do enfermo em casos de internação, uma vez que a Psicologia no cenário hospitalar vem ganhando espaço. O objetivo deste artigo é abordar a visão da Psicologia Corporal sobre os aspectos emocionais e energéticos do processo de adoecimento, e também as contribuições desta abordagem para uma reconexão do indivíduo doente e hospitalizado para com seu corpo e seu potencial para a saúde.
Palavras-chave: Adoecer. Corpo. Emoção. Hospitalização. Psicologia Corporal.


LA VERGÜENZA Y SU IMPORTANCIA EN LA PSICOTERAPIA CORPORAL

Auto(es): Fabian Llanos

RESUMO: La Vergüenza puede transformarse en una emoción sumamente dolorosa, debido a que se sustenta en la autocrítica negativa de la “expresión” y del “ser” del individuo, pudiendo llegar a concebirse como indigno de ser amado. Así surge la raíz tanto de la crítica interna como del perfeccionismo del sujeto, desplegándose de forma entrelazada y escondida con otras emociones como la ira, y el miedo. En tanto emoción, es una reacción fisiológica no consciente, mediada por el sistema nervioso autónomo, que de ser crónica puede configurarse como fuerza patógena en el desarrollo y el mantenimiento de varios desordenes clínicos como depresión, trastornos alimenticios, desordenes de la personalidad, fobias y adicciones.
Palavras-chave: Emoción. Vergüenza. Psicoterapia. Corporal.


SEMENTES DE UM NOVO TEMPO – RELATO DE EXPERIÊNCIA EM UMA ESCOLA DO ENSINO FUNDAMENTAL DE CAMPINAS

Autor(es): Pedro Mourão Roxo da Motta e Letícia Lovato Dellazzana-Zanon

RESUMO: A oficina “Sementes de um novo tempo” recebeu esse título em alusão ao projeto crianças do futuro desenvolvido por W. Reich, para quem, por meio do trabalho com crianças e jovens seria possível proporcionar uma mudança significativa da sociedade. O presente trabalho trata-se de um relato de experiência do Estágio Básico III – Psicologia na Educação/Escola, realizado no oitavo período de estágio em Psicologia Educacional em uma escola do Ensino Fundamental e Médio no município de Campinas-SP. Foram realizadas 08 intervenções com um grupo de alunos de 12 a 15 anos com intuito de proporcionar um local de abertura emocional em que os participantes pudessem romper com a estrutura narcisista construída socialmente e demonstrar suas vulnerabilidades e fraquezas, para que assim houvesse uma integração e ressignificação dos conteúdos abertos proporcionando auto-regulação, promoção de saúde e prevenção da auto agressão. A intervenção foi composta por 08 encontros dos quais participaram 09 alunos de 12 a 15 anos. Foram utilizadas vivências corporais com base nos preceitos da terapia Reichiana de integração mente-corpo por se acreditar que o trabalho corporal possui um grande potencial para proporcionar descarga emocional e rompimento com a estrutura narcísica. Os resultados obtidos foram satisfatórios e demonstraram que um ambiente favorável para exposição de vulnerabilidades é extremamente importante para os jovens adolescentes que estão formando suas consciências, provendo auto-regulação, promoção de saúde mental e prevenção da auto-agressão.
Palavras-chave: Psicologia Educacional, auto regulação, descarga emocional.


A DEMOCRACIA DO TRABALHO E O TRABALHO VITALMENTE NECESSÁRIO:  UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Autor(es): Pedro Mourão Roxo da Motta e Heloisa Aparecida de Souza

RESUMO: O presente trabalho é o relato de experiência de um estágio em Psicologia Organizacional em uma escola de Yoga no município de Campinas-SP. Foram realizadas 12 intervenções no campo afim de colher informações a respeito da estrutura organizacional da empresa com intuito de perceber melhor como sua estrutura diverge de uma empresa convencional. Os resultados demonstraram que a empresa tem uma cultura matriarcal, desrepressora e sensorial que se alinham com os conceitos de democracia do trabalho e trabalho vitalmente necessário desenvolvidos por W. Reich. Estes resultados revelam uma estrutura oposta a estrutura patriarcal e repressora predominante nas estruturas das empresas convencionais, e indicam que a democracia do trabalho e o trabalho vitalmente necessário tem relação direta com os atributos da energia sexual.
Palavras-chave: Democracia do trabalho, trabalho vitalmente necessário, matriarcado, Yoga.


NA BATIDA DO CORAÇÃO O QUE DECIDE: A RAZÃO OU A EMOÇÃO?

Autor(es): Joviniano José Rezende de Oliveira e Adilson Nascimento de Jesus

RESUMO: Este relato de experiência é um resultado parcial da minha tese de doutorado: Corposofia: Bioenergética para sensibilizar questões filosóficas. A experiência refere-se à aplicação de um grupo de movimento e consciência corporal realizado nas aulas de Filosofia para estudantes do segundo do ensino médio na E.E. Prof. Coriolano Monteiro de Campinas/SP. O conflito entre pensar e sentir foi relacionado à mobilização da couraça torácica, por meio de exercícios de bioenergética e percussão corporal, cuja experiência foi realizada ao ar livre na área externa da escola. Esse trabalho de sensibilização desdobrou-se em várias discussões ao longo do ano, especialmente sobre o conflito inerente à tomada de decisões. No momento em que uma escolha deve ser feita, para o que devemos dar mais importância: à racionalidade ou a ouvir a “voz do coração”?
Palavras-chave: Consciência Corporal. Filosofia. Inteligência do Coração. Razão.


PRAZER E ALEGRIA – UMA META PARA A VIDA SEGUNDO A PSICOLOGIA CORPORAL
Autor(es): Jenniffer Miriã Vorpagel Parolli e Sandra Mara Volpi
RESUMO:  A alegria e o prazer são primordiais para a existência. Para resgatar esses estados é necessário liberar a energia dos sentimentos reprimidos e se entregar ao corpo. Na Psicologia Corporal esses estados são trabalhados através da terapia com exercícios e técnicas conscientes para liberar os sentimentos e as tensões do corpo, tendo como resultado uma saúde emocional e física irradiada de energia e um estado de vitalidade. O objetivo deste artigo é demonstrar os conceitos de prazer e alegria do ponto de vista da Psicologia Corporal e também os recursos por ela desenvolvidos para uma abordagem integral de corpo, mente e emoção.
Palavras-chave:
Alegria. Energia. Prazer. Psicologia Corporal.


PSICANÁLISE E BIOLOGIA: APROXIMAÇÕES E DISTANCIAMENTOS
Autor(es): Ricardo Amaral Rego
RESUMO: Após romper com a psicanálise, em 1934, Wilhelm Reich trilhou um caminho de aproximação com elementos da biologia que o levaram a criar a psicoterapia corporal. Desde então houve avanços, mudanças e novas descobertas em ambos os campos, e pode ser muito útil para os profissionais e professores do campo da psicoterapia corporal revisitar essas bases e conhecer melhor como está sendo visto esse diálogo hoje. A proposta aqui apresentada vê esses campos como complementares, a psicanálise trazendo contribuições importantes no plano do manejo da subjetividade, e a biologia contribuindo com uma visão e uma metodologia que trazem novos conhecimentos e possibilidades.
Palavras-chave: Psicanálise. Biologia. Neurociência. Reich. Psicoterapia.


A REAÇÃO PARALISANTE DO “FAZER” DIANTE DA EXPECTATIVA DE “SER”
Autor(es): Ana Rosa Brum Marcellos Rocha
RESUMO: Diante do medo de nos conhecermos, a mente humana busca encontrar mecanismos para burlar este processo. Uma das maneiras que acaba por tornar eficiente este boicote a si mesmo é paralisando nosso movimento e fugindo do momento presente. A busca pelo “fazer” tendo como foco da atividade o objetivo por si só, sem haver uma satisfação pelo processo, gera a distância entre o que se é e o que gostaria de ser. Executar ações sem a essência do prazer provoca irritabilidade, sensação de frustração, pois que nunca atinge a satisfação plena. Não existe a liberdade de ser, pois não se comunica com seu corpo. Esta é a neurose do “não-ser”. Numa era de galopantes avanços tecnológicos, onde o tempo tem se tornando o inimigo daqueles que pretendem alcançar a essencialidade da vida, cabe atentar quão atual e angustiante é este quadro que se vive hoje: dá-se mais importância ao que se conhece no mundo do que aquilo que efetivamente é compreendido pelo corpo-emoção.
Palavras-chave: Corpo. Respiração. Medo de ser. Fazer compulsivo. Dor e prazer.


O CORPO QUE HABITO, MORADA DAS EMOÇÕES
Autor(es): 
Laerte Augusto Rolim

RESUMO: Releitura das influencias das emoções positivas ou negativas na construção do corpo e no fluxo da energia do corpo. O corpo humano é extremamente sensível ao influxo das emoções, e se incendeia ou se apaga, conforme a emoção com que interage. Nosso corpo é nosso próprio livro de estudos. Para ler basta ir virando as páginas até encontrar o autor.
Palavras-chave: Bloqueio. Energia. Leloup. Reich. Trauma.


PSICOLOGIA CORPORAL E DANÇA CIRCULAR: APLICAÇÕES E CONVERGÊNCIAS
Autor(es): Adriana Regina Roth e José Henrique Volpi
RESUMO: A Dança Circular é registrada em todo mundo, por diversos autores, como uma experiência de terapia conjunta que busca o aprofundamento do seu próprio ser e o reconhecimento do outro, caracterizando a procura pelo entendimento recíproco. Este estudo tem como objeto central, através de pesquisa bibliográfica descritiva, investigar a atividade da Dança Circular, suas técnicas e aplicações, bem como a presumível convergência em relação a Psicologia Corporal, considerando seu potencial de contribuição no estímulo para o processo de autoconhecimento, amadurecimento e individuação do sujeito.
Palavras-chave: Autoconhecimento. Dança Circular. Psicologia Corporal.


O CORPO QUE ENVELHECE – UMA REFLEXÃO NECESSÁRIA
Autor(es): Maria Isabel Saczuk e Denise de Camargo
RESUMO: Com o aumento da perspectiva de vida, faz-se necessário um olhar para o fator envelhecimento que permeia a realidade de todos nós. Comumente os indivíduos demonstram certo incômodo ao pensarem sobre o envelhecimento humano, escolhendo muitas vezes a fuga do assunto ou o adiamento na reflexão sobre sua condição, já que este, inevitavelmente, remete à ideia do fim da existência, ou seja, a morte. Partindo de uma perspectiva reichiana acerca das fases do desenvolvimento emocional, aborda-se as mudanças psicocorporais vivenciadas na idade adulta e velhice na atualidade, e aponta-se para a necessidade de uma compreensão do ser humano contemporâneo de forma mais abrangente.
Palavras-chave: Corpo. Emoção. Envelhecimento. Psicologia Corporal. Wilhelm Reich.


RESPIRAÇÃO, RELAXAMENTO E MEDITAÇÃO
Autor(es): Cynthia Sampaio
RESUMO: A prática da meditação produz uma integração entre o corpo, a mente e o espírito e ajuda a pessoa a conquistar equilíbrio, autocontrole além de desenvolvimento da consciência. Inúmeras são as comprovações científicas já obtidas a respeito do potencial da meditação como instrumento de autorregulação do organismo humano, assim como de seus benefícios para a saúde. O desenvolvimento do processo meditativo passa por etapas que envolvem a ampliação da respiração e a possibilidade de relaxamento da mente lógica para que ocorra uma expansão da consciência. Existem variadas práticas que ensinam a arte de meditar, no entanto, todas tem em comum a retirada da atenção do mundo exterior e a focalização da mente em um tema que varia a depender da metodologia escolhida.
Palavras-chave: Atenção. Autorregulação. Equilíbrio. Meditação. Relaxamento. Respiração.


SÍNDROME DE PÂNICO SOB UMA PERSPECTIVA REICHIANA
Autor(es): 
Yves Roberto Melgarejo Soto

RESUMO: Nas últimas décadas ter ansiedade faz parte da vida diária, porém poderia acabar desenvolvendo por diferentes fatores algum tipo de transtorno de ansiedade, de entre eles a síndrome de pânico. Em este trabalho quero definir a síndrome de pânico, como este se manifesta, quais seriam as diversas causas, o que acontece no corpo do paciente no momento da crise, física e energeticamente e quais seriam as medidas a seguir para uma melhoria terapêutica.
Palavras-chave: pânico, neurotransmissores, respiração, alterações perceptivas, anéis corporais.


ORGONOMIA E ESPIRITUALIDADE: A DIREÇÃO DO TRATAMENTO NA PSICOTERAPIA CORPORAL REICHIANA
Autor(es): Antonio Ricardo Teixeira
RESUMO: A proposta deste artigo é refletir sobre a compatibilidade (ou não) entre ciência orgonômica e espiritualidade e a direção do tratamento tendo em consideração as fases implicadas no mesmo, a idade e as necessidades do(a) paciente, as tendências regressivas ativadas pela transferência e pela abertura para liberação de emoções reprimidas, o falso-self em relação à maturidade do caráter genital a ser desenvolvida, os aspectos caracterológicos a serem elaborados e os pontos de fixação energética a serem desbloqueados. Discutiremos o orgasmo como função de união com a totalidade e as semelhanças e diferenças entre processos meditativos e práticas terapêuticas de base reichiana; e as tendências malignas e destrutivas subjacentes ao encouraçamento, que confundem a sexualidade tornando-a perversa e falsamente orientada para a espiritualidade.
Palavras-chave: Reich. Orgonomia. Espiritualidade. Caráter. Genitalidade. Neurose.


CUIDADOS NA CONCEPÇÃO, GESTAÇÃO E PARTO SOB O OLHAR DA PSICOLOGIA CORPORAL
Autor(es): Jessica Araújo Lourenço Telhada e Sandra Mara Dall’Igna Volpi
RESUMO: O desenvolvimento psicoemocional e vegetativo acontece desde a concepção. É importante que isso seja considerado e validado para que as pessoas tenham mais consciência da importância desse momento e para que cuidem melhor da gestação, do parto e do pós-parto, prevenindo neuroses e bloqueios, em busca de uma vida e de uma sociedade mais saudável. Por isso, este artigo propõe olhar e refletir sobre o início da vida (concepção, gestação e parto), mostrando a importância do cuidado dos pais, profissionais e pessoas que estão em contato com o feto ou bebê em cada fase e momento. Visa que cada ser se sinta desejado, amado e amparado em suas necessidades primárias e vitais.
Palavras-chave: Concepção. Energia vital. Gestação. Parto. Recém-nascido.


CONTRIBUIÇÕES DA ANÁLISE REICHIANA PARA O TRATAMENTO DO PACIENTE ODONTOLÓGICO CRÔNICO
Autor(es): Vanessa Leandra Venturin e Wilson Pacheco
RESUMO: Dentre as doenças odontológicas, duas especialmente são aquelas que mais o paciente investe e em pouco tempo apresenta fracasso do tratamento. Em um número considerável de casos, principalmente as doenças periodontais, o paciente abandona o dentista em decorrência de o profissional atribuir culpa ao descaso do paciente para com a higiene bucal. Os conhecimentos das bases reichianas ligadas à amamentação e a oralidade podem oferecer o tratamento prévio ou concomitante ao trabalho odontológico e consequentemente à resolução da recidiva e economia de tempo e dinheiro, por parte do paciente, além de prevenir a perda precoce do elemento dental.
Palavras-chave: Doença Ortodôntica. Doença Periodontal. Oralidade.


MULHERES E DEPENDÊNCIA AFETIVA: UMA VISÃO REICHIANA
Autor(es): Vanessa Leandra Venturin e Sandra Mara Dall’Igna Volpi
RESUMO: hhhhhh a paixão… duas pessoas que se unem através do namoro, noivado, casamento, e tantas outras formas de relação possíveis atualmente. No entanto, sua maneira de se relacionarem com seus parceiros(as) está diretamente ligada a aspectos caractereológicos individuais. No início, tudo parece perfeito, porém com o aprofundamento da intimidade isso pode se tornar um verdadeiro pesadelo. E é nesse momento que a visão da Psicologia Corporal traz clareza sobre esses aspectos caractereológicos que, por sua vez, pode trabalhar no amadurecimento do pensamento e do comportamento nas relações. Para esta teoria, este amadurecimento é uma consequência da mudança de padrões de defesa emocional e também energéticos em desequilíbrio. O presente artigo pretende demonstrar a visão da Psicologia Corporal sobre os aspectos caractereológicos interferindo nas relações, bem como apresentar os meios de amadurecimento de caráter possíveis para a promoção de vínculos mais saudáveis.
Palavras-chave: Dependência Afetiva. Masoquismo. Oralidade. Psicologia Corporal.


POEIRAS DO TEMPO – DO VAZIO ABSOLUTO AOS CICLOS DE NASCIMENTO E MORTE. ETAPAS DE CONSCIÊNCIA CORPORAL E RESGATE

Autor(es): Wilson Pacheco, Regina Maria Martins Del Coco, Fernanda Reddin Werka e José Henrique Volpi

RESUMO: A criação de tudo que conhecemos como nos é apresentado hoje a partir da teoria do Big Bang é um tema que desperta grande curiosidade dos humanos desde os tempos mais remotos e gera grandes polêmicas, envolvendo conceitos religiosos, filosóficos e científicos. Do vazio absoluto aos ciclos de nascimento e morte é inevitável buscar o sentido de tudo que nos permeia, uma vez que ao nascermos, costumamos passar a vida em busca de compreensões, sofremos com transformações em todos os sentidos da nossa estrutura e precisamos buscar entender e aceitar de forma satisfatória de que nossa jornada, assim como tudo, em algum momento, acaba. Esta vivência busca trazer o sentimento de percepção de que do nada viemos e para o nada iremos, que somos parte de uma energia, que se renova constantemente.
Palavras-chave: Energia. Morte. Nascimento. Transformação. Vida.


MULHERES E DEPENDÊNCIA AFETIVA: UMA VISÃO REICHIANA

Autor(es): Vanessa Leandra Venturin e Sandra Mara Dall’Igna Volpi 

RESUMO: Ahhhhhh a paixão… duas pessoas que se unem através do namoro, noivado, casamento, e tantas outras formas de relação possíveis atualmente. No entanto, sua maneira de se relacionarem com seus parceiros(as) está diretamente ligada a aspectos caractereológicos individuais. No início, tudo parece perfeito, porém com o aprofundamento da intimidade isso pode se tornar um verdadeiro pesadelo. E é nesse momento que a visão da Psicologia Corporal traz clareza sobre esses aspectos caractereológicos que, por sua vez, pode trabalhar no amadurecimento do pensamento e do comportamento nas relações. Para esta teoria, este amadurecimento é uma consequência da mudança de padrões de defesa emocional e também energéticos em desequilíbrio. O presente artigo pretende demonstrar a visão da Psicologia Corporal sobre os aspectos caractereológicos interferindo nas relações, bem como apresentar os meios de amadurecimento de caráter possíveis para a promoção de vínculos mais saudáveis.
Palavras-chave: Dependência Afetiva. Masoquismo. Oralidade. Psicologia Corporal.


CORPO ANSIOSO: UM OLHAR ABRANGENTE SOBRE O PROCESSO DE ANSIEDADE NO CORPO E CAMINHOS DA BIOENERGÉTICA PARA O TRATAMENTO

Autor(es): Gabriela da Silva Vieira, Najida Patrícia Moura e Sandra Mara Dall’Igna Volpi

RESUMO: O presente trabalho busca a compreensão de como se manifesta a ansiedade no corpo do indivíduo contemporâneo, inserido em uma sociedade que valoriza em demasia os processos mentais, preterindo o corpo e suas inúmeras possibilidades de participação e diminuição dos sintomas da ansiedade. Para isso traremos as teorias da Psiquiatria Psicodinâmica, Neurobiologia e Bioenergética como forma de fazer uma leitura que englobe aspectos psíquicos, neurológicos, mentais e corporais. Por fim, com base neste estudo, será dialogado a respeito de trabalhos terapêuticos corporais possíveis para a ansiedade.
Palavras-chave: Ansiedade. Bioenergética. Corpo. Psicodinâmica. Neurobiologia.


CORPO FLUIDO: AUTORREGULAÇÃO COM OS SETE SEGMENTOS

Autor(es): Gabriela da Silva Vieira e Jessica Araújo Lourenço Telhada

RESUMO: A Psicologia Corporal estuda o corpo a partir de sete segmentos básicos de couraça, propostos por Wilhelm Reich. Após Reich ter iniciado o caminho, seu dissidente Alexander Lowen, desenvolveu técnicas de liberação corporal e emocional, que apoiassem o indivíduo a desenvolver espontaneidade, caracterizando o indivíduo autorregulado para Reich. A partir desta visão de corpo e saúde emocional, iremos propor um contato com os sete segmentos de couraça, afim de proporcionar uma experiência de auto-conhecimento, contato, soltura e expressão.
Palavras-chave: Autorregulação. Emoções. Segmentos. Tensões.


DEPENDÊNCIA VIRTUAL E INTOXICAÇÃO TECNOLÓGICA. QUANDO O VÍCIO REFORÇA A PATOLOGIA DO CARÁTER

Autor(es): José Henrique Volpi e Sandra Mara Volpi

REUMO: Para as novas gerações, o mundo sem a Internet é simplesmente inimaginável. Para crianças, adolescentes e jovens, o mundo está ao alcance de um clique – e é através de cliques que as fronteiras entre o privado e o público, entre o real e o virtual, entre o impossível e o “pseudo” possível se desvanece. Para as gerações que, muitas vezes atônitas e de atitudes inseguras, têm como tarefa conduzir crianças, adolescentes e jovens até a maturidade, a linguagem tecnológica é uma “segunda língua”, diversa de sua “língua materna” para com o seu entorno. No mundo virtual, essas gerações se encontram e se confrontam, alguns como nativos desse universo em expansão, e outros como forasteiros. A proposta desse artigo é abordar as mudanças em termos emocionais, energéticos, neuropsicológicos, comportamentais, etc, que cada indivíduo está vivendo em si mesmo e em seu entorno.
Palavras-chave: Caráter. Cyberbullying. Cyberstalking. Dependência Virtual. Intoxicação tecnológica. Psicologia Corporal. Tecnologia.


CORPO VIVO: REENCONTRO COM O SELF 

Autor(es): Valleska Zych

RESUMO: Quando nosso corpo encontra-se em um estado de inércia, ele tende a adoecer. O movimento é o caminho para que o fluxo de energia volte a fluir e a saúde vibrante aparecer. Um corpo vivo está em constante movimento e a vibração é o elemento chave da vitalidade. Um corpo vivo e sadio está em constante estado de vibração seja desperto ou dormindo. Um corpo vivo, expressa seus sentimentos com naturalidade e espontaneidade. Um corpo vivo é livre, gracioso e belo. É capaz de experimentar sensação de satisfação e prazer. Um corpo vivo está ligado com seu self. O self não pode divorciar-se do corpo e a autopercepção não pode separar-se da consciência corporal. Este é o caminho do crescimento, é estar em contato com o corpo e entender o que ele diz. Aqui está tudo bem.
Palavras-chave: Corpo. Consciência. Movimento. Self.